Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Novo Hamburgo Conscientização

Programação virtual ajuda a empoderar alunos da Apae

Devido à pandemia, as atividades da Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla ocorrem via redes sociais

Por Adair Santos
Publicado em: 25.08.2020 às 05:00 Última atualização: 25.08.2020 às 07:33

Conteúdos postados no Facebook mobilizam pais e alunos, revela Sandra Bondan Foto: Inézio Machado/Inézio Machado/GES
A programação da Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla neste ano está ocorrendo de forma virtual, reforçando as atividades que, em Novo Hamburgo, já vêm sendo realizadas desde março. Na página da entidade no Facebook, vídeos e debates transmitem o recado à sociedade, mantêm o vínculo com os alunos e, o mais importante, preservam a saúde de todos.

Sob o tema Protagonismo empodera e concretiza a inclusão social, a programação da Semana Nacional começou no dia 21 e vai até a próxima sexta-feira.

Diversos vídeos estão sendo compartilhados. O primeiro foi postado na sexta-feira, relembrando um sarau protagonizado pelos alunos no ano passado. Ontem, foi abordado O papel dos autodefensores na Apae e, hoje, o tema será a Inclusão no mercado de trabalho. Amanhã, às 19h30, será feita uma live com a participação de Fernanda Momberger, Marilene Pacheco dos Santos, Mônica Pagel e Sandra Bondan.

Na quinta-feira, às 13h30, ocorrerá roda de conversa com os funcionários da instituição. Na, sexta-feira, o destaque será o vídeo comemorativo aos 57 anos da Apae.

Muitas conquistas já foram obtidas, mas avanços ainda são necessários

Conteúdos postados no Facebook mobilizam pais e alunos, revela Sandra Bondan Foto: Inézio Machado/Inézio Machado/GES
Presidente voluntária da Apae Novo Hamburgo, Sandra Bondan reconhece que muitos avanços já foram colhidos nos últimos anos no que tange à conscientização da sociedade, mas ainda há um longo caminho a ser percorrido. "É preciso mais compreensão e paciência com as pessoas que têm deficiência intelectual, que não se restringe apenas à síndrome de down. Em algumas delas, que inclusive atuam no mercado de trabalho, só é possível perceber quando elas falam ou formulam ideias, por exemplo", diz.

Autonomia

"Alguns pais também precisam confiar que seus filhos podem ganhar o mundo sozinhos, andando de ônibus e realizando tarefas de forma autônoma", defende. Atualmente, cerca de 20 alunos da instituição estão empregados.

Apesar de as despesas terem diminuído durante a pandemia, há custos fixos que se mantêm, como o salário da equipe, composta por 39 funcionários. Em função disso, Sandra lembra que pessoas físicas e jurídicas podem contribuir por meio da doação de valores no momento da declaração anual do Imposto de Renda.

 

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.