Publicidade
Acompanhe:
Notícias | Região Tragédia

Trágica morte de empresário de Novo Hamburgo foi planejada no Presídio Central

Gentil, conhecido como Kid Marin, iria para o litoral, mas acabou morto na sexta-feira

Por Tatiana Hentz
Última atualização: 04.01.2015 às 09:09
Foto: João Ávila/GES-Especial
Novo Hamburgo - O corpo queimado encontrado ao meio-dia de sexta-feira junto a um galão de combustível na Rua Arnaldo Schmidt, na Vila Integração, em Novo Hamburgo, é do empresário da motonáutica Gentil Marin, 75 anos, conhecido como Kid Marin.

Devido ao estado do cadáver, a identificação teve de ser feita por meio da análise das digitais, em Porto Alegre. Ontem à noite, a polícia identificou três homens suspeitos do assassinato. Segundo o delegado Enizaldo Plentz, foi emitido mandado de prisão preventiva dos suspeitos. Um quarto homem, que seria traficante de drogas e conhecido pelo apelido de Marimbondo, seria o mandante da execução, tendo planejado o crime de dentro do Presídio Central, em Porto Alegre.
 
A história que iniciou como uma viagem romântica para aproveitar o final de semana na praia na companhia da namorada acabou em morte. Titular da Delegacia de Homicídios de Novo Hamburgo, Enizaldo afirma que uma mulher, que mantinha relações próximas com o empresário, também estaria envolvida no crime. “Uma jovem de 17 anos está detida. Ela é mulher do traficante, também mantinha relações com um dos executores de Marin e agia como namorada do empresário. Não podemos chamar o crime exclusivamente de passional. O grupo também queria extorquir dinheiro do empresário. Ela possivelmente foi uma das pessoas que arquitetou tudo”, afirma Enizaldo. 
 
O delegado lembrou que todos possuem passagem na polícia e são moradores da Vila das Flores, em Novo Hamburgo. A identificação, devido ao estado do cadáver, foi feita apenas na manhã de ontem. O empresário só pode ser reconhecido após o trabalho técnico da perícia, em Porto Alegre, que recolheu as digitais da vítima. Um familiar de Kid Marin chegou a ser chamado, mas não conseguiu dar certeza de que se tratava do empresário.
 
Com a chegada da perícia, os policiais puderam ter acesso à casa onde o carro de Kid Marin foi encontrado. Um par de algemas, um caderno com telefones, duas caixas de fotos e um celular foram apreendidos na residência de dois quartos. Sacolas com frutas, garrafas de água e outros alimentos, além de um quarto com beliche com roupas reviradas, levam a crer que os criminosos poderiam ter saído rapidamente do local. Os policiais também encontraram uma sacola com peças de carro, um aditivo de combustível, pastilhas de freio e uma boia náutica, o que indica a possível ligação entre os locatários e o empresário Kid Marin 
 
Após denúncia anônima, a polícia localizou o carro em uma casa na Vila das Flores, no bairro Canudos, em Novo Hamburgo. O local fica a poucos minutos de carro da residência do empresário, assim como do local da execução. “É possível ver dois homens na filmagem (por uma câmera em empresa próxima à casa do empresário): um descendo do sedan de quatro portas, tirando o empresário que estava no banco de trás do veículo. Outras duas pessoas poderiam estar sentadas ao lado do empresário”, disse ontem à tarde o titular da Delegacia de Homicídios, delegado Enizaldo Plentz, que afirma ter provas concretas contra os cinco suspeitos de envolvimento no crime.
 
Conhecido como Kid Marin, o empresário tinha planos de passar o final de semana no litoral norte do Estado. De acordo com informações da polícia, ele teria saído de casa, um sobrado de dois pisos no bairro Santo Afonso, em Novo Hamburgo, logo cedo da manhã de sexta-feira para buscar uma mulher antes de seguir para a praia de Imbé, onde possui uma residência. No entanto, no lugar dela, dois homens apareceram e o renderam. A ação teria acontecido por volta das 8h30. Kid Marin foi, então, levado de volta para a casa. Pouco depois, o empresário foi morto com dois tiros na nuca. A polícia encontrou o corpo queimado ao meio-dia de sexta. O empresário era divorciado e deixa uma filha de 36 anos.
 
Imagens
A câmera de um prédio em frente à residência da vítima também ajudou a polícia a desvendar o crime. Instalada do outro lado da rua, próximo a uma empresa, o equipamento captou imagens do empresário com as mãos para o alto na companhia de ao menos dois homens próximos ao carro da vítima, um Toyota Corola azul-marinho.

Locais que envolvem o crime:
Locais que envolvem o crime
 
 
 
 
Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.