Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. João Corrêa, 1017 - Centro - São Leopoldo/RS - CEP: 93010-363
Fones: (51) 3591.2000 - Fax: (51) 3591.2032

PUBLICIDADE
Operação Pólis

Polícia Civil começa a utilizar Camaro como parte da frota

Ao realizar balanço, foi anunciado o uso de carro esportivo, apreendido durante a investigação
04/06/2019 14:21 04/06/2019 14:22

-

Foto por: Divulgação / Polícia Civil
Descrição da foto: Veículo foi apreendido será utilizado em operações na região de Passo Fundo
Nesta terça-feira (4), foi apresentado o balanço do primeiro ano da Operação Pólis, pela Polícia Civil e pelo Ministério Público. Também foi entregue à comunidade uma viatura ostensiva um tanto diferente: um Chevrolet Camaro, que foi apreendido durante a operação.

Ao longo do primeiro ano de investigações, foram cerca de 400 pessoas investigadas e aproximadamente 150 milhões de reais em apreensões ou restrições de bens envolvendo mais de 150 imóveis com restrições e acima de 250 veículos com registro restringido(apreendidos, fiel depositário, busca e apreensão), além de mais de 2 mil quebras de sigilo (bancário, financeiro, fiscal e telefônico). Entre 2012 e 2018 os estelionatários movimentaram mais de 1 bilhão de reais, apenas nas contas bancárias.

Estima-se que desde os anos 2000, os estelionatários de Passo Fundo movimentaram mais de 10 bilhões de reais, com veículos, imóveis, valores obtidos com os crimes de estelionato. Já há inquéritos policiais remetidos ao Poder Judiciário com dezenas indiciados, denúncias e 4 investigados presos preventivamente.

Com relação ao Camaro, após autorização judicial concedida pelo Juiz Alan Peixoto de Oliveira, da 2ª Vara Criminal, foi realizado os tramites internos administrativos, e em parceria com o Ministério Público, através do Promotor Júlio Ballardin, foi destinado verba para o envelopamento, grafismo e colocação das luzes e sirenes, serviços que foram realizados somente pelo custo do material. A manutenção realizada para manter o veículo em condições de utilização, bem como futuras manutenções serão custeadas com os valores apreendidos com o investigado que possuía o Camaro.

Assim, a Polícia Civil, não terá custos com a manutenção do veículo, somente o consumo de gasolina, sendo que o veículo será utilizado em situações específicas e não no trabalho diário. Para a corporação, a utilização do Camaro é um marco no combate ao crime organizado, visto que era um veículo ostentado pelos investigados sendo produto de lavagem de dinheiro, e agora vai ser utilizado pela Polícia no combate a esses criminosos.

Jornal VS
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3553.2020 / 51 992026770
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS