Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. João Corrêa, 1017 - Centro - São Leopoldo/RS - CEP: 93010-363
Fones: (51) 3591.2000 - Fax: (51) 3591.2032

PUBLICIDADE
Região

Xadrez mobiliza mais de 350 estudantes em Sapucaia do Sul

Projeto das oficinas foi retomado segunda-feira (12) na Escola Municipal Marechal Bitencourt
13/03/2018 08:45 13/03/2018 08:45

Alecs Dall'''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''/GES-Especial
Projeto das oficinas foi retomado segunda-feira (12) na Escola Municipal Marechal Bitencourt
Em 2009 o professor Iguatemi índio Charrua Siebra procurou a direção da escola para propor um projeto de oficinas de xadrez. O que ele não imaginava na época era que a ideia dele fosse simplesmente mobilizar muita gente Escola Municipal Marechal Bitencourt. E gente muito interessa nas aulas, nos torneios e em falar de xadrez em qualquer lugar, incentivando até mesmo pais e amigos a aprenderem. Ontem (12) as oficinas foram retomadas e com sala cheia. Conforme a diretora da instituição, Bárbara Regina da Silva Schumacher, mais 350 estudantes se envolvem a cada ano em atividades semanais com tabuleiros, peões e rainhas.

Gabriela dos Santos Radavelle, 13 anos, do 8.º ano; Evelyn Iglesias da Silva, 13, do 8.º; Gabriela Vieira, 9, do 5.º; Mariana Sewald, 10, do 5.º; Laura Gonçalves, 11, do 7.º; Rafael Lohan, 12, do 7.º e Raykon Taketa, 9, 5.º; são alguns alunos que adotaram o xadrez em suas vidas. Conforme Bárbara, as aulas acontecem no turno e no contraturno. No final de semana, por exemplo, escola promoveu um torneio. Mais uma maneira de enfatizar a prática de um jogo considerado fundamental para trabalhar concentração e estratégias.

“Gosto muito de jogar. Gosto de outras coisas também, mas o xadrez é especial”, ressalta Gabriela Radavelle. “Lembra um pouco RPG (em inglês Role Playing Game - estilo de jogo em que as pessoas interpretam seus personagens, criando narrativas, histórias e um enredo guiado por uma delas). Você precisa elaborar uma estratégia e observar a estratégia que está sendo também elaborada”, avalia Rafael, que na aula de ontem tinha Laura como adversária. “É muito bom jogar. Já faz parte da minha rotina na escola e em casa”, salienta Laura. Raykon, que já possui 18 troféus em diferentes torneios, comemora a existência das oficinas. “É bom contar com um espaço para esse jogo e com cada vez mais pessoas com vontade de jogar.”

Período livre para as estratégias

“Estava com dois períodos livres entre aulas. Então, pensei em criar um projeto. Elaborei um estudo em 2009 e apresentei para a direção da escola. Tratava-se de um projeto de xadrez. Busquei informações para reforçar a proposta e entra elas encontrei até mesmo uma recomendação da União Europeia em relação ao ensino de xadrez na rede de ensino, que é adotado por lá. A direção da escola apoiou a proposta e a nossa secretaria de Educação também”, ressalta o professor Iguatemi, reforçando que o interesse desde o primeiro tabuleiro só foi aumentando.

“Hoje são muitas turmas. Muitos alunos interessados nas orientações, interessados em jogar e em participar de torneios.” O professor, responsável também pelas aulas de Educação Física, já está preparando um grupo para participar de um campeonato que começa agora em março, a Copa Metrópole de Xadrez Escolar, e segue até o final do ano na capital. “São ações para incentivar ainda mais.” Ele lembra que em 2017 a escola foi bicampeã da Copa Metrópole de Xadrez Escolar.

Jogo de tabuleiro

O xadrez é um dos mais famosos e complexos jogos de tabuleiro da história. E a própria história é confusa em relação a origem. Há muitas teorias. A mais aceita é que xadrez tenha se iniciado na Índia, por volta do século 6, tendo como denominação Chaturanga e era formado por um tabuleiro contendo 64 quadrados, brancos e pretos, além de peças que representavam as tropas do exército, como a infantaria, a cavalaria, os carros de combate, os condutores de elefantes e o próprio rajá. Já as regras do xadrez que conhecemos hoje começaram a ser feitas em 1475. O primeiro torneio foi realizado em 1851 em Londres. Mais tarde, em 1924, foi fundada a Federação Internacional de Xadrez (FIDE), na cidade de Paris.


Jornal VS
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS