Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. João Corrêa, 1017 - Centro - São Leopoldo/RS - CEP: 93010-363
Fones: (51) 3591.2000 - Fax: (51) 3591.2032

PUBLICIDADE
Viver com Saúde

Gestão do tempo pode ser a chave para uma vida mais saudável

Cuidados com as redes sociais também ajudam!
27/05/2019 03:00 28/05/2019 15:31

-

Foto por: Fotolia
Descrição da foto: Cuidados com a maneira que usamos nosso tempo influenciam na nossa saúde
Você sente que as 24 horas do dia estão curtas para a quantidade de demandas, que passa tempo demais nas redes sociais e que está sempre "devendo" na lista de tarefas? Saiba que essa angústia pode causar problemas de saúde e que este sentimento afeta uma parcela crescente da sociedade.

Com formação em Administração, líder coach, análise comportamental e gestão do tempo, Gabriele Rech começou a se interessar pelo assunto quando engravidou, cinco anos atrás. "Sempre fui muito organizada no trabalho, e quando me vi mãe e optei por empreender, me dei conta que precisava ser ainda mais organizada, e não só no trabalho, mas em todas as áreas", relata. Foi aí que começou a observar o comportamento de outros empreendedores ao seu redor e percebeu que as "dores" se repetiam. "Comecei a estudar muito sobre o assunto e uni minha formação com a minha organização e o coach para ajudar outras pessoas", compartilha a especialista.

Planejamento

Foto por: Divulgação
Descrição da foto: Gabriele Rech, administradora, líder coach, de análise comportamental e gestão do tempo
De maneira geral, ela considera nossa relação com o tempo caótica, porque queremos abraçar o mundo, mas não conseguimos sequer cumprir com o básico. Pesquisa "Empresas dos Sonhos dos Executivos", feita pela consultoria DMRG, em parceria com a Nextview People, mostrou que 62% dos executivos brasileiros não estão satisfeitos com a forma como distribuem o seu tempo. No universo feminino, 69% das profissionais se sentem sobrecarregadas.

Saber dizer "não" pode ser a raiz do problema da gestão do tempo de grande parte das pessoas. "Elas não se dão conta que, ao dizer sim pra tudo, acabam se sobrecarregando e não conseguem fazer as coisas que realmente são importantes pra elas", analisa Gabriele, acrescentando que procrastinação e não saber priorizar também são "erros" comuns, além da falta de planejamento.

Racionalizar o uso das redes sociais

As redes sociais chegaram para “esculhambar” ainda mais nossa relação com o relógio. Perder o foco ficou muito mais fácil, porque pegar o celular pra saber se aquele post rendeu “likes” e comentários é uma tentação constante. “E, quando nos damos conta, lá se vão 30 minutos de tempo perdido vendo o feed, stories…”, sinaliza. A dica, compartilha a especialista, é desabilitar as notificações das redes sociais. “Isso facilita um pouco o não ‘cair em tentação’”, ensina ela.

Estresse e ansiedade são distúrbios que podem surgir da má gestão do tempo. No livro “Equilíbrio e Resultado”, do autor Christian Barbosa, ele cita que um estudo recente mostrou que seis em cada 10 profissionais se dizem estressados. “Acredito que muito disso vem do senso de urgência que temos hoje, da correria e do caos do nosso dia a dia, que está diretamente relacionada à gestão do tempo”, aponta.

Sem fórmulas mágicas

A especialista acredita em uma abordagem voltada para o autoconhecimento como a melhor maneira para ter uma vida mais organizada. “Não tem como eu dar uma fórmula mágica de gestão de tempo se uma pessoa é diferente da outra”, considera ela, cuja abordagem, tanto nas empresas quanto individualmente, ocorre de dentro pra fora. “A partir do momento que a pessoa vai se conhecendo e entendendo como funciona o seu processo produtivo, a sua rotina, ela consegue encontrar as ferramentas e métodos adequados para gerir melhor o seu tempo”, diz ela.

O primeiro passo para sentir-se mais produtivo é conhecer-se. Só assim é possível evoluir. O segundo passo, ou talvez o primeiro, é começar o processo de mudança. É comum nos darmos desculpas para mergulhar fundo na mudança. “Vou esperar passar essa fase para começar a me organizar melhor” é a frase que Gabriele mais escuta em consultas com seus clientes.

O processo de mudança é longo e persistir é preciso. Alguns autores dizem que são necessários 21 dias, outros apontam 66. “Acredito que depende muito da pessoa e do quanto ela está disposta a mudar os seus hábitos. Mas, claro que não é do dia pra noite, é preciso ser persistente e principalmente ter disciplina. No início é sempre mais difícil, mas acaba se tornando algo natural”, explica.

Deixar pra depois

Quando o assunto é procrastinação (adiar compromissos, geralmente, por preguiça), o primeiro mito a ser esclarecido é que temos de eliminá-la. Isso, segundo Gabriele, não existe. “Todos nós procrastinamos em algum momento, é algo natural do ser humano. O problema é quando isso se torna algo muito recorrente e a pessoa entra naquele círculo vicioso de estar sempre apagando incêndios”, observa ela. Se feita de maneira consciente, portanto, pode ser saudável.

Ferramentas que auxiliam na administração do tempo existem aos montes, da tradicional agenda aos planners e aplicativos. A especialista diz que o planner veio com a proposta de ser um organizador da vida, que permite planejar a semana, os dias, definir metas, colocar em dia as finanças, além de abrir espaço para novas ideias e muito mais, dependendo do modelo.

Não existe, no entanto, melhor opção. Será aquela com a qual você se sente mais à vontade. “Eu, por exemplo, tenho um planner que desenvolvi, mas confesso que gosto mesmo é de utilizar um caderno para anotar as tarefas e a agenda do Google para os compromissos”, exemplifica.

Para não chegarmos ao fim do dia frustrados com a lista de afazeres ainda incompleta, ela aponta que, em média, conseguimos fazer (bem-feito) seis tarefas por dia. Claro que há uma variação conforme o tipo de tarefa, complexidade e tudo mais. Então você tem dois caminhos:

1 - Estabelecer seis tarefas diárias, de preferência escrevê-las em ordem de prioridades, e começar executando-as de acordo com essa ordem.

2 - Ou colocar mais do que seis tarefas, quantas você quiser, mas estar consciente de que nem todas serão cumpridas, e não se frustrar com isso ao fim do expediente.

“Somos humanos e temos uma capacidade produtiva que muitas vezes é menor do que nos propomos a fazer”, pondera ela. Uma dica útil é fazer a “to do list” sempre no fim do dia. Assim você consegue encerrar o dia de trabalho tirando do mental todas as atividades que ficaram para o dia seguinte. “Temos o costume de não anotar o que precisamos fazer, e aí ficamos com tudo na cabeça. Isso consome muita energia, o que prejudica a nossa capacidade produtiva”, avisa.

Mas, então, por onde começar a organizar a vida? Gabriele sugere planejar a semana e o dia. A dica é organizar a semana, preferencialmente, na sexta-feira ou no domingo à noite e, depois, planejar as tarefas dia a dia. Questione-se sobre quais objetivos para a semana, quantos clientes novos quer fechar, quantas negociações pretende iniciar, quais tarefas precisam ser feitas, agendas externas fechadas e quais os compromissos pessoais, por exemplo.

APPS úteis

Se você prefere usufruir da tecnologia para organizar seu dia, aqui vai sugestões de apps: Gabriele indica Todosit, Trello, Evernote, Wunderlits a agenda e tarefas do Gmail, e do Outlook. O importante, enfatiza ela, é a pessoa escolher uma ferramenta que seja confortável para ela utilizar diariamente, independente se é aplicativo ou manual.

Jornal VS
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3553.2020 / 51 992026770
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS