Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | País CHUVA

Número de mortos sobe para ao menos 13 por causa de temporais no Rio de Janeiro

Segundo a prefeitura de Paraty, 219 famílias foram atingidas por alagamento ou perdas materiais, em 22 bairros do município

Por Bruno Villas Bôas e Daniela Amorim/Estadão Conteúdo
Publicado em: 02.04.2022 às 20:55 Última atualização: 02.04.2022 às 20:59

As fortes chuvas que atingiram o estado do Rio de Janeiro deixaram pelo menos 13 mortos, em sua maioria crianças. Os municípios de Angra dos Reis e Paraty, no litoral sul fluminense, estão entre os mais atingidos pelo temporal, que também afetou municípios da região metropolitana do Rio de Janeiro.

 Vistoria em área atingida por deslizamento no Complexo do Andaraí
Vistoria em área atingida por deslizamento no Complexo do Andaraí Foto: Defesa Civil
Em Paraty, sete pessoas de uma família morreram soterradas no bairro de Ponta Negra. As vítimas foram a mãe Lucimar e seis filhos: João, de dois anos, Estevão, de cinco anos, Yasmim, de oito anos, Jasmin, de 10 anos, Luciano, de 15 anos e Lucimara de Jesus Campos, 17 anos. Um sétimo filho foi resgatado com vida e está estabilizado neste momento no Hospital Municipal Hugo Miranda.

Segundo a prefeitura de Paraty, 219 famílias foram atingidas por alagamento ou perdas materiais, em 22 bairros do município. Há 15 famílias desalojadas e abrigadas em escolas municipais.

Em Angra dos Reis, os desabamentos atingiram ao menos quatro casas no bairro Monsuaba.

O Corpo de Bombeiros encontrou até o momento cinco vítimas de deslizamento, entre elas uma menina de aparentemente 4 anos e um menino de 11 anos. Outras pessoas permanecem desaparecidas. De acordo com a Prefeitura de Angra dos Reis, choveu nas últimas 48 horas o equivalente a 655 milímetros, um recorde.

O Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro informou ter sido acionado também em socorro a vítimas de um deslizamento na Praia Vermelha, na Ilha Grande, onde haveria três pessoas soterradas.

O presidente Jair Bolsonaro disse, em suas redes sociais, que o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas, está no Rio de Janeiro ajudando nas ações de resposta e no socorro às vítimas do temporal. E que acionou aeronaves para transportar os militares do Corpo de Bombeiros para as regiões mais afetadas.

A região metropolitana do Rio de Janeiro também foi fortemente atingida por alagamentos, como Belford Roxo e Mesquita, onde um homem morreu eletrocutado durante as chuvas quando tentava socorrer outra pessoa. Em Nova Iguaçu, a prefeitura chegou a decretar estágio de alerta máximo, quando há risco muito alto de enxurradas, inundações e deslizamentos por causa dos temporais. A Defesa Civil de Nova Iguaçu informou na manhã deste sábado ter atendido cerca de 50 ocorrências relacionadas às chuvas.

Pelas redes sociais, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, disse na tarde deste sábado que a tendência para a capital é de chuva fraca até a manhã deste domingo, com alguns momentos de pancadas de chuvas. Ele pediu para que a população evite se deslocar. "Tem muita situação crítica pela cidade", disse o prefeito, em vídeo gravado no Centro de Operações da Prefeitura do Rio.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.