Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. João Corrêa, 1017 - Centro - São Leopoldo/RS - CEP: 93010-363
Fones: (51) 3591.2000 - Fax: (51) 3591.2032

PUBLICIDADE
Cris Manfro

Falando da vida dos outros

"A velha máxima de que cabeça vazia é a oficina do diabo é a maior verdade que existe"

Cris ManfroCris Manfro é psicóloga clínica, terapeuta de família e casal e mediadora familiar

acmanfro@terra.com.br

Você está cheio de coisas para contar? Contar dos seus projetos, dos seus sonhos e das metas que você tem, das coisas que tem realizado e do que ainda tem por realizar? Você está cheio de trabalho que lhe dá muito prazer, de planos para executar, de tarefas a cumprir? Você também está cheio de festas para realizar e para curtir? Você está apaixonado, amando e sendo amado, curtindo as delícias que o amor traz? Você tem se deliciado com as realizações de seus filhos e netos? Então vou falar com absoluta certeza: você não fala da vida dos outros! Você não se interessa pela na vida dos outros. Você não opina e muito menos julga os outros.

Quanto menos você faz na sua vida, mais você presta atenção na vida dos outros. A velha máxima de que cabeça vazia é a oficina do diabo é a maior verdade que existe. O tédio é o terreno fértil para o que chamamos na psicologia de pensamentos disfuncionais, o que quer dizer: pensar bobagens! Pensamentos que não têm nenhuma função além de atormentar você ou os outros. Na maioria das vezes azucrinar os outros. Às vezes até pessoas que você nem conhece.

Adolescente sem ter o que fazer é aborrecimento na certa. Pessoas de idade sem ter com o que se ocupar é sinônimo de espiar vizinhos. E adultos com a cabeça vazia é sinônimo de gente fofoqueira. Essas pessoas são filósofas sem formação que tecem textos enormes a respeito da vida dos outros porque não têm o que contar das suas. Quanto menos você tiver para contar dos seus feitos, mais mau humor terá, mais complicará com bobagens, mais será repetitivo em besteiras. Esse tipo de pessoa precisa inventar coisas para se ocupar, no sentido literal da palavra.

Projetos impulsionam você a ter um sentido na vida. Trabalho realmente enobrece. Metas deixam você contente e com algo concreto a seguir. O tempo que você perde espiando a vida dos outros, comentando, debatendo, opinando, quando não discursando, pode ser usado para outros fins. Há um mundo de possibilidades, é incalculável. Há milhões de oportunidades para que você desfrute e se realize. Quanto menos focar na sua vida, menos irá realizar e mais vai focar na vida dos outros. Ocupe a sua mente para que ali não cresça erva daninha. Pois, quando você vê, ela tomou conta da sua mente, das suas relações e do seu dia a dia. Não deixe o jardim da sua vida ficar feio, muito feio. O mundo precisa de pessoas floridas.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS