Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. João Corrêa, 1017 - Centro - São Leopoldo/RS - CEP: 93010-363
Fones: (51) 3591.2000 - Fax: (51) 3591.2032

PUBLICIDADE

Fila da saúde começa a andar em Esteio e a previsão é de 14 mil atendimentos até dezembro

Pacientes estão sendo chamados conforme a ordem de posição na fila de espera

Divulgação/PME
Pacientes estão sendo chamados conforme a ordem de posição na fila de espera
No Brasil a expressão “cortar na própria carne” é de difícil aplicação, principalmente na esfera pública. Basta apertar o orçamento ou não ser possível manter a estrutura que o reajuste de impostos entra na pauta, juntamente com projetos para mudar e ampliar formas de arrecadação, além da redução de serviços. Mas alguns gestores encaram a expressão, que muitos cidadãos colocam em prática no cotidiano para sobreviver. A prefeitura de Esteio, por exemplo, está cortando gastos para direcionar mais recursos para a saúde, em especial para a fila de pessoas aguardando atendimento, que tem gente na espera desde 2014.

A ideia do titular da pasta, Gerson Cutruneo, é reduzir essa fila. E o trabalho já começou. Até a última semana a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) registrou 1.452 atendimentos pela ação. Os pacientes estão sendo chamados pela SMS conforme a ordem de posição na fila de espera e atendidos em clínicas contratadas por meio de credenciamento de prestadoras de serviços.

“A previsão é atender 7.500 pacientes aguardando. Sobre isso é preciso prever entorno de 70% de reconsulta. Alguns problemas não são resolvidos em primeiro atendimento. Então, vamos chegar a 14 mil atendimentos até 31 de dezembro. Essa é a nossa meta para a fila. Além disso, tem mais os pacientes novos entrando”, ressalta Cutruneo. A maior parte das pessoas, atendidas ate agora, envolveram as especialidades de traumatologista/ortopedista, totalizando 793 atendimentos em um mês. Também estão ocorrendo atendimento especializado com oftalmologista, neurologista adulto, gastroenterologista, endocrinologista e pneumologista adulto (47). Também fazem parte do mutirão a neurologia pediátrica, a reumatologia e a pneumologia pediátrica.

Para conseguir fazer literalmente 'a fila andar', a prefeitura fez ajustes e já estuda mais mudanças. “Identificamos a necessidade de trabalhar nas filas de espera para exames e atendimento de especialidades em nível de consultório, além cirurgias no caso da oftalmologia. A redução no valor de repassa da prefeitura para o carnaval virou contrato para oftalmologia. A redução de horas extra em todo o sistema da administração resultou em mais recursos para a saúde. Também fizemos redução de custeio de quase 1 milhão de reais em sete meses, envolvendo melhor controle de gastos com água, luz, telefone, ar condicionado. Quando foi para renovar aluguel de alguns prédios utilizados pelo município, os proprietários concordaram em reduzir o valor. O aluguel da secretaria de saúde teve redução de 24%, por exemplo, na negociação. Também fizemos revisão nos contratos dos laboratórios. Juntamos solicitações de exames do hospital e rede básica, conseguindo preços melhores.”

Mais ajustes

Cutruneo explica que Esteio está atendendo além do que deveria, pois alguns especialidade são de responsabilidade do Estado. Caberia ao município atendimento com clínico geral, ginecologista, pediatra, obstetra e os serviços de infectologia e saúde mental, por meio do SAEs. “A demanda é muito grande para atendimento especializado por isso a necessidade de seguirmos com ajustes para dar conta. Vamos, por exemplo, em breve, instalar toda a estrutura da secretaria da saúde em um único local. Isso vai envolver a parte administrativa, de vigilância em saúde, farmácia, almoxarifado. Colocar tudo em um local para reduzir custos e sobrar mais recursos para atendimento da população.”

Mas ele reforça que há limites. Esses limites envolvem, por exemplo, serviços de média e alta complexidade, que são, na avaliação dele, responsabilidade do Estado, como traumatologia cirurgia.

Saúde é prioridade

Para o prefeito Leonardo Pascoal, a saúde pública é prioridade de sua gestão. “A saúde é o bem maior do ser humano. Nossa obrigação, enquanto gestor, é garantir aos cidadãos o acesso a um serviço de qualidade, por isso a importância de investirmos em ações efetivas na rede básica, especialmente em consultas especializadas. Muitas pessoas aguardam por uma consulta há mais de dois anos e não vamos medir esforços para acabar com essa espera”, ressalta por meio da assessoria de comunicação.

Qualificar a rede básica

A iniciativa faz parte do programa Esteio por Mais Saúde, que tem por objetivo qualificar a rede básica de saúde no município e, com isso, prestar melhores serviços à população. Além da contratação de consultas e exames, também estão previstas a ampliação do número de profissionais no setor, compra de equipamentos, melhorias na Farmácia Básica e na Fundação de Saúde Pública São Camilo e modernização nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs). O programa também Esteio por Mais Saúde tem envolve a ampliação de profissionais na rede básica de saúde com a contratação de 11 médicos: clínico geral, pediatra, gineco obstetra, psiquiatra e ortotraumatologista.

Mutirão de consultas especializadas*

Traumatologista/ortopedista – 793

Oftalmologista – 270

Neurologista adulto – 171

Gastroenterologista – 118

Endocrinologista – 53

Pneumologista adulto – 47

*Dados até a última semana

Dados gerais

Previsão de aproximadamente 14 mil procedimentos até o final do ano

Investimento: R$ 771 mil

Especialidades: endocrinologia, gastroenterologia, neurologia (adulta e pediátrica), reumatologia, pneumologia, traumatologia

Redução de custos

A meta estabelecida pelo Programa de Redução de Custos na Administração Direta do Município de Esteio deve ser atingida antes mesmo do período estimado. O prefeito Leonardo Pascoal anunciou nesta semana que, dos R$ 2,25 milhões previstos para serem reduzidos das despesas até o final deste ano, já foram economizados quase de R$ 1,61 milhão, ou seja, 71,5% da meta anual. Entre os destaques na redução das contas, o prefeito apontou o corte nas horas extras.

“Todo esse controle se dá pela organização das escalas dos servidores, mas especialmente, na presença de pontos biométricos em praticamente todos os setores da administração”. O programa de Redução de Custos na administração foi instituído por decreto assinado em 23 de junho. A meta efetuar corte de gastos dos órgãos municipais com materiais de consumo, locação de bens móveis e imóveis, água, energia e telecomunicações, diárias e horas extras.

Recursos em São Leopoldo

O prefeito Ary Vanazzi confirmou nesta semana uma emenda de R$ 1 milhão para a saúde pública de São Leopoldo. A emenda, iniciativa do deputado federal Dionilso Marcon (PT), será usada em 1 mil procedimentos voltados para as mulheres, em especial nas cirurgias de vesícula, varizes, e ginecologia, sendo que muitos diagnósticos abrangem ocorrências de câncer. “Com a crise em que o País vive, esse é um recurso que vai salvar vidas. Têm pacientes que esperam há três, quatro anos na fila”, afirmou Vanazzi.

A assessoria de comunicação da Prefeitura enfatiza que o recurso já foi empenhado pelo Governo Federal. A Secretaria da Saúde está no aguarda da liberação para organizar o agendamento dos procedimentos. “Vivemos um novo momento na cidade, com redução de terceirizações e aumento nas especialidades por conta da nova escala de horários. Isso gera uma economia mensal de R$ 125 mil”, destaca o secretário Fábio Bernardo da Silva”.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS