VOLTAR
FECHAR

Av. João Corrêa, 1017 - Centro - São Leopoldo/RS - CEP: 93010-363
Fones: (51) 3591.2000 - Fax: (51) 3591.2032

Blog Arquibancada

Estrela do guri

.

O Aimoré treinou nesta segunda-feira (11) e não terá muito tempo pra descanso. No sábado, a equipe foi pra Tramandaí, em meio a um feriadão para enfrentar o Real. O jogo foi 1 a 0, com gol do egresso da base Filipe. Ele estreou como profissional e já deixou a sua marca. Importante, ainda mais na circunstância adversa do jogo, em que o Índio não conseguia aproveitar as oportunidades. Lateral esquerdo, pé quente e qualificado. Para quem acompanha a base, não foi uma surpresa.

Décima rodada no domingo

Já garantido na próxima fase da Copa Paulo San’Ana, o Aimoré tem dois jogos antes do término desta primeira fase do campeonato. O São José é o enfrentamento desta quarta-feira, em Porto Alegre. No domingo, será o Cruzeiro, no Estádio Cristo Rei. A disputa válida pela décima rodada ocorre às 15h30. O horário e dia será o mesmo para todos os jogos que encerram os enfrentamentos das chaves A, B e C, de acordo com a Federação Gaúcha de Futebol.

Testes e acertos

 Os dois jogos serão boas oportunidades para os ajustes. Quem acompanha esse espaço, não aguenta mais ler minha “ode” aos centroavantes, entretanto, com eles à disposição, o time precisa de sequência. Contra o Real, houve mais poderia ofensivo, mas menos efetividade. Até o momento, essa talvez fosse a melhor das características dos times do técnico Fabiano Borba. Dois embates importantes e que propiciam dificuldades para testar a equipe com adversários do mesmo nível. Importante.

Adendo antropológico

 Nesse meio/final de coluna, usarei o espaço para uma reflexão a partir de algo ocorrido com o Aimoré na última semana. Trata-se de uma espécie de avaliação ou análise antropológica do futebol interiorano como um todo. No próximo tópico, relembro o caso da dispensa dos atletas Rafinha Carleti, João Antônio e Jéferson. A história repercutiu com matérias publicadas em um jornal porto-alegrense, que levou, principalmente, os depoimentos do Rafinha em conta.

Profissionalismo?

 O motivo teria sido a participação dos mesmos em partidas amadoras em troca de uma renda extra. Os vencimentos dos atletas, seriam em torno de mil reais, que é o piso de jogador de futebol. Para a dispensa, a direção aimoresista citou a falta de profissionalismo dos mesmos. Nesse instante, entendi os dois lados. O clube não pode aceitar que atletas que recebam, treinem e se alimentem no local, façam isso. É um risco grande e também abre espaço para outros desvios de conduta. Agora, é inegável que os atletas sofrem muito para manter as famílias, principalmente nos segundos semestres.

Processos e soluções

 Aqui em São Leopoldo, foram muitos os atletas que já circularam e, sequer receberam esses mil reais mensais. Atualmente, o presidente Paulo Costa está cumprindo com os pagamentos. Mas foram inúmeros os jogadores de outros tempos que ficaram sem salário. É meio desmotivador discutir o assunto, pois chegamos num ponto onde as soluções são pequenas. Sem investimentos ou empresários interessados, é complicado manter times em atividade. São desafios diários passados pelas gestões e, também pelos jogadores que tentam de alguma forma sobreviver na profissão.

Esboço do novo time aimoresista e a estreia na Copinha

Equipe enfrenta o Cruzeiro, no sábado (12), no Estádio Vieirão, em Gravataí.

Na tarde dessa quarta-feira (9), acompanhei praticamente todo o treinamento dos profissionais do Aimoré, realizado na Unisinos. O time se prepara para a estreia de sábado, às 15 horas, contra o Cruzeiro, no Vieirão. Simultaneamente, treinaram os juniores. Eles estreariam também no sábado, mas, de acordo com a Federação Gaúcha de Futebol, terão o jogo adiado. Dessa forma, os guris enfrentam o Soledade, pela Copa Sub-19, no dia 16, quarta-feira que vem, no Estádio Cristo Rei, às 15 horas.

Titulares

Nesse primeiro coletivo da semana, o técnico Fabiano Borba demonstrou um novo time. Para jogar fora de casa, o comandante parece preferir a cautela e a espera. Com isso, serão três volantes e três meias, ainda que, um deles, que será o Élton, ocupará o espaço do centroavante, quando o Aimoré tiver a bola.

Recomposição

Com essa forma de jogar, o Índio Capilé necessitará de uma transição rápida. No treinamento, houve momentos em que isso foi visto, com bons momentos de Thiago Correa, Marco Antônio e Élton. O que me preocupou, em momentos de avanços, foi a lentidão na recomposição.

Acerto

Não sei se como falso 9 ou como centroavante de ofício, mas sempre acreditei que fosse necessário que o Élton jogasse mais próximo à área. Assim, ele se desgasta menos e utiliza a grande qualidade na conclusão, assim como o bom cabeceio. Deslocar ele para o setor ofensivo, creio que tenha sido a melhor das mexidas. Há ainda dois treinamentos e mais modificações podem ocorrer, mas, momentaneamente, essa parece ser a ideia do treinador.

Primeiros testes, guris negociados e tristeza em Bagé

Equipe aimoresista teve dois testes com foco na Copinha.

O jogo-treino do Aimoré, realizado no último sábado (5) pela manhã, pouco trouxe de retorno analítico acerca do time que tem sido montado por Fabiano Borba. Mesmo assim, vejo também a situação com a máxima do: se és muito superior, é obrigado a ganhar. E ganhar bem! Dessa forma, o Índio atuou. O time era amador, mas os leopoldenses fizeram oito gols. Cumpriram a função, pelo menos.

Constatações

A disparidade técnica astronômica, entretanto, não deixou de demonstrar algumas situações. Há afirmações e reafirmações. A experiente dupla de zaga formada por Luis Henrique e Douglão tem qualidade. Ainda que tenha havido uma distância entre os volantes e a zaga, é importante constar o natural desligamento dos atletas pela atmosfera da disputa. Fora esses deslizes por circunstância, o time demonstrou maior uniformidade. Foram boas as movimentações dos extremos, dessa vez, representados por Thiago Correa e Marco Antônio.

Na criação

O time contou com o centroavante Giovani como referência, já que, por motivos médicos, Brandão foi poupado. A equipe criou boas chances, até pela facilidade do jogo, mas senti falta de um jogador específico: Diogo. O ex-camisa 10 do Aimoré, foi juntamente com Claiton dos Santos para o Cruzeiro. Eu realmente acho o atual elenco mais qualificado que o que esteve com a camisa aimoresista no Acesso. Entretanto, essa peça responsável pela criação, não existe. O articulador à moda antiga é uma raridade, por isso, entendo a dificuldade de buscar um atleta para a posição.

Guris negociados

Fluminense

Do vice-campeonato aimoresista no Gauchão de juniores, alguns atletas subiram e integram o elenco profissional. Dado o grande feito dos garotos, seria natural as sondagens e interesses em alguns nomes. De maneira imediata, no entanto, apenas dois “se empregaram” em outros clubes. Gabriel Rosseto, um dos mais jovens, fez gol no primeiro jogo da final, diante do Inter, e foi para o Fluminense, em empréstimo de um ano. Ontem (7), recebi a foto do gerente de futebol Lucas Kunrath, que está no Rio de Janeiro com o atleta, com o responsável pela base, Gustavo Duranti e, reencontrando o ex-Aimoré Matheus Plisca, que renovou com o Flu e segue como goleiro da base do time carioca. Outro atleta que terá uma nova casa é o meia Lucas Di Domênico. O camisa 10, de confiança do técnico Arilson Costa, foi para o Inter, de Lages. Domênico teve longa passagem na base colorada e joga de uma tradicional forma. Inteligente, tem grande passe e inteligência para atuar. Sem contrato com o Aimoré, ele não renderá cifras para o time leopoldense.

Violência em Bagé

O Grêmio Bagé perdeu de 5 a 1 no domingo para o Inter pela final da Terceirona. Mesmo assim, a equipe foi campeã do interior e estará na Divisão de Acesso do ano que vem. A parte triste da partida ocorreu após os 30 minutos do primeiro tempo. Uma confusão em campo, com jogadores e comissões, instaurou também uma briga nas arquibancadas. Depois de ameaços dos bageenses, que teriam tentado invadir a área destinada aos colorados, a Brigada Militar agiu de maneira exagerada.

A corporação utilizou bombas de efeito moral, acabou atingindo famílias e causou machucados, inclusive, em crianças. Como amante do futebol, recebi e acompanhei a notícia com profunda tristeza. Conversei com jornalistas do Jornal O Minuano, de Bagé, que também lamentaram o ocorrido. De acordo com Yuri Cougo Dias, que acompanha o futebol de lá, o clube vinha fazendo campanhas para chamar mais crianças e mulheres para os jogos. O ocorrido, certamente enfraquece a importante iniciativa. Triste.

Copinha qualificada

.

Ontem (5), nas arquibancadas visitantes do CT Hélio Dourado, do Grêmio, esteve o presidente do Aimoré, Paulo Costa. Costa foi observar os guris e revelou algumas novidades acerca do que o torcedor pode esperar para a Copinha. De acordo com o presidente, já há o acerto com pelo menos 15 atletas para a competição. Ele não quis revelar nenhum nome, mas garantiu que o “pacote” deve ser divulgado até o final da semana. “Vamos ter um time mais forte do que na Copinha do ano passado”, disse o presidente, que garantiu que aproveitará garotos que têm se destacado na base.

Personalidade

Ainda sem grandes detalhes dos profissionais, fui conferir a disputa entre os guris do Índio e a base gremista. O reforçado Grêmio, com os agudos e habilidosos Dionathã e Pepê, deu trabalho ao time do Aimoré. Mesmo assim, a equipe Índia demonstrou grande personalidade e obedecimento às determinações do técnico Arilson Costa. Os laterais guardaram posição e não deixaram espaço para os extremos tricolores. A dupla de volantes foi quem armou o time e, a zaga, demonstrou maturidade para afastar a bola da defesa.

Destaques

Além dos nomes responsáveis pelo balançar das redes, Leozinho e o assistente Ruan Xavier, o Aimoré teve grandes destaques. Domênico, camisa 10 e agora capitão, teve grande doação atuando recuado e, foi o responsável pelas principais tramas e tabelamentos na primeira etapa. Quem esteve muito bem o jogo inteiro, foi o volante Wesley, vindo de São José dos Campos, depois de ter enfrentado o próprio Aimoré na Copa São Paulo. O jogador chamou atenção do gerente de futebol Lucas Kunrath e veio parar no Cristo Rei. Chegou e logo assumiu a titularidade. Canhoto, forte fisicamente e com desarmes pontuais, ele tem boa saída de jogo e frieza para o comando da meia cancha.

Zaga séria

Além do volante Wesley, preciso destacar uma outra grande atuação. O zagueiro Vinícius chegou no início do ano, sem grande grife, como costumam falar no futebol. Ao lado de Darlan, que iniciou o Gauchão como capitão, o atleta cresceu e tem feito grandes partidas. Na tarde de ontem, ele demonstrou a mesma seriedade e tranquilidade de sempre, foi o maior desarmador aimoresista e, novamente, ganhou praticamente todas as bolas aéreas. Ao final do jogo, o garoto foi substituído por Rafael por estar com cãibras após tanta dedicação. Merece muito respeito e aplausos pela doação.

A muralha Tales

Outro que merece toda a reverência é o goleiro Tales. Ele chegou no início do ano, foi incluído no plantel dos profissionais e teve grande evolução. Seguro, ele novamente foi o nome do jogo e teve atuação ainda mais grandiosa que no primeiro jogo, quando segurou o pênalti da promessa gremista Jean Pierre. A única coisa que senti um pouco de falta do atleta foi uma maior tranquilidade e experiência na hora de segurar um pouco a partida. Mesmo assim, quando acionado, foi muito bem. Se todo time começa por um grande goleiro, essa parte está assegurada para os guris aimoresistas.

Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS