Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. João Corrêa, 1017 - Centro - São Leopoldo/RS - CEP: 93010-363
Fones: (51) 3591.2000 - Fax: (51) 3591.2032

Tecnologia
Tevê por assinatura

Operadora de tevê Sky pode ser vendida

Norte-americana Comcast, que controla NBC e Universal, fez oferta para comprar operadora
25/04/2018 18:07 25/04/2018 22:25

O conglomerado de serviços a cabo americano Comcast formalizou, nesta quarta-feira (25), sua oferta de 22 bilhões de libras (cerca de 31 bilhões de dólares) pelo grupo de televisão britânico Sky, superando a proposta do magnata australiano Rupert Murdoch. Após ter anunciado a oferta no fim de fevereiro, a Comcast, dona da NBC Universal, informou à Bolsa de Valores de Londres sua oferta de 12,5 libras por ação, destacando que ela é 16% maior do que a feita pela Fox, a empresa da família Murdoch.

"Estamos satisfeitos em formalizar nossa oferta pela Sky hoje", disse o presidente e CEO da Comcast, Brian L. Roberts, no comunicado à bolsa. "A oferta superior em dinheiro pela Comcast (...) é um prêmio significativo em relação ao preço da oferta da 21st Century Fox", destacou ele.

A Fox pretendia adquirir os 61% da empresa que ainda não possui, e inicialmente a Sky se mostrou interessada. Contudo, nesta quarta-feira, após a formalização do interesse da Comcast, ela anunciou que retirou seu apoio à operação.

A autoridade reguladora britânica da concorrência considerou que a compra da Sky pela Fox "não era do interesse público" e expressou seu medo de prejudicar a "pluralidade da mídia", porque a família Murdoch é proprietária, através da News Corp, de dois jornais diários, The Times e The Sun.

A oferta da Comcast reflete a luta dos titãs da mídia e das telecomunicações para resistir ao modelo de negócios transformado por novas empresas, como Netflix e Amazon. No último ano, intensificaram-se as grandes manobras na área de televisão e a tecnologia de "streaming", que permite assistir a programas, séries e filmes pela internet. A chave é o conteúdo, ou seja, a programação que é oferecida aos espectadores, mas sua compra se tornou cara.

A mudança de propriedade internacional da Sky não necessariamente teria reflexos sobre usuários no Brasil. A operadora no País tem outro nome jurídico e pertence a grupos empresariais locais, sendo por sua vez vinculada a um grupo latino-americano subsidiário do grupo controlador principal.



Jornal VS

Tecnologia

por André Moraes
andre.moraes@gruposinos.com.br

André Moraes é editor de Tecnologia do Jornal NH. Sua experiência profissional inclui o jornalismo de divulgação científica, publicações técnicas e reportagem de tecnologia.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS