Publicidade

A rica história recente do Sinodal Progresso

Tradicional colégio com sede em Montenegro chega ao aniversário de 145 anos comemorando sua longa trajetória e dando destaque muito especial para as importantes e sólidas transformações que viveu especialmente nas duas últimas décadas

Grupo Sinos 360 | Branded Content
Conteúdo especial produzido para Colégio Sinodal Progresso

O ano de 2007 se aproximava do final e era preciso tomar decisões rápidas para adequar a escola às necessidades e desafios que chegariam junto com 2008. Depois de um período difícil, o Colégio Sinodal Progresso, de Montenegro, começava a experimentar nova realidade, especialmente com a implementação de três cursos técnicos e, ainda, crescimento do número de alunos na educação infantil. Com uma gestão focada em ajustar as contas ao mesmo tempo em que planejava um salto para o futuro, a equação exigia, a curto prazo, aumento da capacidade física. Foi então que se lançou o desafio de construir um prédio em tempo recorde. Assim, em apenas dez semanas, foi erguida a estrutura de 200 metros quadrados.

O episódio do prédio novo é bastante emblemático porque sintetiza bem a ideia de que o Sinodal Progresso é uma escola antiga com uma importante história recente. Neste mês de maio, aliás, o colégio está comemorando seus 145 anos. E com todo vigor, colhendo os resultados dos ajustes de um passado não muito distante. O atual diretor, Lorio José Schrammel, chegou em 2004. Encontrou um cenário cheio de desafios. Homem acostumado a citar e a seguir os ensinamentos de Martinho Lutero, foi estabelecendo nos anos seguintes importantes parcerias para reestruturar a instituição e fazer valer, no dia a dia, as premissas do líder religioso. Deu certo. Com apoio da comunidade, prefeituras e empresas do Vale do Caí, foi estabelecendo convênios que garantiram novamente a solidez do Sinodal Progresso.

E aí veio 2007, com a implementação dos cursos técnicos de Informática, Alimentos e Mecânica, inaugurando um impressionante e sólido ciclo de crescimento. Nos anos seguintes, o número de alunos foi subindo gradativamente. Em 2016, a instituição absorveu o curso técnico de Enfermagem e mais uma vez montou um canteiro de obras para, em 40 dias, fazer uma nova e importante reforma, adequando seus espaços. Surgiam, assim, quatro salas no segundo andar, banheiros e o elevador que passou a atender toda questão de acessibilidade para o piso superior.

Hoje são 1.120 alunos, 370 deles em cursos técnicos e os demais na educação básica. Os cursos técnicos somam seis, incluídos Química e Administração. No próximo ano, serão sete, com a implementação do técnico em Agropecuária, criado, assim como os demais, para atender as demandas do Vale do Caí.

E assim, valorizando as parcerias, a escola vai crescendo e se tornando ainda mais referência na região. ‘‘Sozinho a gente não faz nada’’, afirma o diretor, numa frase carregada de reconhecimento a todos que ajudaram nos momentos mais delicados. Agora, satisfeito e seguro com a solidez da instituição que dirige, Lorio encontra o ambiente perfeito para aplicar as ideias de Lutero. ‘‘Ele dizia: quando a escola progride, tudo progride.’’

Ensino musical é destaque

Aula de música no Sinodal Progresso

 O Sinodal Progresso tem um projeto sólido na arte, com ênfase na música. São três orquestras e três corais formados por alunos, inclusive com uma extensa agenda de apresentações que nem mesmo a pandemia interrompeu. Adaptados à necessidade de distanciamento social, os jovens músicos do colégio de Montenegro, sempre coordenados pelo professor Adriano Schrammel, realizaram animadas apresentações virtuais em 2020.

O ensino musical envolve bom contingente de alunos de diferentes idades. Todas as turmas do maternal ao quinto ano têm aulas de música. Muitos deles acabam integrando, durante a vida escolar no Sinodal Progresso, as orquestras e os corais, em uma experiência cultural e criativa com impactos muito positivos para o futuro.

O ensino musical, aliás, segue os ensinamentos do líder religioso sempre citado pelo diretor da instituição. ‘‘Lutero dizia que a função da escola é revelar talentos e temos isso fundamentado pelo princípio dele’’, destaca Lorio. Na parte instrumental, por exemplo, os alunos aprendem a tocar violão, guitarra e contrabaixo. Há, ainda, aulas de técnica vocal. E assim, o ensino musical vai ganhando relevância. Afinal, ele também está fundamentado no entendimento de que desenvolve a mente humana, aguça a criatividade e, claro, promove e provoca o bem-estar.

Assista abaixo a vídeo especial feito por alunos e pelo professor Adriano especialmente para essa reportagem! Eles executam um clássico da banda norte-americana Journey


 

Ensino bilíngue está inserido no currículo

O ensino bilíngue é uma das razões de orgulho e está conectado com as transformações recentes. Foi implementado nos moldes atuais em 2019, um ano depois do encontro em São Bento do Sul em que se decidiu que todas as escolas de porte grande da rede Sinodal deveriam implementar o ensino bilíngue. Os materiais didáticos são fornecidos pela Pearson, considerada maior empresa de educação do mundo. As aulas são ministradas pelos professores Letícia Campos Martins, Rafael Pinheiro Flores e Jéssica Wissmann (foto abaixo).

Letícia Campos Martins, Rafael Pinheiro Flores e Jéssica Wissmann

Gestão fundamentada nas boas parcerias

O diretor Lorio José Schrammel ressalta: ‘‘Trabalhamos com muitas parcerias, apoio dos pais e da comunidade em geral.’’ Neste contexto, são 12 prefeituras conveniadas, além de um bom número de empresas da região, envolvendo bolsas de estudos e os estágios, fundamentais na qualificação dos alunos para a vida profissional. Mas tudo pensado em um contexto de transformação da comunidade local de forma conjunta. ‘‘O desenvolvimento da escola transforma o lugar e transforma vidas’’, diz Lorio (foto abaixo).

Lorio destaca que a escola sempre busca novas iniciativas. Como, por exemplo, uma importante parceria pedagógica. ‘‘Somos escola parceira do sistema COC de ensino desde 2011 para material didático e tecnologia. Algo muito produtivo, de acordo com o slogan se a escola é COC, o aluno e o professor são top.’’

Lorio José Schrammel

Passos bem planejados garantem crescimento

Os números que envolvem a escola atestam a relevância de sua história, seja a mais antiga (foto abaixo) ou a recente. Em 2006, por exemplo, eram apenas duas turmas de educação infantil. Hoje são nove. E os cursos técnicos foram pensados para atender demandas muito específicas do Vale do Caí, inclusive de multinacionais que se instalaram na região, como a John Deere. E é nessa premissa que está inserida a decisão de implementar o curso de técnico em Agropecuária, já que o setor agro é muito forte e produtivo para a economia local.

Foto antiga do Sinodal Progresso

SAIBA MAIS

A origem do Colégio Sinodal Progresso se mistura com a própria história da imigração alemã no Estado.

Uma das escolas mais antigas vinculadas aos luteranos, tem uma curiosidade relacionada justamente com sua antiguidade: o aniversário é comemorado em maio, mas não há registro específico do dia exato. Mero detalhe, aliás.

Até há pouco tempo, o ano de 1881 era considerado como o de fundação da escola. Mas a partir de pesquisas do pastor Klaus Meirose, se constatou, por meio de documentos, que o Colégio Sinodal Progresso já existia do ano de 1876.

Em 1895, por iniciativa do pastor Gustav Geisler, os paroquianos iniciaram a construção do prédio que ainda hoje atende a atividades da escola.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Publicidade
Matérias especiais
Ciência

Exame avalia a resposta imune do organismo após vacina contra Covid

Região
Senado deve analisar
premium

Mudança na legislação ambiental: estouro da boiada ou menos burocracia?

Região
Flagrante
premium

Apenado e comparsa são presos em Novo Hamburgo após assalto em São Leopoldo

Região
Maio Laranja

Em Taquara, Lar Padilha realiza atividade de conscientização contra o abuso infantil

Região