Jornais
FECHAR
  • Jornal NH
  • Diário de Canoas
  • Jornal de Gramado
  • Diário de Cachoeirinha
  • Correio de Gravataí
Grupo Sinos
Publicado em 27/03/2015 - 09h12
Última atualização em 09/04/2015 - 16h41

Cupons de Desconto em Loja Virtuais Mostram Caminho Sustentável de Marketing

Cupons de Desconto em Loja Virtuais Mostram Caminho Sustentável de Marketing

Carlos Machado

Muitos brasileiros ainda associam cupons de desconto com a gama de sites de compras coletivas que uma vez existiu no Brasil. Em 2011, foi possível adquirir produtos e serviços a preços com mais de 50% de desconto em mais de 1000 sites em todo Brasil através dos chamados cupons. Existia uma verdadeira caça do ouro entre empreendedores em um mercado basicamente inexistente em 2010 que do nada gerou mais de R$1 bilhão de vendas. Especialistas do mercado já sabiam que muitas das jovens empresas não conseguiriam sobreviver, uma vez que o mercado tivesse se consolidado.

Uma queda tão brusca e rápida ninguém esperava. Hoje quase mais 90% das empresas sumiram do mercado e até os grandes jogadores do mercado começaram a restringir sua oferta de promoções com cupons a partir de 2013. Empresas como Groupon e Peixe Urbano buscaram outras saídas quando consumidores e anunciantes começaram a enxergar as deficiências do negócio.

Muitos clientes se depararam a estabelecimentos completamente despreparados para a quantidade de cupons vendidos, sofreram com a qualidade do serviço e não pagariam os preços regulares. A esperança dos estabelecimentos que todos estes consumidores se tornem clientes frequentes também não se realizou para a grande maioria dos restaurantes, spas e hoteis. Muitos nunca mais apareceram. Havia uma falha sistemática de sustentabilidade neste modelo de marketing como descreve Yuri Nagashi, dono de um restaurante em Campo Grande: “Fiz três ofertas em um site e depois desisti porque os clientes aproveitaram os cupons e ninguém voltou mais.”

Comparando os descontos que podem ser obtidos nos antigos sites de compras coletivas com outros sites tradicionais do ramo e as ofertas que as próprias lojas virtuais e empresas locais oferecem fica claro porque a compra coletiva não é mais atrativa. Não conseguem mais atrair consumidores com descontos fantásticos e os empresários não confiam mais na capacidade delas aumentarem de forma sustentável a sua vendas. Tudo que elas desejam são clientes satisfeitos e fiéis que voltam a comprar.
 
Neste ponto, os brasileiros começam a conhecer os cupons de desconto do seu outro lado, o sustentável. Com o número de compras efetuadas online crescendo mais 20% a cada ano, cada vez mais internautas procuram utilizar uma forma de pagar menos oferecida por quase todas lojas virtuais – os códigos promocionais. Quem já se perguntou para que existe um campo para cupons na finalização da compra, pode ficar mais esclarecido agora.
 
“A grande maioria das lojas virtuais oferece cupons de desconto permanentes ou temporários tanto para novos clientes quanto para clientes antigos”, explica Moisés Back do site PegaDesconto, que disponibiliza de forma fácil e gratuita a maioria dos códigos. Ainda segundo Moisés, diferente das compras coletivas, os cupons “não convencem o consumidor de comprar um produto ou serviço pelo impulso da promoção, mas proporciona uma oportunidade de economizar em produtos que ele já pretendia comprar.” Na comparação de preços entre loja virtuais pode ser o tamanho do desconto que decide onde será efetuada a compra ou o fato de poder um desconto de 10% em uma determinada linha de produtos ou até na loja toda, retém um cliente fiel na mesma loja.

Em comparação com os 80% ou 90% de desconto que os sites de compras coletivas ofereciam, 5% ou 10% através de um código promocional podem parecer minúsculas, mas representam ao mesmo tempo uma forma viável e confiável de conciliar interesses entre consumidores e comerciantes. Os brasileiros vem apreciando continuamente mais esta forma de relação com as lojas virtuais como confirmam as estatísticas de procura crescente pelos cupons publicados pelo Google. Aparenta ter uma forma mais sustentável de marketing de produtos e serviços com descontos do que a compra coletiva.