Publicidade
Notícias | Região Reforma

Com retirada do telhado, reforma do Teatro Municipal chega ao seu último ato

Obra, que teve investimento de R$ 309 mil, deve ser concluída em setembro

Por Alecs Dall'Olmo
Última atualização: 12.07.2019 às 13:27

 

O telhado do Teatro Municipal de São Leopoldo foi retirado totalmente. Trata-se da última etapa estrutural da obra de recuperação do espaço cultural interditado desde junho de 2016. Com recuperação que está em andamento desde fevereiro, a ideia é finalmente resolver o problema, pois está sendo colocado um novo telhado. Nesta semana, por exemplo, foram fixadas novas vigas de sustentação para colocação da cobertura. A previsão inicial era finalizar a obra em junho, mas por conta de ajustes no projeto e também condições climáticas, a reabertura do local, conforme o secretário municipal de Cultura e Relações Internacionais, Pedro Vasconcellos, será em setembro. Na avaliação dele, está sendo resolvido de forma plena um problema estrutural grave do telhado.

Segundo Vasconcellos, não se trata de uma simples reforma, mas de uma troca do telhado por outro mais moderno, com telhas que não propagam chamas, cuidados na área acústica, atenção em relação ao sistema de forro, melhor circulação na plateia e sistema de drenagem adequado. "Foi um esforço do nosso governo para recuperar este espaço tão importante para a comunidade. Considero como o principal espaço de apresentação da cidade que está sendo recuperado em um momento que em outras cidades estão fechando suas casas de espetáculos e há uma carência geral de espaços para apresentações. A reabertura vai permitir que recebamos diversas atrações. Inclusive já temos uma parceria como o Sesc para montarmos uma agenda de apresentações assim que o teatro estiver pronto. Vamos entregar um espaço cultural com a qualidade que São Leopoldo merece."

O teatro tem

 

Made withVisme

 

Melhoria também na biblioteca

A Biblioteca Pública Municipal Viana Moog, que também está com problemas de infiltração no telhado, está fechada desde 16 de maio justamente para reformas no telhado. Conforme Vasconcellos, a ideia inicial era fazer também a troca geral do telhado, mas no momento será feita uma reforma, recuperando a parte danificada, visando acabar com as infiltrações. "Nosso objetivo com a reforma é reabrir a biblioteca junto com o teatro em setembro." Ele explica que a melhoria da biblioteca ainda está na agenda, mas a ideia é captar recursos, aproveitando dois editais que foram abertos: de Bens Lesados, do Ministério Público, do RS; e outro de Recuperação de Patrimônio, do governo federal.

Investimento chega a R$ 309 mil

Foto por: Diego da Rosa/GES
Descrição da foto: Teatro está interditado desde 2016
Conforme a Secult, o investimento final ficou em R$ 309 mil na reforma do telhado com recursos próprios da Prefeitura e da compensação do Patrimônio Histórico de São Leopoldo. Além de receber uma nova estrutura para o telhado, o projeto envolve ainda a troca do carpete e do forro, adaptação do Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI). Também está prevista a instalação de equipamentos de segurança do trabalho para a sala dos técnicos de imagem e de som. Melhorias também a área da plateia, reparos no palco e camarins.

Nesta semana, a equipe da Secult fez um levantamento parcial dos artistas que já subiram no palco do Teatro Municipal. Entre eles nomes como André Damasceno, Bete Coelho, Edwin Luisi, Ingra Liberato, Renato Pereira e Sérgio Mamberti. Também os músicos Hermeto Pascoal, Hique Gomes, Kleiton e Kledir, maestro João Carlos Martins, Nei Lisboa, Nico Nicolaiewsky, Teatro Mágico, Tiago Iorc e Vitor Ramil. O espaço também já recebeu atrações internacionais como o espetáculo Post, da companhia Cirque Bang Bang, da França; e Extravagância: Técnica Loucura = Arte, do grupo italiano Accademia della Follia.

 

"A cidade perde sem esse espaço", diz prefeito

O prefeito Ary Vanazzi vistoriou as obras de reforma do Teatro Municipal na quinta-feira. "Vamos devolver para a nossa cidade, para artistas e para o público o nosso Teatro Municipal, resolvendo esse problema do telhado. A cidade perde sem esse espaço. Ele é um estímulo para a cultura, para a produção, para a inclusão de São Leopoldo no roteiro cultural", destaca o prefeito, lembrando de desde que o auditório foi transformado em teatro, com sua estrutura técnica ampliada, chegou a receber um público de 10 mil pessoas por ano e várias produções locais, de cidades da região, da capital e também de outros Estados. O Auditório General Mario da Fonseca passou a condição de teatro em 2008.

 

 

 

Made withVisme

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.