Publicidade
Notícias | Região Campo Bom

Air Liquide entrega dados parciais sobre medição de oxigênio no Lauro Reus

Laudos das perícias dependem do envio dos dados brutos do sistema; Polícia Civil já cobrou informações completas

Por Matheus Chaparini
Publicado em: 28.04.2021 às 09:10 Última atualização: 28.04.2021 às 09:11

IGP fez perícia em sistema de oxigênio do Hospital Lauro Reus Foto: Divulgação/IGP-RS
O Instituto Geral de Perícias aguarda o envio de informações por parte da Air Liquide para concluir os laudos das perícias feitas no Hospital Lauro Reus, em março seis pessoas morreram após pane no oxigênio da casa de saúde. A informação que falta é o relatório da telemetria, ou seja, o acompanhamento do nível de oxigênio do cilindro do hospital.

Além do acompanhamento feito presencialmente por funcionários da casa de saúde, a empresa fornecedora tem acesso às informações em tempo real, por meio da telemetria.

A empresa apresentou uma resposta parcial, uma planilha de Excel com parte das informações. O delegado responsável pelo caso, Clóvis Nei da Silva, solicitou à empresa, o relatório completo. “Aguardo os dados brutos, extraídos diretamente do servidor deles“, afirma.

Na última sexta-feira (24), o Hospital Lauro Reus prorrogou o prazo de sua sindicância interna por mais 20 dias. Um dos motivos alegados pela direção do hospital foi a falta do relatório da telemetria da Air Liquide referente ao mês de março.

A Polícia Civil já ouviu mais de 30 depoimentos desde a abertura do inquérito. “Temos que ouvir várias testemunhas ainda. Testemunhas que foram citadas, testemunhas que estavam no local. É isto que estamos fazendo”, explica o delegado do caso.

De acordo com Clóvis Nei, a investigação está na metade. Além das testemunhas, há documentos a serem entregues pelas partes à Polícia. “Tem uma série de pedidos que fizemos, alguns foram atendidos, outros não”, diz.

De acordo com o delegado, por se tratar de uma investigação bastante técnica, à medida em que novos depoimentos são colhidos, surge a necessidade de solicitar mais documentação às partes.

A reportagem fez contato com a Air Liquide, que não se manifestou até a publicação desta reportagem. 

Perícia

No dia 23 de março, peritos do IGP estiveram no Lauro Reus. Os trabalhos foram realizados em três frentes. A Seção de Engenharia Mecânica apura se houve falha mecânica. Os peritos criminais da Engenharia Elétrica buscam identificar pane elétrica que possa ter causado a interrupção no fornecimento. Os peritos da Seção de Informática analisaram o software que gerencia a comunicação entre o hospital e a empresa fornecedora, para identificar possíveis falhas ou sabotagens no sistema que informa a quantidade de oxigênio disponível.

Os três laudos devem ser concluídos e enviados à Polícia Civil ao mesmo tempo.

Ministério Público analisa documentação

O Ministério Público analisa os documentos encaminhados pelo Hospital Lauro Reus. De acordo com a promotora responsável pelo caso, Letícia Elsner, a documentação parcial tem cerca de 1,5 mil páginas.

O MP investiga que fatores causaram a pane no sistema de oxigênio, no dia 19 de março, e se houve desabastecimento ou falha do sistema.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.