Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. João Corrêa, 1017 - Centro - São Leopoldo/RS - CEP: 93010-363
Fones: (51) 3591.2000 - Fax: (51) 3591.2032

PUBLICIDADE
Gilson Luis da Cunha

O que perdemos pelo caminho

Diário de bordo de um nerd no planeta Terra (Data estelar 21012018)
20/01/2018 15:38 20/01/2018 15:52

Gilson Luis da Cunha - Blog Diário de Bordo de um nerd no planeta terra

Gilson Luis da Cunha é doutor em Genética e Biologia Molecular pela Ufrgs, Old School Nerd, fã incondicional de livros filmes, séries e quadrinhos de ficção científica, fantasia e aventura

www.wattpad.com/search/Gilson%20Luis%20da%20cunha

Reprodução
Logo da livraria RockBooks
Na semana passada, Novo Hamburgo e o Vale do Rio dos Sinos perderam mais uma livraria. E não perderam só isso. Perderam um ponto de encontro para os apreciadores da cultura geek, leitores de quadrinhos, colecionadores de action figures, autores independentes e tantos outros, que tinham na RockBooks, até então capitaneada pelo amigo Félix Fausto, um dos espaços mais legais que já conheci no Rio Grande do sul. Saraus literários, encontros de leitores e colecionadores, além de outras iniciativas culturais, como doação de livros angariados pelo Félix, não acontecerão mais, ao menos, na loja física.

A crise é impiedosa e tem demolido com os planos de quem quer empreender nesse país. E, entre todos, poucos são mais atingidos que os responsáveis pelo comércio livreiro. Não se trata de um fenômeno restrito às pequenas e médias livrarias. Grandes redes, como a Livraria Cultura, empenham-se na luta pela sobrevivência. Esta última tem se lançado em movimentos arriscados, se expandindo, não necessariamente porque há mercado, mas porque se expandir é um meio de demarcar território.

A RockBooks continuará a participar de vendas em feiras e eventos. Mas não será a mesma coisa. Morando em Porto Alegre, lamento ter visitado tão pouco a loja. Além de ótimos preços e uma grande variedade de produtos, que nada deviam a lojas de quadrinhos de Porto Alegre ou outras capitais, o lugar tinha uma mística própria. O Félix tem um talento quase sobrenatural para encontrar raridades, como fanzines dos anos 90 onde muitos dos grandes autores brasileiros de ficção cientificam e fantasia, como Simone Saueressig, lançaram alguns de seus primeiros trabalhos.

A Rock Books deixará saudades. Era uma loja que, mais do que clientes, tinha amigos. Infelizmente, ainda não foi dessa vez que Novo Hamburgo conseguiu manter um espaço voltado para a cultura Pop (e não apenas a ela, como atestam os inúmeros volumes de clássicos da literatura universal que encontrei por lá). Todos entendemos que os tempos são difíceis para todos. Mas não deixa de ser curioso um incidente que o Félix me relatou: Um senhor idoso, de ótima condição financeira, passava periodicamente no balaio de doação de livros e saía dali com, pelo menos, dois ou três exemplares, na maior cara de pau possível. Não deixa de ser um sintoma dos tempos em que vivemos, onde há quem não se importe em gastar polpudas somas em artigos de grife que, em um ano, talvez dois, serão jogados fora.

Eu não me lembro das calças ou camisas que usei há três décadas. Mas me lembro dos livros que li. Mais do que isso. Eu os guardo comigo, na estante, na mente e no coração. Eles fazem parte de quem eu sou. E isso só foi possível graças a bancas e livrarias. Sou pelo progresso. Compro livros físicos pela Internet, assim como e-books da Amazon. Mas, acima de tudo, adoro a sensação de percorrer estantes, estantes físicas, e descobrir títulos que sequer sonhava existirem. Esse prazer da descoberta, de esbarrar em livros que você não conhece, é algo que se perderá. Só me resta lamentar pela gurizada e, em particular, pela gurizada de Novo Hamburgo e do vale, que perdeu mais um ponto de referência. Vida longa e próspera e que a força esteja com vocês. Até domingo que vem.




Jornal VS
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS