VOLTAR
FECHAR

Av. João Corrêa, 1017 - Centro - São Leopoldo/RS - CEP: 93010-363
Fones: (51) 3591.2000 - Fax: (51) 3591.2032

Blog Arquibancada

Aimoré na liderança, contratações e retomada do Sapuca

Aimoré volta a campo no final de semana e pode contar com reforços no elenco.

O Índio Capilé é líder. Esse é um fato há três rodadas. Ainda que existam outros clubes com o mesmo número de pontos, o saldo garante esse troféu simbólico para o clube. O mérito deve ser dado ao técnico Claiton dos Santos, que, mesmo com alguns desfalques, consegue manter certa regularidade. Há ainda oscilações, principalmente na segunda etapa. A dedicação exacerbada contribui para um cansaço, ainda mais quando a equipe atua dentro de casa. Na ida à São Gabriel, no entanto, a dosagem parece ter sido adequada e refletiu num consistente 3 a 1.

Fator centroavante

Um dos atletas que mais tem se esforçado nos jogos é o centroavante Irapuan Jr. Após a lesão de Brandão, que havia arrancado muito bem na Divisão de Acesso, o jogador que veio do Paraná reassumiu a posição, demonstrando muita transpiração, mas pecando na hora das conclusões. Com isso, a desconfiança e falta de outro homem para a posição, acionou a corneta das arquibancadas. Diante do São Gabriel, o homem de área finalmente desencantou ainda na primeira etapa e, depois, marcou mais um para voltar com dois tentos na bagagem.

Contratações

As balançadas de rede do atleta certamente lavaram a alma da comissão e também da direção. Mesmo assim, o clube busca reforços para o decorrer da competição. As principais necessidades, no meu entendimento, seriam o ataque e a articulação. Rafael Pilões era um dos objetivos de Paulo Costa, mas o atleta acertou com o Glória. Com poucos nomes no mercado, os corredores do Cristo Rei me trouxeram algumas informações acerca de tentativas. Uma delas seria o avante Matheus Guerreiro, que está no Itumbiara. Trata-se de um jogador brigador e pode desembarcar no Cristo Rei. Para subir, são necessárias peças pontuais. Em Vacaria, nomes chegaram e, em Pelotas também. Resta aguardar essa semana para projetar o futuro aimoresista.

Prazo encerrando

Quando digo que temos que aguardar essa semana é porque o prazo está estourando. Consultei a Federação Gaúcha de Futebol e, foram passadas as seguintes informações: 13 de abril é o último dia para a inscrição de jogadores na Divisão de Acesso de 2017. Além disso, foram esclarecidas situações acerca de nomes que podem ser incluído nos elencos. São apenas três reforços de primeira divisão por súmula, seja lá o estado do atleta. Ou seja, podem vir mais nomes que tenham atuado na elite, entretanto, apenas três podem atuar por jogo. Quanto ao número de inscritos, não há limite.

Sapucaiense volta a respirar

Na tarde dessa segunda-feira (10), acompanhei a vitória do Sapucaiense sobre o Riograndense. Com o ex-centroavante Alê Menezes na casamata, a equipe venceu de virada por 2 a 1. Os três pontos não foram os únicos fatores a serem comemorados em Sapucaia do Sul. Além de vencer, o time voltou a atuar na cidade, mais propriamente no Estádio Arthur Mesquita Dias. Devido a problemas estruturais, o clube vinha atuando, nos últimos anos, em outras cidades. Além do Cristo Rei, o Sapuca chegou a mandar disputas também no Estádio Passo d'Areia, em Porto Alegre.

Comemorar e centrar

O reencontro duplo e, breve passada de borracha no passado recente de derrotas com goleadas (realidade em 2016), deve sim ser comemorado. Aparentemente, o clube volta a carregar dignidade. Sobre subir para a Divisão de Acesso, ainda não posso grafar. Entretanto, Alê Menezes deixou claro, desde que chegou, que esse é o objetivo.

Avaliação das atuações do campeão do turno Aimoré

Nesta edição, alguns detalhes, qualidades e dificuldades enfrentada pelos aimoresistas.

A análise das atuações aimoresistas virão nos tópicos abaixo. Antes disso, necessito parabenizar o clube pela taça virtual do primeiro turno da Divisão de Acesso. No Grupo, a equipe está na ponta pela segunda rodada consecutiva. Com 10 pontos, o mesmo número de Guarani VA, Inter SM e Pelotas, o Índio Capilé tem mais saldo de gols e mantém a ponta. O grupo está muito parelho, com diferença de três pontos do primeiro para o último. Essa situação engrandece ainda mais a conquista parcial do time leopoldense comandado por Claiton dos Santos.

Equivalência

Dentro de campo, a situação é de um grande nivelamento. Ainda que o Aimoré tenha tido boas atuações, tem faltado competência na hora de “matar” o jogo, fator que contribui para essa manutenção do equilíbrio no grupo. Na partida diante do Pelotas, por exemplo, o time esteve vencendo, em casa, por 3 a 1. O placar, inclusive, poderia estar maior, caso algumas oportunidades tivessem sido aproveitadas. Em contra-ataques, injustificáveis se levarmos em conta que o time estava vencendo e com boa vantagem, os pontos foram perdidos.

Metodologia

Na matéria do jogo de segunda-feira, no empate contra o São Gabriel, cheguei a introduzir a questão metodológica nos comentários acerca da partida. Como o duelo encerrou próximo ao fechamento da nossa edição, não pude ampliar a análise na coluna. Nessa oportunidade, retomo uma situação que tem se repetido nas partidas aimoresistas. O primeiro tempo, normalmente, é de construção do resultado. Na beira do campo, Claiton dos Santos incentiva e cobra uma marcação com as linhas do 4-2-3-1 adiantadas. A forma de “apertar” o adversário funciona e, obriga os zagueiros a recorrer das ligações diretas.

Desgaste

A forma de atuar dá resultado e, normalmente, a etapa inicial é positiva e de boas atuações. Entretanto, é notável que o Aimoré, por condições estruturais, não possui condições de manter o comportamento em toda a partida. Assim, são comuns as bolas nas costas, principalmente dos laterais. No jogo fora de casa, contra o Santa Cruz, o placar elástico e feito logo cedo pelo Aimoré fora administrado. Mesmo assim, nos acréscimos, os leopoldenses tiveram um pênalti contra, defendido por Nicolas. Contra o São Gabriel, novamente uma penalidade contra devido a uma avançada adversária que pegou de surpresa a cabeça de área índia.

Simplicidade e tranquilidade

Conversei com jornalistas que acompanham o Aimoré e também torcedores. A impressão é semelhante. Falta essa tranquilidade para administrar o resultado. Não é recuar totalmente o time, mas saber lidar com o fator positivo. Divisão de Acesso talvez seja a edição mais complicada e delicada dos estaduais. Detalhes são sempre decisivos. É notável e admirável a pré-disposição dos atletas, entrega e “compra” da ideia do Claiton, mas é preciso uma balanceada. Uma tranquilidade e maior utilização da experiência (presente em diversos nomes do time) pode contribuir para atuações mais regulares.

Sapucaiense começa ambicioso

.

É tempo de retomada em Sapucaia do Sul. Quem passa pela frente do Estádio Arthur Mesquita Dias vê a calçada reformada, nota os materiais de construção e percebe que há homens trabalhando para revitalizar as dependências do estádio. O olhar curioso da comunidade tem motivo: internamente, uma força-tarefa trabalha para deixar o estádio em condições para a estreia do clube na Segunda Divisão.

Na tarde de ontem, o elenco se apresentou para o início dos trabalhos da pré-temporada, e ouviu palavras ambiciosas do gerente de futebol do clube, Irani Teixeira. A meta é reformar a maior parte dos ambientes, implementar uma academia com ar-condicionado para os atletas, reformar vestiários e alojamento, consertar o alambrado e recuperar o gramado. Muito trabalho para quem estreia na competição em menos de um mês.

Resta saber se as intenções irão além do discurso, para não repetir o vexame que o clube passou na última temporada, que inclui a maior goleada do futebol brasileiro em 2016, na derrota por 13x0 para o Novo Hamburgo, no segundo semestre, pela Copa Caçapava.

Vitória providencial

A vitória por 3x0 sobre o Inter-SM colocou o Aimoré na liderança do Grupo A da Divisão de Acesso. Basta analisar o calendário do Índio para perceber que a vitória era inegociável. No sábado, o Aimoré vai a Santa Cruz enfrentar o forte Avenida, e depois recebe no Cristo Rei o Pelotas, uma das potências da interior, e o Guarani-VA. É uma arrancada difícil, que se tornaria um calvário sem a vitória na estreia. Mais do que confiança, o resultado dá tranquilidade para que o grupo trabalhe e aperfeiçoe o desempenho. De acordo com as projeções de Claiton, o auge técnico e físico só será atingido a partir da quarta rodada.

Muitos gols na primeira rodada do Grupo A

A primeira rodada do Grupo A se encerrou na terça-feira, com a média exata de três gols por partida. O número não deve se manter, já que, historicamente, a média fica na faixa dos 2,3, mas indica o início de um campeonato atraente para os torcedores. Valorizada com a diminuição do número de participantes do Gauchão, a Divisão de Acesso possui mais participantes, envolve mais cidades e é mais longa do que a primeira divisão. De fato, devido ao equilíbrio e à tradição, é fácil encontrar torcedores que dizem preferir disputar o Acesso.

Reservas empatam jogo-treino

Na tarde de terça-feira, os jogadores do Aimoré que não atuaram na estreia disputaram um jogo-treino com os reservas do Cruzeiro-RS no Cristo Rei. O confronto terminou empatado em 1x1: Bruninho marcou o gol do Índio. Essas atividades são importantes para manter o condicionamento físico do grupo de jogadores equilibrado, além de oferecer possibilidades para Claiton. Os atacantes Patric e Irapuan Jr. seguem em tratamento, e devem desfalcar o Índio novamente sábado.

Rádio Índio Capilé comemora audiência

O projeto iniciou com contornos de sonho, mas se torna mais factível a cada dia. No ar há seis meses, a Rádio Índio Capilé, criada por torcedores do Aimoré, alcançou a marca de 1353 ouvintes na estreia do Aimoré pela Divisão de Acesso. Eles acompanharam o Índio na Copa São Paulo de Futebol Jr, e prometem transmitir todos os jogos do Aimoré na Divisão de Acesso. Para acompanhar o trabalho, basta acessar indiocapile.net, ou pesquisar pela rádio nos aplicativos de transmissão para Android e iOS.

Estreia promissora do Aimoré na Divisão de Acesso

No próximo sábado (11) o Índio enfrenta o Avenida, em Santa Cruz..

Por: Daniel Rohr (interino)

Os cerca de 600 torcedores que foram ao Cristo Rei na tarde de domingo (5) saíram do estádio com uma boa impressão. Embora o Aimoré tenha encontrado dificuldades para superar o ferrolho defensivo do Inter-SM na primeira etapa, a equipe de Claiton controlou as ações no meio de campo, valorizou a posse de bola e ditou o ritmo do jogo. A jovem equipe de Santa Maria tem pretensões mais modestas no campeonato, mas a ansiedade da estreia costuma pesar. Com imposição, o Aimoré deixou claro que não sairia de campo sem pontuar. A determinação é um alento para a torcida, que já conhece as dificuldades à espera do clube na Divisão de Acesso.

O valor da análise de desempenho

Na semana passada, o analista de desempenho do Aimoré, Jeferson Ramos, me explicou como atua a equipe de Santa Maria, e detalhou a estratégia que o Aimoré utilizaria para superar o adversário. Jeferson comentou que o time do técnico Vinicius Munhoz tem o hábito de sair jogando com a bola no chão desde o setor defensivo, e o Aimoré, com uma marcação alta, pressionaria a saída de bola para forçar o erro, a fim de roubar a bola já no campo ofensivo. Pois foi justamente o que ocorreu domingo.

Pelo menos quatro oportunidades de gol foram criadas a partir do erro da zaga do Inter-SM. No empate contra o Lajeadense, no último amistoso da pré-temporada, o gol de Brandão também foi originado dessa maneira. Novidade no clube, o trabalho da análise de desempenho será esmiuçado nas páginas do jornal em uma próxima oportunidade.

Insatisfeito, apesar dos gols

Com dois gols, Marco Antônio foi o herói do domingo. Bem posicionado e oportunista, ele abriu o placar para o Aimoré, aos 46 do primeiro tempo, e ampliou, de cabeça, aos 17 da segunda etapa. Na saída de campo, porém, o atacante mostrou insatisfação com o desempenho. “Eu, particularmente, não fiz uma partida que me dê orgulho”, revelou. “Eu me cobro muito mais. Os gols vieram, mas, na questão tática, dentro de campo, deixei um pouco a desejar”, avaliou, mostrando uma auto-crítica impressionante.

Zagueiro em grande fase

Uma das lideranças do elenco, Gullithi vive grande fase. O zagueiro canhoto atua com confiança, domina o setor defensivo e se impõe sobre os atacantes adversários. Ele reúne algumas características difíceis de encontrar em um zagueiro: é alto, canhoto e tem boa técnica para sair jogando. No domingo, ele consagrou sua atuação com o passe para o primeiro gol da partida. Se mantiver esse nível de atuação, tem tudo para ser um dos destaques do time no campeonato.

Excursão para Santa Cruz

A torcida capilé se organiza para apoiar o time na segunda rodada da Divisão de Acesso, no próximo sábado, dia 11, contra o Avenida, em Santa Cruz. Uma excursão partirá do Cristo Rei às 14 horas de sábado, ao custo de R$ 40,00, sem ingresso. Interessados devem entrar em contato com Erick Motta, no telefone (51) 992428824.

Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS