VOLTAR
FECHAR

Av. João Corrêa, 1017 - Centro - São Leopoldo/RS - CEP: 93010-363
Fones: (51) 3591.2000 - Fax: (51) 3591.2032

PUBLICIDADE
Niyama

Temperos maravilhosos da cozinha indiana

Fáceis de encontrar e muito saudáveis, gengibre, cúrcuma, cravos, pimenta em pó e canela dão muito sabor a vários pratos.

No ayurveda (medicina tradicional indiana), as ervas e temperos retirados da própria natureza têm um papel importantíssimo no equilíbrio dos doshas (biotipos). E para completar, ainda dão um sabor deliciosos a muitas receitas. O site YogaJournal enumerou cinco temperos da cozinha indiana que possuem muitas propriedades saudáveis - além de serem deliciosos e fáceis de encontrar. Tem também dicas de pratos ou bebidas para fazer com cada um deles. Confere aí, que vale a pena!

1. Gengibre

Origem: é nativo da China, mas, hoje, cresce em todo o mundo. O gosto mistura doce e apimentado e é um sabor muito usado na alimentação asiática.

Benefícios: o gengibre tem sido usado nas medicinas tradicionais chinesas, ayurvédicas e antigas da Grécia, Pérsia e Arábia para tratar uma longa lista de doenças. Entre elas, está a náusea. O gengibre pode ajudar a comida a passar de forma mais rápida pelo trato gastrointestinal, aliviando constipações leves ou indigestão. Estudos também indicaram o alívio de cólicas menstruais após a ingestão de gengibre. Além disso, testes feitos com as substâncias que dão ao gengibre o gosto e o cheiro "afiados", os gingerois e shogaols, ajudam a prevenir a propagação de células cancerígenas. 

Quantidade diária: 1/4 a 1/2 colher de chá de gengibre seco por dia, ingerida em pequenas doses, pode ajudar a acalmar a náusea, ajudar a digestão e prevenir constipação. Também é possível ingerir 1 a duas colheres de chá de gengibre ralado por dia, cru ou fervido no chá.

Experimente: o gengibre combinado com alho fica muito gostoso. Chá de gengibre com mel também é uma delícia. Ele também pode ser usado para temperar frango ou peixe,  como complemento para molhos picantes de ervas e em misturas para colocar em alimentos crus antes de cozinhá-los (spice rubs). 

2. Cúrcuma

Origem: a cúrcuma (também conhecida como açafrão-da-terra), seca e fresca, tem sido usada para temperar alimentos na Ásia há pelo menos 2,5 mil anos. A Índia costuma exportar muito.    

Benefícios: muito usada nas medicinas indiana e chinesa, a cúrcuma tem um componente chamado curcumina, que dá ao tempero a cor amarelada, pode ajudar a tratar ou prevenir doenças como diabetes, câncer, Alzheimer e doenças do coração. "Além da curcumina, a cúrcuma tem mais de 100 outros componentes ativos que provalmente agem sinergicamente para beneficiar a sua saúde", diz Sahdeo Prasad, PhD do Departamento de Terapias Experimentais do Centro de Câncer MD Anderson em Houston, no Texas. 

A cúrcuma também ajuda com úlceras, reduz sintomas da síndrome do intestino irritável, e combate alguns agentes cancerígenos presentes no cigarro. O Diário Indiano de Pesquisas Dentais ainda sugere que uma pasta de cúrcuma com sal e óleo de mostarda pode ajudar a tratar gengivite e periodontite. 

Quantidade diária: meia colher de chá por dia é o suficiente. O tempero é solúvel em gordura, por isso, cozinhá-lo com algum óleo ou leite de coco pode ajudar na absorção. Combiná-lo com pimenta preta ou branca também ajuda na velocidade com que ele é absorvido.

Experimente: tempere com cúrcuma pratos como feijão e grão de bico, pratos com arroz, curries vermelhos ou amarelos e vegetais fritos. 

3. Cravo

Origem: é o botão da flor da árvore de cravos, seco. É nativo da Indonésia, mas também são cultivados na Índia e em outros países asiáticos, além da Tanzânia e do Brasil.

Benefícios: cravos ficaram em primeiro lugar em um estudo francês das 100 comidas com maior quantidade de polifenóis, um grande grupo de antioxidantes encontrados nas plantas. Por exemplo: meia colher de chá de cravos contêm tantos antioxidantes quanto meio copo de mirtilos, tidos como uma grande fonte de antioxidantes. Até agora, os testes feitos com cravos não foram realizados em humanos, mas descobriu-se que são uma grande fonte do antioxidante eugenol, que tem se mostrado eficaz em combater a proliferação de melanoma. Também são ricos em ácido gálico, que ajuda na memória e alivia a inflamação cerebral que dá origem ao Parkinson e ao Alzheimer. 

Quantidade diária: ainda não há informações sobre doses recomendadas, mas cuide ao usá-lo, porque somente um pouquinho de cravo já pode fazer o sabor se sobrepor ao resto e se exagerar na quantidade, pode queimar a boca!

Experimente: curries com base de côco ficam deliciosos com cravo. Em líquidos para saborizar frutas também. Ainda é possível usá-lo em chá de ervas com cravo e na receita de arroz indiano. Também é ótimo colocar um pouco no sagu - mas cuidado para não exagerar, porque o sabor do cravo predomina se errarmos a mão. 

4. Pimenta em pó

Origem: no México, as pessoas comem pimentas há 8 mil anos. No século 15, foram levadas para a Europa, mas foi na Índia que se tornaram um tempero adorado. Mesmo que cresçam em todo o mundo, a Índia é um dos maiores produtores.  

Benefícios: as pimentas possuem substâncias chamadas de capsicinóides, sendo a mais comum a capsaicina. Quanto mais forte a pimenta, mais capsaicina ela contém, segundo Krishnapura Srinivasan, PhD e cientista-chefe do Instituto Tecnológico Central de Pesquisa em Comida em Mysore, na Índia. Capsaicina tem propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias e protege de várias coisas. Pode baixar colesterol, o que diminui o risco de doenças do coração e cálculos biliares. O tempero também ajuda a manter o peso por dar uma sensação de saciedade e por aumentar o ritmo do metabolismo. Além disso, a pimenta em pó ajuda a aumentar a absorção de vitaminas. 

Quantidade diária: Srinivasan sugere de 1/2 a 3/4 de colher de chá por dia divididas em várias refeições. Isso equivale de 2 a 4 pimentas secas, metade do que um indiano normalmente ingere por dia.

Experimente: pimenta é um bom tempero para sopas, lentilhas, carnes grelhadas e curries e molhos com base de tomate.

5. Canela

Origem: Feita com a entrecasca de uma árvore de canela, a versão em tempero da canela é cortada, seca e vendida em gravetos ou em pó. É nativa do Sri Lanka, no sul da Ásia. 

Benefícios: é um bom antioxidante e evita o envelhecimento precoce. É fonte de fibra, ferro, manganês e cálcio. Há pesquisas que indicam que a canela possui propriedades que ajudam a diminuir o açúcar no sangue. Além disso, pode ajudar na digestão e no tratamento de artrites e dores de cabeça.

Quantidade diária: uma pesquisa recente, feita pela Universidade Western de Ciências de Saúde, na Califórnia, afirma que pessoas com diabetes tipo 2 que ingerem de 1/4 a 2 colheres de chá por dia diminuem o açúcar no sangue em 25 mg/dL (decilitro). 

Experimente: a canela é excelente para colocar em alimentos assados como biscoitos, bolos ou pães. Também pode ser usadas em curries para bifes, no chai e em pudins ou sorvetes. Colocá-la no café também é uma boa pedida. 

Use a respiração como medidor de emoções

Consciência respiratória ajuda a lidar com a raiva, a ansiedade e a tristeza.

Depois de um fim de ano agitado e um mês de férias, estou de volta e tentando focar em um aspecto importantíssimo do meu dia-a-dia que acabo "esquecendo" com frequência: respirar. Não é engraçado como exalar e inalar para oxigenar nossos pulmões e administrar nosso fluxo de energia são coisas que fazemos durante toda a nossa vida, desde que nascemos, mas quase nunca prestamos atenção nisso?
Emoções negativas têm um efeito direto no modo como respiramos. Em um texto para o site Yoga International, o psicólogo, presidente e diretor espiritual do Instituto Himalaia, Rolf Sovik, afirma que é possível utilizar a respiração como um ponto de referência para nos darmos conta dos nossos sentimentos.
Respirar
Consciência respiratória
Segundo Rolf, formado em filosofia, música, estudos orientais e psicologia clínica, a dor das emoções é tão real quanto a dor física, mas lidar com ela costuma ser bem mais difícil. E algumas emoções deixam turva a nossa visão. Em períodos de ansiedade, por exemplo, pode ser difícil saber pelo que estamos ansiosos. A raiva, normalmente, tem mais a ver com nos defender do que nos focarmos na origem da fúria, e a tristeza por uma relação perdida, por exemplo, pode facilmente ser confundida com amargura ou necessidade de um novo parceiro ou parceira.
Precisamos aprender a nos observar com mais clareza. O problema é que fica difícil fazer isso quando reagimos defensivamente. Segundo Rolf, as duas maneiras mais comuns de lidar com isso - reprimir ou jogar pra fora - trazem apenas alívio temporário.
As emoções negativas podem ser dolorosas, mas são, também, uma oportunidade para examinar áreas da nossa mente e das nossas vidas que costumamos evitar. Evitamos a dor a todo custo (a ponto de enganarmos a nós mesmos, às vezes). Quando ela vem, pode chegar acompanhada de um desespero por não saber o que fazer. Perdemos o chão, a perspectiva.
Por isso, para aprendermos a olhar para as nossas emoções, o yoga sugere a respiração. Ao nos darmos conta de como estamos respirando, podemos reduzir nossas defesas e observar as verdadeiras fontes da dor emocional.
"Calma, respire fundo e conte até dez!"
Lembra da última vez em que ficou com raiva, assustado ou sobrecarregado? Sua respiração mudou. Segundo o yoga, a respiração afeta a energia do corpo e, através da consciência da exalação e da inalação, podemos influenciar nossas reações emocionais. Para ter consciência da respiração, é preciso praticar diariamente.
Quando estamos relaxados, a respiração flui com facilidade e o ar parece inesgotável. Quando estamos estressados, ela fica curta e rápida, sentimos a necessidade de respirar mais intensamente para que os pulmões deem conta - até precisamos bocejar, às vezes, para que mais ar entre no peito.
MeditaçãoPara praticar a consciência respiratória, faça o seguinte exercício:
- Sente-se ou deite de costas;
- Relaxe o abdomen, as costas e os lados das suas costela. Sinta a exalação e a inalação e experiencie a sensação de limpar e nutrir que vem com cada respiração;
- Reconheça que nenhuma respiração precisa ser perfeita - outra logo dá seguimento à anterior para corrigir qualquer sensação de falta de ar;
- Deixe sua respiração se tornar profunda e suave, fluindo sem pausas;
- Observe que, uma vez que sua respiração esteja suave e ininterrupta, não pode ser facilmente perturbada;
- A pressão de pensamentos e emoções na respiração acaba ficando reduzida;
- Sinta a fluidez do tempo. Se concentrando na respiração, você está no presente, não correndo atrás das horas ou se adiantando a elas;
- Perceba que, quando dá atenção à respiração, você assume uma postura mais quieta e observadora - você se torna um observador interno;
- Continue a observar sua respiração por um período entre 5 a 10 minutos, percebendo-a como se seu corpo inteiro respirasse.
Na hora H
Sol
Respirar em meio a uma reação emocional é radicalmente diferente do que durante períodos ou exercícios de consciência respiratória. Com uma prática diária, contudo, você vai descobrir que isso lhe dá a oportunidade de restaurar um estilo respiratório mais normal. Isso reduz os sentimentos de defesa que acompanham padrões de respiração distorcidos, e aquietam o impulso de descarregar ou suprimir uma emoção negativa sem considerar as consequências.
Confira algumas estratégias sugeridas por Rolf para lidar com três fontes comuns de estresse emocional: raiva, ansiedade e tristeza:
Raiva
Trate a raiva com cuidado. Normalmente, é um sinal de dor ou necessidade, mas também pode ser simplesmente um jeito conveniente de fazer você conseguir o que quer. Você pode ser um reator que se aborrece rapidamente, ou um reator frio, cuja raiva raramente atinge um ponto de ruptura. Sua raiva pode se manifestar como impaciência ou explodir, mas seja lá que forma tome, não é efetivo e suga muita energia.
O yoga oferece uma técnica que pode ajudar a administrar a explosão da raiva e dar tempo para processar a situação sem perder o controle. O método é sentir a respiração passando pelas narinas. Experimente agora! Sinta a inspiração e a exalação passando pelas suas narinas por um ou dois minutos e você vai começar a sentir um processo de centramento dentro de você. Quando está com raiva, se concentrar assim lhe dá tempo para ganhar uma perspectiva mais clara sobre a situação em volta de você. Então aprenda a mudar sua atenção para a respiração nas narinas quando sua raiva começa a aumentar. Ajuda a analisar a fonte da perturbação, ver os prós e os contras de liberar sua raiva e ganhar distância suficiente para escolher uma reação apropriada.
Ansiedade
A ansiedade está ligada ao futuro: ficamos ansiosos porque percebemos ou achamos que há perigo à frente. Quando a ansiedade se torna insuportável, leva a um sentimento de impotência. O que podemos fazer quando nos sentimos nervosos por causa da ansiedade?
Uma boa estratégia é mudar a atenção para a consciência respiratória o mais rápido possível - isso vai começar a acalmar sua agitação e a sensação de que você perdeu o controle. Se possível, sente ou deite e observe sua respiração de seis a oito vezes por dia. Tire cinco minutos na sua cadeira para fechar os olhos e observar a respiração. Caminhe pela quadra observando-a. Deixe que as sensações de exalar e inalar mantenham você relaxado e no presente para que possa pensar e agir clara e decisivamente.
Tristeza e depressão
A tristeza é a sensação de perda; depressão é o desligamento de respostas emocionais quando a perda parece esmagadora. Em qualquer um dos casos, a aparência de inatividade e inércia que, frequentemente, caracterizam estes dois estados é enganosa - a mente está ativa, passando por situações e situações e situações para tentar aceitá-las. Isso afeta a respiração criando pequenas pausas - momentos em que estamos perdidos nos pensamentos, momentos durante os quais a energia que precisamos tanto para nos sentirmos completos é sutilmente quebrada.
Você vai se sentir melhor se usar a consciência respiratória para manter um fluxo constante de respiração. Pratique com frequência. Deixe suspiros ou respirações profundas e pesadas alertarem você para o fato de que sua respiração foi interrompida. Não lute consigo mesmo. Encoraje a respiração a fluir sem pausas para que possa deixar sair a fadiga e a tristeza, recuperando sua energia.
A ideia é praticar a consciência respiratória todos os dias para que possamos criar uma rotina diária em que possamos confiar para nos equilibrarmos mais quando eventos perturbadores acontecem. Pratique dez minutos de respiração relaxada uma ou duas vezes por dia e use as dicas acima para tentar lidar com as situações que você encontra! 
Respiremos.
Namaste! _/\_

Sobre papéis em branco: uma anedota sobre colher o que se planta

Neste fim de ano, pense sobre o que você está jogando no mundo.

* Agradecimento especial à colega e amiga Débora Ertel, que ajudou a espalhar esta bela história.
falei aqui no blog sobre karma e sobre colher o que se planta. Na terça-feira, ao fazer uma reflexão sobre conflitos familiares e final do ano, durante a gravação do podcast Mente Viva, surgiu novamente o assunto do que, exatamente, estamos jogando no mundo. Ao falar, nossas palavras confortam ou envenenam? Ao agir, ajudamo-nos a evoluir ou arrastamos as pessoas para baixo? 
Ouvi uma história linda, que conta o seguinte: na escola, a professora resolveu fazer uma reflexão com os alunos. Pediu que eles escrevessem em um papel o nome do colega de quem não gostavam e colocassem em uma caixinha. Quando ela abriu a caixa, ficou assustada, pois viu ali muitos nomes. No entanto, um papel estava em branco.
Papel em branco
"Quem foi que não colocou nada no papel?", perguntou. Uma menina levantou a mão.
Ao observar a caixa novamente, a professora percebeu que não somente a aluna em questão não havia escrito o nome de colegas, mas o seu nome era, também, o único que não estava no papel de ninguém. 
É claro que não precisamos simpatizar com todas as pessoas ou mesmo sermos simpáticos todo o tempo. Aliás, entrar em contato com os nossos sentimentos negativos, ao invés de enterrá-los ou fingir que eles não estão lá, é essencial. Só que há uma diferença entre senti-los e espalhar a negatividade e o ódio por aí. 
Neste fim de ano, espalhe o amor. Foi um 2016 intenso. Complicado, violento e repleto de tensões nos mais diversos âmbitos. Mesmo assim, nem tudo foi ruim. Faça uma lista das coisas positivas que aconteceram no seu ano! Doe-se! Ao invés de presentes, se tiver disponibilidade, dê seu tempo, sua atenção. Aproveite aquele papel em branco para escrever coisas boas. E faça a sua parte para que 2017 seja melhor - nas suas relações, na sua vida profissional, na sua comunidade, na cidade, no estado, no País e no mundo. :) 
Um ótimo final de ano!
Namaste! _/\_

Reequilibre-se ouvindo o seu corpo

Vata, pitta ou kapha? Veja alguns sintomas de equilíbrios ou desequilíbrios para o seu biotipo segundo o ayurveda e confira dicas para reequilibrá-lo.

O corpo fala. O problema é que quase nunca paramos para escutá-lo. É essencial que tenhamos cuidado com nós mesmos - corpo, mente e espírito - e, por mais óbvio que possa parecer, poucas pessoas dão a eles a atenção que merecem (e precisam).
Culturalmente, o cuidado conosco e o desenvolvimento da autoconsciência não são tão incentivados. Muitas vezes, somos condicionados a pensar que virar o foco para dentro ou passar a tomar decisões e atitudes que nos colocam - e à nossa saúde - em primeiro lugar significa que somos egoístas e indulgentes. Na realidade, se não nos cuidarmos, e ficarmos "vazios", de alguma forma, ou doentes, não poderemos exercer ou expressar inteiramente amor, criatividade ou alegria.
Meditação
Segundo o Ayurveda, as pessoas podem se encaixar em um ou mais entre três biotipos: Vata, Pitta e Kapha. Eles são chamados de doshas e são derivados dos cinco elementos: éter, ar, terra, água e fogo. Vata é éter e ar; Pitta é fogo e água e Kapha é terra e água. Os biotipos reúnem características físicas, emocionais e mentais. Tradicionalmente, costuma-se ter um dosha dominante, um segundo dosha mais atuante e o dosha que está menos presente na sua fisiologia mente-corpo.
Tendo a mente, o corpo e o ambiente em que estamos em equilíbrio, estamos saudáveis. A ideia é poder transformar nosso ambiente e nossas escolhas de estilo de vida e alimentação de forma que possam condizer com nosso biotipo. Ao perceber sinais de desequilíbrio, é possível trabalhar para que os doshas voltem a estar em harmonia.
Um sinal de desequilíbrio comum são explosões muito frequentes de raiva. Muitas vezes, há tanta coisa não-resolvida do lado de dentro que elas acabam transbordando em quem estiver pela frente, seja um desconhecido, um familiar, cônjuge ou amigo. Abaixo, você pode fazer um teste simples para descobrir qual é seu dosha e conferir sinais de desequilíbrio e como reequilibrar-se em cada um deles.
"Se você acha que algo está faltando na sua vida, provavelmente é você mesmo." - Robert Holden
DESCUBRA QUAL É O SEU DOSHA. No teste, responda às perguntas (em inglês, use um tradutor online se precisar), tendo em mente padrões que podem ser considerados verdadeiros durante toda a sua vida. Se você desenvolveu alguma doença ou condição na infância ou na vida adulta, por exemplo, pense em como as coisas eram antes disso. Se mais de uma opção parecer verdadeira, escolha a que se aplica mais a você. No caso de aspectos físicos, as respostas podem ser mais óbvias. Os mentais e de comportamento são mais subjetivas, por isso, você deve responder de acordo com o que sentiu e agiu na maior parte da sua vida, ou, pelo menos, nos últimos anos.
KAPHA | Mexa-se!
Kapha
Quando desequilibrada, a pessoa que tem Kapha como dosha predominante sente-se:
- Letárgica;
- Apática;
- Aborrecida;
- Cansada;
- Isolada;
- Deprimida;
- Teimosa;
- Apegada demais a posses ou relacionamentos;
- Presa;
- Insegura
Quando equilibrada, sente-se:
- Calma;
- Relaxada;
- Tolerante;
- Capaz de perdoar;
- Afetuosa;
- Estável;
- Enraizada;
- Contente;
- Leal;
- Acalentadora;
- Devota;
- Paciente;
- Em paz;
- Empática;
- Receptiva;
- Com compaixão.
Para equilibrar-se, Kapha precisa de estímulo e movimento, de novas experiências, pessoas e eventos. Também precisam de exercício todos os dias, porque, sem ele, podem se tornar preguiçosos e aborrecidos. As pessoas Kapha entram e saem de equilíbrio de forma lenta, então é importante ser firme para manter esse dosha equilibrado. Algumas dicas:
- Diga sim para a variedade: as pessoas Kapha precisam fazer um esforço consciente para buscar novas experiências. Por sua natureza sólida e ligada à terra, a tendência a ficar preso e estagnar é grande, o que pode levar à depressão e outros problemas de saúde. Procurando a variedade, você pode incentivar sua paixão e canalizar sua força em maneiras que ajudam a expandir alegria e amor. Se você passou muito tempo na inércia, pode começar devagar, como tomar um caminho diferente para ir para o trabalho ou aceitar um convite que você normalmente recusaria. Também é possível dar um salto em direção ao desconhecido, como marcar uma viagem para um novo local ou se inscrever em alguma aula que você, talvez, normalmente, não faria. Experimente e veja o que é melhor para você. Lembre-se de que o que torna a vida estimulante não é o externo, mas a fagulha de percepção dentro de você. Conforme sua percepção se expandir, você deixa velhos condicionamentos irem embora, que fazem você dar demais, apegar-se demais ou limitar suas possibilidades. A meditação pode ser uma ferramenta poderosa para limpar as janelas da percepção e abrir-se para novos níveis. Ela ajuda kaphas a descobrir a atenção nata que possuem e experienciarem a leveza de ser.
- Faça exercícios todos os dias: a atividade física é uma das melhores maneiras de evitar a estagnação e o surgimento de toxinas no corpo. Já que Kaphas têm uma tendência à letargia e ao ganho de peso, é especialmente importante fazer exercícios regularmente e manter a energia funcionando. Os Kaphas possuem uma energia e resistência naturais e podem fazer vários esportes de alta intensidade. Faça exercícios que você goste e que se tornem parte da sua rotina diária. No começo, você pode sentir alguma resistência, mas se passar a se exercitar de forma regular, vai descobrir que anseia pela oportunidade de se mover, respirar e botar para fora a tensão do dia.
- Mantenha uma alimentação boa. Há uma tendência de ganhar peso para os Kaphas, por isso, é importante comer regularmente, alimentações balanceadas e não exagerar. O ayurveda recomenda que os Kaphas comam mais alimentos secos e com sabor adstringente ou picante, minimizando alimentos doces. Maçãs, torradas secas, cúrcuma e vários vegetais crus ajudam a prevenir o excesso de peso em Kapha e favorecem o sistema digestivo. Experimente tomar chá de gengibre quente com suas refeições para ajudar a aguçar as papilas gustativas. Comer uma colher de sementes de funcho inteiras depois de uma refeição também ajuda na digestão. Você pode mastigar as sementes como se fossem balas de menta.
- Mantenha-se aquecido e evite umidade. Kaphas são muito sensíveis a condições frias e úmidas, então prefira ambientes aquecidos e secos. Cuidado para não expor seu nariz, garganta e pulmões ao ar frio do inverno. Aqueça seu peito e use uma bolsa de água quente ou almofada aquecedora nas costas para ajudar. Para melhorar a congestão ou uma garganta inflamada, faça um chá quente fervendo um quarto de colher de chá de gengibre e cúrcuma em um copo de água.
- Concentre-se na alegria. Quando Kapha está desequilibrado, sente-se deprimido e aborrecido. Ao invés de afundar-se nessa linha de pensamentos, foque sua atenção na alegria. Pergunte-se: "o que me traz alegria?". Faça uma lista de experiências que enchem seu coração, como ler um bom livro perto de uma lareira, pintar um quadro, conversar com alguém amado, sentir o aroma de plantas, aprender algo novo ou simplesmente estar. Continue acrescentando coisas à sua lista conforme sua percepção se expande e escolha pelo menos um desses itens para experienciar todos os dias.
VATA | Encontre seu ritmo!
Vata
Quando desequilibrada, a pessoa que tem Vata como dosha predominante sente-se:
- Ansiosa;
- Inquieta;
- Deprimida;
- Sobrecarregada;
- Indecisa;
- Sem conseguir se focar;
- Impaciente;
- Impulsiva;
- Desatenta;
- Autocrítica;
- Exausta;
Quando equilibrada, sente-se:
- Feliz;
- Entusiasmada;
- Cheia de energia;
- Flexível;
- Criativa;
- Adaptável;
- Aberta;
- Espontânea;
- Motivada;
- Inteligente;
- Vibrante;
- Vivaz;
- Sensível;
- Resiliente;
- Alegre;
Vatas adoram empolgação e variedade, mas podem se tornar estimulados demais e cansados. Ao invés de comer, dormir e exercitar-se regularmente, vatas desequilibrados comem rápido, pulam refeições, se exercitam irregularmente e vão dormir em horários estranhos. O caminho para o reequilíbrio é manter hábitos balanceados, prestar mais atenção a ritmo e regularidade todos os dias. Algumas dicas:
- Descanse bastante. Sono renovador abundante é muito importante para Vatas. É importante ir dormir e levantar na mesma hora todos os dias. Essa regularidade na sua rotina de sono ajuda você a adormecer e manter-se dormindo, permitindo o descanso amplo que você precisa. Quando sentir que está se forçando demais ou fazendo demais alguma atividade, seja física ou mental, pare e descanse por cinco minutos. A melhor forma de descansar, além de dormir, é a meditação. Quando você medita, seu ritmo cardíaco e a respiração ficam mais lentos enquanto seu corpo inicia um processo de autocura. Vata é o dosha que mais se beneficia da meditação. Depois de passar alguns minutos em silêncio interior, o Vata emerge sentindo-se ajustado e renovado. 
- Comece seu dia com uma automassagem. Quando acordar, massageie seu corpo com óleo morno de gergelim ou algum outro óleo que regule Vata. No Ayurveda, essa prática é conhecida como auto-Abhyanga, e funciona particularmente bem para Vatas, que costumam ser secos e frios. 
- Tenha uma alimentação balanceada para Vata em um horário determinado. Mesmo que o apetite de Vata seja variável, é importante que você coma refeições nutritivas em intervalos regulares. Esse dosha se desequilibra muito fácil com um estômago vazio e as pessoas com esse biotipo predominante tendem a se sentir desequilibradas, exaustas ou mal-nutridas se não comerem três refeições por dia. Certifique-se de incluir um café-da-manhã quente e nutritivo com alimentos substanciosos. Comer um pouco de gengibre fresco ajuda a estimular o apetite antes das refeições e ajuda na digestão.
- Tome muitos líquidos aquecidos durante o dia. Já que Vata tem uma tendência a ser seco e ficar desidratado, crie uma rotina para aproveitar bebidas quentes. Tente água morna com limão ou chá de gengibre fresco. Prepare o chá colocando uma colher de chá de gengibre ralado em uma garrafa térmica e a encha com água quente. Você também pode tomar uma xícara de leite quente com um pouco de cardamomo ou noz-moscada antes de dormir. Dica: não consuma cafeína ou álcool quando estiver tentando reequilibrar Vata. Esse dosha se desequilibra com estimulantes.
- Concentre-se no amor. Quando Vata está desequilibrado, você pode sentir-se sobrecarregado com medo e preocupação. Ao invés de concentrar-se nestes sentimentos, foque no amor e na compaixão. O que enche seu coração de amor? Pode ser simples como passar alguns momentos brincando com seu cachorro ou gato, parar para apreciar a beleza de uma árvore, ou escrever um bilhete de agradecimento a um amigo. Crie uma lista de práticas simples de amor e escolha um momento para aproveitar um deles pelo menos uma vez por dia. Se você se sentir ansioso, coloque a mão sobre seu peito e respire fundo por um minuto enquanto considera as coisas pelas quais sente-se grato. Se criar ritmos e uma regularidade que nutrem sua mente, corpo e espírito, vai se descobrir mais energizado, equilibrado e saudável.
PITTA | Descanse!
Pitta
Quando desequilibrada, a pessoa que tem Pitta como dosha predominante sente-se:
- Agressiva;
- Crítica;
- Imprudente;
- Ressentida;
- Argumentativa;
- Sarcástica;
- Irritável;
- Exigente;
- Impaciente;
- Ciumenta;
- Hostil;
- Intolerante;
Quando equilibrada, sente-se:
- Aquecida;
- Cheia de energia;
- Alegre;
- Corajosa;
- Confiante;
- Focada;
- Perceptiva;
- Criativa;
- Apaixonada;
- Inspirada;
- Inteligente;
- Empreendedora;
De todos os doshas, Pitta é o que tem maior impulso interno, agressividade e energia. Como Pitta, você adora desafios e faz as coisas com o maior esforço possível. Mas caso se force demais, sua energia pode acabar em exaustão e doença. O remédio é começar a cultivar hábitos balanceados, prestando mais atenção em moderação e descanso todos os dias. Algumas dicas:
- Tire um tempo para baixar as atividades. Alternar descanso e atividades é o ritmo da vida. Já que Pittas têm tanta capacidade para a atividade, eles tendem a ignorar o resto do ciclo desse ritmo. É importante encontrar calma durante o dia. Ao invés de encher a agenda com reuniões e tarefas, deixe espaços para o rejuvenescimento. Separe um tempo para fazer pausas para caminhar na rua, meditar, escutar música que o tranquiliza e recarregar. No final do dia de trabalho, desligue seu telefone, resista à tentação de checar e-mails e não leve trabalho para casa. Aproveite um jantar calmo e passe tempo com amigos.
- Medite. A meditação ajuda você a tornar-se uma ilha de calma em meio ao caos que o cerca. Por sua natureza, a meditação o leva para aquele canto silencioso dentro de você e trabalha gentilmente para diminuir a resposta ao estresse de "luta ou fuga". Os ritmos do seu coração e da sua respiração diminuem enquanto seu cérebro é estimulado a liberar químicos que o fazem se sentir bem e aumentam sua concentração e bem-estar, incluindo dopamina, serotonina, oxitocina e endorfinas. 
- Lembre-se de que descanso é a fonte da atividade dinâmica. O segredo dos grandes corredores não está na velocidade, mas no poder que encontram dentro deles mesmos antes de iniciar a corrida. Através da meditação, você pode descobrir que o maior poder pessoal é atingido sem agressividade. Experimente, em um ambiente silencioso, fechar seus olhos, respirar fundo e virar o foco para dentro. Concentre sua atenção no seu coração, no centro do seu peito. Sente-se silenciosamente e deixe sua atenção ficar lá. Se for distraída por pensamentos aleatórios, sensações no seu corpo ou barulhos no ambiente, concentre-se novamente assim que perceber que isso aconteceu. Depois de alguns minutos, abra os olhos. Pela próxima meia hora, observe se você permanece centrado. Não jogue-se imediatamente em demandas externas. 
- Mantenha-se frio. O frio em qualquer forma ajuda a equilibrar um Pitta ativo demais. Mantenha seu quarto refrescado enquanto dorme e não fique muito tempo tomando um banho quente, pois umidade quente demais pode fazer você se sentir nauseado ou tonto quando Pitta está desequilibrado. Se sentir-se aquecido demais, coloque uma compressa fria na sua testa e na parte de trás do pescoço, ou beba água fria. O Ayurveda recomenda apenas evitar água excessivamente gelada, porque prejudica o fogo digestivo. 
- Mantenha uma alimentação favorável a Pitta. Coma refeições moderadas em horários regulares três vezes por dia. É importante não comer demais, o que Pittas tendem a fazer se forçarem demais sua excelente digestão. Ao mesmo tempo, Pittas sentem uma fome imensa se pulam refeições. Se você tem um apetite fora de controle, tente, gradualmente, comer refeições menores, começando com três quartos do que você come agora. Consuma essa quantidade por um ou dois dias e então diminua para a metade da sua quantidade normal de consumo. No Ayurveda, o tamanho ideal da alimentação é o tamanho que enche suas duas em concha. Essa quantidade deve proporcionar ao seu estômago um espaço suficiente para uma digestão saudável. Dica: sabores amargos freiam o apetite, então tomar água tônica antes de uma refeição, ou comer uma salada com folhas verdes e amargas, como chicória, radicci, almeirão e alface, podem ser uma boa alternativa para não exagerar.
- Concentre sua atenção na beleza e na risada. Os Pittas têm um amor natural pela beleza que é maravilhosamente satisfeito por passar tempo na natureza. Aproveite a beleza da natureza sempre que possível: aprecie o pôr-do-sol, vá para fora e encare a lua cheia, caminhe na praia e em água corrente. Lugares bonitos ajudam Pittas a diminuir o ritmo e relaxar. Os Pittas já sabem como ser sérios, então precisam do tônico da risada mais do que qualquer outro biotipo. A risada solta o estresse e a raiva e deixam Pitta mais suave. Tente aproveitar uma boa risada profunda todos os dias. Tente assistir comédias, compartilhar suas piadas favoritas, e passar tempo com pessoas divertidas e brincalhonas.
Fonte: Chopra.com

Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS