Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região Estiagem

''Não temos falta de água e nem racionamento'', diz vice-prefeito de Nova Petrópolis

Contudo, segundo Charles Paetzinger, a situação é preocupante

Publicado em: 06.02.2020 às 15:17 Última atualização: 06.02.2020 às 15:19

Captação de água em Nova Petrópolis está em risco por conta do baixo nível da principal barragem da cidade e da falta de chuva que assola o Rio Grande do Sul Foto: Sadi Zimmermann/Especial
O município de Nova Petrópolis é um dos mais atingidos pela estiagem que afetam todo o Estado do Rio Grande do Sul. Com os níveis abaixo da média, a situação dos açudes e barragens, como a de São Jacó, já preocupa a comunidade e a administração municipal. No início da tarde desta quinta-feira (6) o vice-prefeito Charles Paetzinger e o secretário Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, Lucas da Costa de Lima, fizeram um pronunciamento, veiculado nas redes sociais para falar sobre a situação do abastecimento na cidade.

De acordo com Paetzinger, esta é uma das maiores estiagens da história do Estado e por isso é tão preocupante. Ele ressaltou que por enquanto a  cidade não enfrenta racionamento e nem falta de água. E que não há previsão de quando esta medida será oficialmente adotada. Nos próximos dias, por precaução, caminhões-pipa devem seguir para o reservatório da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), que fará a distribuição aos locais mais necessitados e de alto consumo, como posto de saúde e hospitais.

Segundo o vice-prefeito, não há previsão de quando vai começar um racionamento na cidade. Ele alertou durante o pronunciamento que todas as medidas cabíveis estão sendo tomadas e que diante deste cenário de temperaturas altas e pouca chuva será necessária a contribuição de toda a cidade. "É fundamental que cada um faça a sua parte", disse acrescentando dicas de economia para evitar o desperdício.


Irregularidade

Foram descobertos pela Corsan pontos de captação irregular de água em alguns locais do município. A Patrulha Ambiental da Brigada Militar (Patram) e agentes da Corsan devem fazer uma ação ainda na tarde desta quinta-feira para coibir a prática, que é considerada crime. Segundo a prefeitura, a regularização da situação pode auxiliar no aumento da vazão de água para a represa de São Jacó. 


Estiagem

Como já noticiado pela reportagem do Jornal NH, esta é a mais severa estiagem dos últimos sete anos e já afeta produtores em todo o Estado, causando prejuízos também na região. Segundo a MetSul Meteorologia, a estiagem em solo gaúcho deverá ocorrer, também, ao longo do mês de fevereiro, com retorno organizado das chuvas a partir do mês de março. Ao todo, 81 municípios já decretaram situação de emergência e 11 outros já registraram a situação no Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2ID).

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.