Publicidade
Notícias | Região Reforço

Sapucaia assina convênio para abrigamento de mulheres em situação de risco e violência

Abrigamento é destinado a casos extremos de violência doméstica

Última atualização: 21.06.2020 às 11:09

Convênio foi assinado na última sexta-feira (19) Foto: Picasa
Uma vitória para as mulheres sapucaienses que são vítimas de violência doméstica. O prefeito Luis Rogério Link assinou, na tarde desta sexta-feira (19), um convênio com a Fundação La Salle para abrigamento de mulheres em situação de risco e violência. A assinatura ocorreu no gabinete do prefeito e contou com a presença da coordenadora de políticas públicas para as mulheres, Marli Rubaski, e do secretário municipal Geral de Governo, Ademir Pereira.

O convênio prevê o acolhimento provisório de mulheres, acompanhadas ou não de seus filhos, em situação de risco de morte ou ameaças em razão da violência doméstica e familiar, causadora de lesão, sofrimento físico, sexual, psicológico ou dano moral. O acolhimento ocorrerá em um Centro de Abrigamento Regional, um local sigiloso, com funcionamento em regime de cogestão, que assegure o sigilo quanto à identidade das usuárias e funcione articulado com as redes sócio assistenciais e demais políticas públicas e Sistema de Justiça.

Para a coordenadora de políticas públicas para as mulheres, Marli Rubaski, o convênio representa a concretização de um sonho, de poder oportunizar um espaço para estas mulheres refazerem suas vidas. “Muitas mulheres não têm para onde ir, não sabem por onde começar. Então ter um espaço onde elas possam ser acolhidas para poder dar esses primeiros passos, é fundamental. Neste local, elas receberão tratamento psicológico, jurídico e social, além de alimentação e abrigagem. Para quem já sofreu tanto, ter a chance de poder se reerguer para recomeçar, é libertador”, disse Marli.

O convênio conta, também, com a parceria da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social. Como o abrigamento é destinado a casos extremos de violência doméstica, os casos passam pela análise de uma comissão formada por membros da Coordenadoria da Mulher, uma advogada, uma psicóloga e uma assistente social.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.