Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Novo Hamburgo EXCLUSIVO

Em áudios, golpistas do nudes fazem ameaças e debocham de advogado de vítima

Ouça as conversas que chegaram à Polícia após descoberta de duas falsas delegacias no bairro Canudos, em Novo Hamburgo

Por Silvio Milani
Publicado em: 06.05.2022 às 06:43 Última atualização: 06.05.2022 às 06:44

Na medida em que aprofunda investigações sobre as duas falsas delegacias de polícia do bairro Canudos, fechadas na semana passada pela Operação Teatro do Crime, a equipe da 1ª DP de Novo Hamburgo vai chegando a novos detalhes sórdidos da rede especializada no golpe dos nudes. Por áudios no celular, os criminosos zombam das vítimas.

Em documentos falsificados para se passarem por policiais, usam foto de delegado que já foi diretor do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic). Tudo em meio a uma pilha de ofícios públicos adulterados e muita pornografia, inclusive infantil.

Em sala de prédio na Rua Sapiranga, foi encontrado o primeiro gabinete policial fictício
Em sala de prédio na Rua Sapiranga, foi encontrado o primeiro gabinete policial fictício Foto: Polícia Civil
As conversas por WhatsApp chegaram à 1ª DP após a descoberta da primeira falsa delegacia, na tarde da quarta-feira passada, em prédio na Rua Sapiranga. “Com a repercussão, o advogado de uma vítima do Mato Grosso nos enviou esses áudios, acreditando ser do grupo que desarticulamos”, conta o delegado da 1ª DP, Tarcísio Kaltbach.

O advogado foi contratado por um homem que trocou fotos íntimas com a quadrilha, pensando estar se relacionando com uma garota, e passou a ser extorquido por falsos policiais. Era exigido dinheiro sob pretexto de não prendê-lo por pedofilia. 

“Otários”

A situação chegou ao ponto de os criminosos convidarem o advogado para entrar no esquema. A oferta era de “embolamento” para faturar em cima dos “otários”. O profissional não concordou e entrou em discussão com os golpistas. Virou alvo de ameaças, xingamentos e galhofas. Gargalhadas no entorno do vigarista indicam ambiente de presídio.

“Na engrenagem desse golpe, montam o ambiente de uma delegacia, como os que encontramos, para encenar depoimentos e procedimentos policiais, enquanto os contatos telefônicos costumam ser feitos por comparsas presos”, observa Tarcísio.

Contato de Santa Catarina com sotaque gaúcho

Os contatos com o advogado foram feitos em abril por telefone de prefixo 49, da região central e oeste de Santa Catarina, mas o sotaque do criminoso é gaúcho. O chefe da falsa delegacia da Rua Sapiranga, conforme a Polícia, é um traficante catarinense. Ele conseguiu escapar da abordagem no prédio, que resultou em três comparsas presos, dos quais dois acabaram sendo soltos dois dias depois pelo Judiciário.

Gustavo Antônio Demétrio Araújo, 26 anos, está foragido do semiaberto desde outubro de 2020, quando ganhou o direito da saída temporária e não retornou ao Presídio de São Francisco do Sul, no litoral norte de Santa Catarina. Para a Polícia, é o responsável pelos 2,6 mil comprimidos de ecstasy, avaliados em R$ 130 mil, apreendidos na delegacia fictícia.

“Montagem mal-feita”, diz delegado que teve foto usada

Na segunda delegacia clandestina, fechada na manhã de sexta passada na Rua José Aloisio Daudt, na Vila das Flores, os agentes encontraram material idêntico ao da primeira, como documentos oficiais de sofisticada falsificação. Eram boletins de ocorrência, mandados de intimação, certidões de óbito, laudos médicos e vários outros.

Nem tudo, porém, era no capricho. Nas pilhas de papéis adulterados, estava uma carteira funcional de delegado que até poderia enganar em mensagens eletrônicas, mas que, ao ser manuseada, escancarava ser falsificação grosseira.

“Mas que montagem bem mal-feita”, definiu o delegado Rodrigo Bozzetto, que já foi diretor do Deic e hoje chefia a Delegacia de Proteção ao Idoso de Porto Alegre. É a foto dele que está no documento adulterado com brasão da Polícia Civil e da bandeira do Estado, além da reprodução de chip de identificação.

A foto foi tirada da Internet. O nome do “delegado titular” impresso na carteira, no entanto, é outro. Não existe nos quadros da instituição gaúcha.

Documentos para namoradas fictícias

Identidades de namoradas fictícias e de delegado foram apreendidas no bairro Canudos
Identidades de namoradas fictícias e de delegado foram apreendidas no bairro Canudos Foto: Silvio Milani/GES-Especial

Carteiras de identidade com fotos de mulheres jovens e meninas são outras falsificações grosseiras que até poderiam impressionar, por e-mail ou WhatsApp, uma vítima já apavorada com as ameaças de inquérito por pedofilia. Os documentos representavam as namoradas virtuais fictícias que trocaram fotos íntimas e depois, conforme engendração do golpe, passaram a ter problemas psiquiátricos ou cometeram suicídio pela exposição.

Os homens que interagiram eram induzidos a acreditar na tragédia e a pagar quantias milionárias para escapar da prisão. Não havia ninguém na segunda delegacia fictícia, mas o chefe está identificado. É um assaltante hamburguense de 29 anos.

Os áudios 

Um golpista, possivelmente da cadeia, ameaça e zomba de advogado contratado por vítima do golpe dos nudes do Mato Grosso. Enquanto ele fala, uma plateia entusiasmada da cela dá gargalhadas.

- O meu amigo (nome do avogado). Tô com todos os teus dados pessoais aqui, tá beleza, meu amigo? Vamo fazê o seguinte, cara: tu é advogado, por que não se embolemo? Os cara que corre pra ti nos rachamo a diferença, aí cara. Não adianta tu ficar brabo, meu amigo. Quanto mais boca aberta cai no golpe, mais tu vai ganhar, otário. Otário!

- Nossa, advogado, porque tá se tremendo tudo aí? Se eu tô mais perto de ti, vô até o escritório e te do dois tapas na cara, (...) safado.

- Olha aí, seu (nome do advogado). Tu tem um nome bem bom, né? Bah, teu CPF, olha aí, cara, bem bom. Tô pensando em comprar umas coisas em teu nome. Uma televisão, vou comprar uma jacuzzi. Uma jacuzzi, sabia, é tri bom. Vou comprar uma piscina, uma bicicleta pro meu filho, ‘sipá’ vou tirá aqui, vô vê… vou comprar também num cartão de crédito que vô abri no teu nome umas cerveja bem boa e vo manda a conta pra ti. Otário! 

 Ouça os áudios 

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.