Publicidade
Esportes | Inter Libertadores

Coudet avalia vitória no Beira-Rio e ressalta: 'muita emoção para o meu gosto'

Treinador colorado comentou sobre os erros da equipe, mas elogiou o esforço do grupo de jogadores contra o América de Cali

Publicado em: 16.09.2020 às 23:07 Última atualização: 16.09.2020 às 23:07

Coudet avalia a vitória colorada em noite de sofrimento no Beira-Rio Foto: Ricardo Duarte/Inter
Após o triunfo do Inter por 4 a 3 sobre o América de Cali, nesta quarta-feira (16), no Beira-Rio, pela 3ª rodada da Libertadores, o técnico Eduardo Coudet elogiou o grupo de atletas, mas salientou que a partida "terminou com muita emoção para o meu gosto". 

O comandante colorado se mostrou muito incomodado com a atuação no segundo tempo, e apontou os erros da equipe, porém destacou o esforço do time para conquistar a vitória dentro de casa. "Primeiro, feliz pela vitória, pelo esforço que fizeram os jogadores. Tínhamos muitas baixas no grupo (foram dez desfalques). Acho que fizemos uma boa partida. Cometemos alguns erros conceituais, como estar posicionado no ataque com vantagem no marcador. Mas Libertadores é assim. São todos rivais importantes. Contente com os três pontos. Os detalhes dos gols, eu vou ver depois", ressaltou. 

Sobre os erros conceituais, Coudet explicou. "Mais que intensidade ou parte física, perdemos muitas bolas sem necessidade. Conceitualmente temos que repassar um monte de coisas. Como por exemplo, que nos empatem um jogo com os dois laterais no ataque quando estamos em vantagem. São coisas conceituais que temos que repetir, coisas conceituais na saída que temos que melhorar. Mas corrigir ganhando é muito mais fácil que não fazê-lo. A Libertadores é muito dura. Tem que ganhar, e nós fizemos", pontuou. 

O treinador colorado falou ainda sobre a atuação do centroavante uruguaio Abel Hernández, que teve chances contra o Goiás, no domingo passado pelo Brasileiro, mas acabou desperdiçando. Nesta noite, deixou sua marca duas vezes. "O Abel está buscando a sua melhor condição física e a saída era necessária. Enfim, sabíamos que ele poderia atuar por 60 minutos. Vamos tratando de utilizá-lo da melhor maneira. Temos que ir pensando em não perder jogadores. Temos o Fernández também, que além de estar seis meses sem treinar, estava sem poder fazer qualquer outra atividade. Vamos respeitar o tempo necessário", finalizou. 

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.