Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. João Corrêa, 1017 - Centro - São Leopoldo/RS - CEP: 93010-363
Fones: (51) 3591.2000 - Fax: (51) 3591.2032

PUBLICIDADE
Obituário

Ator britânico John Hurt morre aos 77 anos

Entre os papeis de maior repercussão, o ator interpretou o Senhor Olivaras nos filmes da série Harry Potter
AFP
Ator britânico John Hurt morreu vítima de câncer no pâncreas
John Hurt, ator britânico de mil faces, incluindo o personagem de "O Homem Elefante", faleceu em sua residência de Norfolk (leste da Inglaterra) aos 77 anos, vítima de câncer de pâncreas, anunciou neste sábado sua esposa.
"Com infinita tristeza confirmo que meu marido, John Vincent Hurt, faleceu na quarta-feira 25 de janeiro em sua casa de Norfolk", informa Anwen Hurt em um comunicado.
Entre os papéis de destaque em sua carreira, o ator interpretou o Senhor Olivaras nos filmes da série "Harry Potter", o oficial Kane em "Alien, O Oitavo Passageiro" ou Winston Smith em "1984".
Após uma série de pequenos papéis na TV, Hurt estreou nos palcos britânicos em 1962, com Infanticide in the House of Fred Ginger, e logo em seguida atuou em seu primeiro longa, "Um Grito de Revolta".
Em 1966 fez o barão Richard Rich no clássico "O Homem Que Não Vendeu Sua Alma", de Fred Zinnemann, o que lhe abriu as portas de Hollywood.
O ator foi indicado duas vezes ao Oscar, a primeira vez na categoria ator coadjuvante por "Expresso da Meia-Noite" (1978) e dois anos depois na categoria melhor ator por seu papel em "O Homem Elefante".
Por "O Expresso da Meia-Noite", Hurt venceu o Bafta e o Globo de Ouro de ator coadjuvante.
O filme de Alan Parker fala sobre a vida de um americano detido em uma prisão turca.
Após ter seu peito explodido por uma criatura extraterrestre em "Alien, o Oitavo Passageiro", Hurt foi indicado ao Oscar de melhor ator por "O Homem-Elefante", no papel de John Merrick, nascido com uma severa deformação física e exibido em um circo no século 19.
Versátil e confiável, Hurt atuou ainda em "Hellboy", de 2004, "V de Vingança", 2005, "Indiana Jones - O Segredo da Caveira de Cristal", 2008, e em "O Expresso do Amanhã", 2013.
O ator americano Elijah Wood (Frodo na trilogia "O Senhor dos Anéis") prestou homenagem ao ator britânico no Twitter: "Muito triste ao saber do falecimento de John Hurt. Foi uma honra ter visto seus filmes, Sir".
"John Hurt foi um dos mais poderosos, generosos e autênticos atores com quem trabalhei. Um homem admirável. Vamos sentir sua falta", escreveu o ator americano Chris Evans no Twitter.
A britânica J.K. Rowling, autora da saga "Harry Potter" também lamentou a perda do "muito talentoso" Hurt.
Declarado "Sir" pela rainha Elizabeth II em 2014, John Hurt, nascido em 22 de janeiro de 1940 perto de Chesterfield, coração da Inglaterra, era filho de uma atriz amadora que o proibiu de ir ao teatro por considerar isto pouco recomendável para o filho de um pastor.
Fã de Edvard Munch, Hurt se voltou primeiro para a pintura e recebeu uma bolsa para estudar na Escola de Arte Saint Martin de Londres.
Em 1960 descobriu sua paixão pelo teatro e se matriculou na prestigiosa Academia Real de Arte Dramática (RADA), onde estudou por dois anos.
Paralelamente aos palcos, estreou na televisão e ganhou fama entre os britânicos por sua interpretação do escritor travesti Quentin Crisp e depois do imperador romano Calígula.
Sua carreira decolou definitivamente no fim dos anos 1970 com as participações em "O Expresso da Meia-Noite" e "Alien".
John Hurt atuou em quase 140 filmes e em várias séries de televisão.
Muito conhecido na Grã-Bretanha, o ator venceu o Bafta em quatro oportunidades.
O câncer de pâncreas foi diagnosticado em 2015, mas o ator não deixou de trabalhar.
Seu papel mais recente no cinema foi o do pader Richard McSorley em "Jackie", sobre a ex-primeira-dama dos Estados Unidos Jacqueline Kennedy.
Em julho do ano passado, o ator se viu obrigado a abrir mão de uma peça de teatro por recomendação dos médicos.
"É com grande tristeza e grande decepção que devo renunciar", afirmou na ocasião.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS