Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. João Corrêa, 1017 - Centro - São Leopoldo/RS - CEP: 93010-363
Fones: (51) 3591.2000 - Fax: (51) 3591.2032

PUBLICIDADE
Espanha

Milhares manifestam em Barcelona contra a independência da Catalunha

Manifestantes respondem ao chamado de um coletivo anti-independência, cujo slogan é 'Chega! Recobremos a sabedoria', e se vê como a 'maioria silenciosa'
08/10/2017 11:06 08/10/2017 11:11

Lluis Gene/AFP
Milhares saíram às ruas da Catalunha para protestar
Milhares de espanhóis da Catalunha e de outras partes do país invadiram, neste domingo (8), as ruas de Barcelona para manifestar sua oposição à independência da região, uma semana após o referendo de autodeterminação que desencadeou uma crise política sem precedentes em 40 anos.

A manifestação, que contou com a participação de 350 mil pessoas, segundo a polícia local, e 950 mil, de acordo com os organizadores, foi encerrada com um discurso de Mario Vargas Llosa, Nobel de Literatura que viveu alguns anos em Barcelona.

"A paixão pode ser destrutiva e feroz quando motivada pelo fanatismo e o racismo. A pior de todas, a que mais tem causado estragos na História, é a paixão nacionalista", declarou Vargas Llosa, no palco instalado em frente à Estación de Francia.

Os manifestantes respondem ao chamado de um coletivo anti-independência, cujo slogan é "Chega! Recobremos a sabedoria", e se vê como a "maioria silenciosa" que não teve voz desde que as autoridades separatistas organizaram a votação.

Os separatistas ameaçam declarar a independência de forma unilateral nos próximos dias, alegando ter recebido o apoio de 90,18% dos eleitores no referendo.

Lluis Gene/AFP
Protesto deste domingo é contra a independência da Catalunha

"Nós não queremos a independência. Mantivemos silêncio por muito tempo", disse à AFP Alejandro Marcos, um trabalhador da construção civil de 44 anos de Badalona, subúrbio de Barcelona.

De acordo com pesquisas, apesar de a maioria dos catalães defender a realização de um referendo formal, pouco mais da metade se opõe à independência de sua região.

Por enquanto, o impasse é total entre o chefe do governo conservador espanhol, Mariano Rajoy, e as autoridades separatistas.

O líder catalão Carles Puigdemont pede uma "mediação internacional", mas Mariano Rajoy se nega a dialogar até que os separatistas abandonem a ameaça de ruptura.

"O que eu quero é que a ameaça de declaração de independência seja retirada o mais rápido possível", porque "nada pode ser construído se a ameaça à unidade nacional não desaparecer", disse ele neste domingo ao jornal El Pais.

No sábado, em Madri, duas manifestações reuniram dezenas de milhares de espanhóis - uma pela "unidade" da Espanha e outra pelo "diálogo".

A concentração em Barcelona recebu apoio pelo Partido Conservador de Mariano Rajoy, pelo Partido Socialista catalão e pelo Ciudadanos, a principal força de oposição ao movimento de independência na Catalunha.

"Uma declaração unilateral (de independência) faria o país em pedaços", explicou ao jornal ABC Mariano Gomà, presidente da Societat Civil Catalana, uma organização anti-independência que organizou o evento.




Jornal VS
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS