Compartilhar...

VOLTAR
FECHAR

Av. João Corrêa, 1017 - Centro - São Leopoldo/RS - CEP: 93010-363
Fones: (51) 3591.2000 - Fax: (51) 3591.2032

PUBLICIDADE
Humanização

Aconchego no hora do parto: conheça o trabalho das doulas

Doulas atuam junto à equipe médica na busca do bem-estar das futuras mamães e dão suporte e apoio emocional às famílias
Arquivo pessoal
Doula Cibele Pacheco com a gestante Simone Ramos na preparação para o parto da filha Alice
A palavra doula vem do grego e significa mulher que serve. Algumas gestantes que contaram com o acompanhamento desta profissional durante a gestação escolheram algumas palavras para definir o que a doula significou para elas. Segurança, tranquilidade, empoderamento, encorajamento e continência foram as mais lembradas.
A empresária Semira Martins, 29 anos, cita como fundamental o apoio que teve de sua doula na gestação do primeiro filho, Miguel, que tem 6 meses. “É maravilhoso. Ela tem papel complementar e não isola a figura do marido na hora do parto. Porém ajuda muito na questão emocional. Ela te empodera, mostra que tu é capaz, que tu tem força, que tu nasceu para parir”, relembra.
A doula Cibele Pacheco, que foi quem acompanhou Semira no parto, explica que a função da doula é justamente dar apoio físico, emocional e afetivo para a mulher que vai parir. “Ela está lá para a mulher, seu foco é a gestante. A doula não realiza procedimentos técnicos, ela faz parte do processo de parto, auxiliando de forma integral o casal que vai parir”, define. Ela comenta ainda que no pré-natal a profissional prepara o casal para o parto, conversa em detalhes sobre a fisiologia do momento e busca esclarecer todas as dúvidas e dissipar os medos.
Atuação mais intensa
Para a doula Margela Ferreira, a principal e mais intensa atuação da doula ocorre durante o trabalho de parto. “Nesta hora oferecemos auxílio para ajudar a aliviar as dores de maneiras não farmacológicas, com massagens, banhos quentes, rebozo, bola suíça e algumas técnicas de respiração”, cita. Segundo ela, esse auxílio também é emocional, passando confiança e lembrando a gestante de que ela é capaz e poderá passar pelo parto da maneira mais natural possível. “Falamos aqui de vínculos construídos ao longo da gestação que culminam em cumplicidade e apoio durante o trabalho de parto”, resume.
Busca pela humanização
Arquivo pessoal
Tatiana teve o parto natural assistido
A analista financeira Tatiana Siebel, 33 anos, não costuma falar muito sobre a escolha pelo parto natural assistido por não querer levantar discussões sobre o assunto. Mas ela afirma que o apoio da doula Cibele Pacheco foi fundamental para que tudo transcorresse como desejava. “A gestação e o parto são momentos de extrema importância, estamos com os sentimentos mais aflorados e precisamos de apoio e muitas vezes de ajuda. É importante poder trocar ideias e ter uma rede de relacionamentos que acrescentam e auxiliam no processo de conhecimento sobre o todo. Neste processo de conhecimento e descobertas, o papel da doula foi fundamental para nossa família, assim como no trabalho de parto”, pondera (na foto acima, Tatiana e o marido Samuel posam com o filho Gustavo e a equipe do parto).
Grupos buscam despertar a consciência pelo natural
Arquivo pessoal
Grupo Acolhendo o Nascer faz reuniões periódicas
Há grupos, geralmente idealizados por doulas, que trabalham na conscientização e orientação das famílias que planejam engravidar, que estão grávidas, ou mesmo aquelas que já têm filhos. Em Novo Hamburgo, o grupo Nascer Sorrindo e o Acolhendo o Nascer são conduzidos por doulas e realizam encontros periódicos para abordar diferentes temas como tipos de parto, preparação para o parto, amamentação e puerpério, paternidade ativa, assim como a realização de oficinas de relaxamento na gestação. Na foto acima um dos encontros do grupo Acolhendo o Nascer, que é conduzido por Margela Ferreira e Virgínia Andelieri da Silva.
Apoio considerado essencial à equipe de médicos
O médico ginecologista e obstetra Fabiano Vasconcellos, que há mais de seis anos vem se dedicando ao trabalho com o parto humanizado em Novo Hamburgo, indica que suas pacientes façam contato com uma doula para o acompanhamento já no pré-natal. “A doula tem um papel complementar importantíssimo no processo de gestação e do parto. Além de todo o apoio psicológico, esta profissional atua fornecendo informação aos futuros pais. Indica leituras, melhores posições para alívio da dor. Com isso, a gestante fica mais confiante para o momento sublime que está por vir”, avalia. Fabiano ressalta ainda que as doulas são responsáveis por tornar o ambiente agradável à gestante. “Elas cuidam do bem-estar da mulher. Lembrando que ela não realiza procedimentos médicos e não opina nas decisões neste sentido também”, cita.
Experiência transformadora para a família
“O trabalho de parto humanizado foi uma experiência transformadora em todos os sentidos para a nossa família. Meu marido e eu renascemos através do nosso filho, como pais do Vicente.” O relato de Vanessa Neutzling resume um momento único vivido que contou com o apoio da doula Margela Ferreira. Segundo Vanessa, o trabalho da Margela foi fundamental. “Fizemos acompanhamento durante a gestação para nos prepararmos e isso fez a diferença. Quando comecei a ter contrações ela ficou o dia todo conosco. Meu trabalho de parto não precisou de nenhuma intervenção, nem anestesia e nem corte e acredito que tenha conseguido devido à preparação prévia para esse momento com a Margela e o doutor Fabiano Vasconcellos, que foi o meu obstetra. Eu também pratiquei meditação com uma outra doula chamada Débora Bauermann, de São Leopoldo, que achei importante.
Uma vivência que superou expectativas
O desejo da psicóloga Simone Ramos, 36 anos (que aparece com a doula Cibele Pacheco na foto que abre esta reportagem), de ser mãe despertou nela a necessidade de buscar informações sobre parto humanizado. “Foi nessas buscas que fui ‘apresentada’ à figura da doula. Decidi ali que queria ter este acompanhamento”, conta. E a vivência superou suas expectativas. “A experiência de ser acompanhada por esta profissional durante a gestação e após o parto só serviu para confirmar o que havia lido. Eu e meu marido fomos acolhidos em nossas dúvidas e medos e tivemos acesso a conhecimentos incríveis não só sobre gestação e parto, mas também sobre saúde da mulher, puerpério, profilaxia e o (re)conhecimento de si (e do casal)”, comenta. Sobre o momento do parto, Simone relembra: “Foi uma presença que fez a diferença em meu trabalho de parto e no parto em si, me cercando de cuidados e recursos que possibilitaram que eu ficasse relaxada, confiante e conectada com essa experiência indizível que é trazer uma criança ao mundo.” 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS