Compartilhar...

VOLTAR
FECHAR

Av. João Corrêa, 1017 - Centro - São Leopoldo/RS - CEP: 93010-363
Fones: (51) 3591.2000 - Fax: (51) 3591.2032

PUBLICIDADE
Estocolmo

Patti Smith representa Bob Dylan na entrega do Nobel de Literatura

A cantora ainda prestou uma emotiva homenagem ao amigo
JESSICA GOW / TT News Agency / AFP
Patti Smith presta emotiva homenagem a um Dylan ausente na cerimônia do Nobel
Agraciado com o Nobel de Literatura, Bob Dylan foi o grande ausente na entrega de prêmios deste sábado (10), em Estocolmo, para as disciplinas científicas, literatura e economia, e em Oslo, no caso do da Paz, concedido ao presidente colombiano, Juan Manuel Santos. Na Konserthuset, onde a Fundação Nobel organiza todo ano uma suntuosa cerimônia, os novos laureados receberam das mãos do rei Carl XVI Gustaf, da Suécia, uma medalha de ouro e um diploma.

Prêmio Nobel de Literatura, Bob Dylan, lenda viva da música americana, desculpou-se e não compareceu, alegando "outros compromissos". Para compensar sua ausência, a cantora Patti Smith, grande admiradora de Dylan, interpretou uma de suas músicas mais famosas - "A Hard Rain's A-Gonna Fall".

Com a voz embargada pela emoção, Patti precisou parar por um momento, parecendo buscar as palavras, antes de se desculpar e prosseguir com a música, apoiada pelos aplausos dos 1,5 mil – entre acadêmicos, políticos e empresários – que assistiam à cerimônia.

O enigmático Bob Dylan, de 75, enviou um discurso de agradecimento, que foi lido à noite pela embaixadora americana na Suécia, após o banquete realizado na prefeitura de Estocolmo. "Se alguém tivesse me dito que eu tinha a menor possibilidade de ganhar o Prêmio Nobel, teria pensado que minhas possibilidades eram tantas quanto estar na Lua", escreveu o americano, primeiro cantor-compositor a receber o prêmio.

"Nem uma única vez tive tempo de me perguntar: por acaso minhas canções são literatura?", afirmou Dylan, destacando que, "verdadeiramente não existem palavras" para descrever a honra de ver seu nome ao lado de outras personalidades, como Rudyard Kipling, Albert Camus, ou Ernest Hemingway.

"Uma bofetada", criticou a editorialista Lena Mellin, do jornal "Aftonbladet".

"Qualquer pessoa que tenha recebido um prêmio, mesmo que seja o de melhor morador do prédio, sabe que o minimamente educado é vir recebê-lo", acrescentou.

Segundo a Fundação Nobel, o prêmio de Literatura será entregue a Bob Dylan em 2017, em um país a ser determinado.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS