Publicidade
Notícias | País PARA TODO BRASIL

Programa Saúde na Hora é lançado oficialmente pelo Ministério da Saúde

Ministro Marcelo Queiroga fez questão de fazer anúncio durante evento em Gramado, na Serra gaúcha

Por Fernanda Fauth
Publicado em: 28.08.2021 às 13:32 Última atualização: 28.08.2021 às 13:33

O ministro da Saúde, Marcelo Queroga, está em Gramado neste sábado (28), para apresentar recursos e investimentos, tanto municipais, quanto estaduais e federais. Durante o segundo momento desta manhã, o governante participou do anúncio de oficialização do Programa Saúde na Hora. "Quando falamos no lançamento do programa, logo me veio a mente Gramado. Não poderia ser outra cidade", revelou o ministro.

Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, assina documento que oficializa Programa Saúde na Hora Foto: Fernanda Fauth/GES-Especial

Uma das razões pela escolha da cidade seria devido ao foco de Gramado ter sua economia e empregos girando ao redor do turismo, o que faz com que a população não consiga ir aos postos de saúde em horário comercial. "Em muitos momentos, o trabalhador do turismo, por exemplo, só tem a noite para poder ir numa consulta, porque a rotina é corrida, e com o programa, a atenção dele a sua saúde se torna maior", diz. 

O anúncio aconteceu no Centro de Saúde Carlos Altreiter Filho, no bairro Várzea Grande, uma das unidades contempladas com o Programa. Em Gramado, são dois locais que terão atendimento ampliado: além da UBS na Várzea, o Centro Municipal Saúde, no Centro, também receberá recursos. 

Sobre o Programa

 Durante a coletiva, o secretário de Atenção Primária à Saúde, Raphael Câmara, foi quem detalhou as informações sobre o Programa Saúde na Hora. "É destinado para quem não consegue ir aos postos durante o horário normal. Então o Governo Federal, o Ministério da Saúde, fez esse programa para estender o atendimento. Obviamente, com o horário a mais, é preciso mais recursos, precisa pagar médicos, enfermeiros, técnicos, e outros participantes como um todo. Então o Governo Federal paga esse recurso a mais para as unidades básicas de saúde continuarem funcionando", revela. 

 Ainda segundo o secretário nacional, todos os municípios que solicitaram tiveram deferimento. "Toda política nossa na área de saúde, a gente sempre lança em algum lugar do Brasil, para os gestores saberem. O recurso é finito, mas a gente corre atrás", finaliza. 

Previne Brasil

Outro programa que teve alterações na quinta-feira (26), foi o Previne Brasil, atual modelo de financiamento da Atenção Primária à Saúde.  

Segundo Queiroga, 1,6 bilhões de reais já foram investidos na área, para melhorar o atendimento das comunidades e ampliação de equipes. "Estou vendo aqui vários auxiliares de enfermagem, enfermeiros, e hoje faço um agradecimento a todos esses profissionais que estão na linha de frente, no Brasil inteiro". 

Homenagem aos profissionais da saúde

Durante o discurso, Queiroga enalteceu o trabalho dos profissionais, principalmente pelo trabalho realizado na pandemia. "O compromisso do governo federal é fortalecer a atenção primária, que começa nas unidades básicas de saúde. Hoje são 53 mil, então essa é a resposta que o governo dá para essa crise da saúde pública internacional, devido à Covid-19".

Homenagem do ministro da Saúde aos profissionais da atenção básica Foto: Fernanda Fauth/GES-Especial

Em seguida, solicitou que agentes comunitários de saúde e enfermeiros presentes na cerimônia ficassem em pé, para que recebessem os aplausos do público. 

"Se nós avançamos bastante na campanha de imunização, se deve ao esforço de todo o Sistema Único de Saúde, da atenção primária, da atenção especializada à saúde, nas nossas mais de 38 mil salas de vacinação", disse Queiroga. 

 

Enfermagem solicita apoio

Os profissionais da Enfermagem estiveram presentes no Centro de Saúde para entregar um documento, solicitando apoio do ministro ao Projeto de Lei 2.564/2020 pelo Senado Federal. O PL estipula pisos salariais mais altos, mudanças em carga horária e outras condições de trabalho. 

Profissionais da Enfermagem solicitam apoio formal do ministro da Saúde na aprovação de PL no Senado Federal Foto: Fernanda Fauth/GES-Especial

Pfizer produzida no Brasil

O ministro Marcelo Queiroga também falou sobre a relação saúde e economia, assim como sobre a vacina Pfizer e a futura produção do imunizante no Brasil, através da parceria firmada com a farmacêutica Eurofarma.

"Por exemplo, a Pfizer, que disseram que nós não respondíamos aos e-mails. Pois bem, o governo que não responde e-mail, é o governo que traz as condições para essa grande farmacêutica internacional firmar parceria com outra grande farmacêutica nacional e vir para o Brasil para produzir as vacinas da tecnologia mais inovadora. Por quê? Porque acredita no Brasil, porque acredita no nosso SUS, porque quer vir gerar emprego e renda. Então são com ações, muito mais que narrativas falsas, que nosso governo avança para que se cumpra a Constituição Federal", afirmou. 

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.