Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. João Corrêa, 1017 - Centro - São Leopoldo/RS - CEP: 93010-363
Fones: (51) 3591.2000 - Fax: (51) 3591.2032

PUBLICIDADE
Tropeço na Série B

No Beira-Rio, onde já se viu...

Inter foi melhor, mas empate por 1 a 1 com o Criciúma pela Série B veio apenas no final do segundo tempo com gol de Klaus

Ricardo Duarte/Inter
D'Alessandro esteve pouco inspirado neste sábado
A casa colorada já foi palco de epopeias e de grandes conquistas na história do Internacional. Porém, na luta para voltar à primeira divisão nacional, o Estádio Beira-Rio tem sido o maior problema para o clube gaúcho. Neste sábado, na presença de mais de 25 mil torcedores, o Inter voltou a tropeçar em seus domínios. Contra o Criciúma, pela 12ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, o Inter sofreu um gol de bola parada no primeiro tempo, e chegou ao empate apenas no final do segundo tempo. Apesar ter apresentado um melhor desempenho, com mais posse de bola e chances de gol, o empate por 1 a 1, que deixa a equipe fora do G4 da competição, gerou novos protestos da torcida após o jogo e confrontos com o pelotão de choque da Brigada Militar e os seguranças do estádio.

Com o retorno de jogadores importantes, o Inter iniciou o jogo pressionando o adversário, mas foi surpreendido aos 4min, com gol de Lucão após cobrança de falta na área colorada. A partida que era para o time desencantar no Beira-Rio, mais uma vez se transformou em um drama. A equipe sentiu o gol do Criciúma e pareceu nervosa, chegando desordenadamente ao ataque e levando pouco perigo aos catarinenses no primeiro tempo. Atrás no placar, o Inter voltou para a etapa complementar correndo contra o relógio. No primeiro minuto, Pottker quase marcou, e três minutos depois teve um gol mal anulado pela arbitragem. O assistente levantou a bandeira no começo da jogada, quando Uendel deu o passe de cabeça para o camisa 99.

E quando a fase não é boa, tudo parece conspirar contra. O Inter encurralou o Tigre no campo de defesa, mas faltou efetividade aos atacantes e inspiração aos meias, inclusive D’Alessandro. E quando o torcedor estava dando às costas ao que via em campo, o zagueiro Klaus, natural de Dois Irmãos, subiu mais alto e empatou com gol de cabeça aos 47min. Dentro de um contexto, o empate salvou o time do pior.

GUTO SEGUE

Apesar do discurso dos dirigentes de manter Guto Ferreira como técnico, o gol de Klaus no fim do jogo pode ter amenizado a conta do treinador. “Queríamos estar no G4, mas estamos com pouca distância. Quando entrarmos não vamos sair. Tenho convicção que os resultados virão. Guto é o nosso treinador e continuará sendo”, garantiu o vice-presidente de futebol, Roberto Melo. O Inter volta a campo pela Série B na terça-feira, às 20h30, quando encara o Ceará, no Estádio Castelão, em Fortaleza.

Ficha Técnica

INTER

Danilo Fernandes; Cláudio Winck (Juan), Klaus, Cuesta e Uendel; Rodrigo Dourado, Edenilson, Felipe Gutiérrez (Brenner) e D'Alessandro; Pottker e Nico López (Diego). Técnico - Guto Ferreira.

CRICIÚMA

Luiz; Diogo Matheus, Raphael Silva, Edson Borges e Diego Giaretta; Jonatan Lima, Barreto (Jocinei), Douglas Moreira (Ricardinho) e Fabinho Alves (Alex Maranhão); Silvinho e Lucão. Técnico - Luiz Carlos Winck.

Detalhes

Local - Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre. Arbitragem - Dyorgines de Andrade, auxiliado por Fabiano Ramires e Edson dos Santos (trio capixaba).


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS