Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. João Corrêa, 1017 - Centro - São Leopoldo/RS - CEP: 93010-363
Fones: (51) 3591.2000 - Fax: (51) 3591.2032

PUBLICIDADE
São Leopoldo

Servidores da Prefeitura dizem ter sido agredidos durante fiscalização em ferro-velho

Caso foi registrado na delegacia, e Secretaria de Saúde anuncia que irá acionar a Justiça
11/10/2017 19:50 11/10/2017 19:50

Divulgação
Servidor mostra as marcas da agressão
Sete agentes de saúde, que atuam no combate a endemias, foram agredidos verbal e fisicamente por funcionários de um ferro-velho no bairro Santos Dumont, na manhã de terça-feira. A informação é da Prefeitura de São Leopoldo, que tornou público o ataque relatado pelos servidores, que teria ocorrido durante uma visita de rotina para fiscalizar casas e estabelecimentos comerciais em busca de focos do mosquito da dengue e do zika vírus.
 De acordo com o relato dos servidores, ao chegarem no ferro-velho, um dos agentes teria sido acusado de furtar um celular durante a fiscalização. Para resolver o impasse, o servidor público sugeriu que a polícia fosse chamada. “Eles batiam com ferros nos meus joelhos, eu gritava para que parassem. Fui colocado dentro da nossa van e fui novamente agredido com barras de ferro. Apenas consegui proteger minha cabeça”, relata o servidor, que não teve o nome divulgado. Conforme a Prefeitura, três servidoras, que faziam parte da equipe, também foram agredidas. “Outros três agentes também apanharam com barras de ferros e pedras, além de levarem chutes e pontapés. A chave do motorista foi arrancada da van, dificultando a saída da equipe”, acusa a nota emitida pela assessoria de comunicação.
 Os servidores públicos conseguiram escapar e pedir auxílio para a Guarda Civil Municipal (GCM) no posto da Polícia Rodoviária Federal. “A situação demorou cerca de uma hora. Outros grupos de agressores chegaram no local e seguiram com as ameaças e as agressões”, relatou o servidor, que não será identificado por questões de segurança.

Guarda escoltou servidores

O tumulto cessou com a chegada da GCM. Os funcionários registraram boletim de ocorrência (BO) na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA)e fizeram exame de corpo de delito. A reportagem do Jornal VS tentou contato por telefone com o estabelecimento para que os responsáveis pudessem me manifestar, mas não obteve retorno. A Brigada Militar (BM) não chegou a ser acionada. De acordo com o sub-diretor da GCM, Pedro Gimenez, os agentes da segurança chegaram ao local quando o tumulto já havia terminado. “Foi feito o chamado para resgatar os funcionários do local, nós os escoltamos até a delegacia para registrar o B.O.” Segundo Gimenez. O caso registrado na DPPA deve ser encaminhado para 2ª Delegacia de Polícia (DP), mas até a tarde desta quarta-feira (11) ainda não havia chegado ao conhecimento do delegado Rodrigo Zucco.

Secretaria vai tomar providências

 O secretário da Saúde Fábio Bernardo da Silva visitou a equipe, na sede da Vigilância em Saúde. Ao lado da assessora jurídica da secretaria, Angélica Nery, Fábio Bernardo foi recebido pela diretora de Vigilância em Saúde, Vivian Bennemann. O secretário afirmou que nenhum tipo de intimidação será admitida. “Não vamos deixar de atuar e de realizar a fiscalização. Mais do que isso, vamos acionar a Justiça. O que ocorreu foi muito grave, uma violência contra servidores públicos no exercício da função. O fato de estarem em serviço é um agravante”, destacou Fábio Bernardo. A advogada Angélica Nery buscará apoio da Procuradoria-Geral do Município. A ideia é acionar criminalmente todos os responsáveis pelas agressões.


Jornal VS
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS