Publicidade
Notícias | Região Ensino

Adiado retorno das aulas presenciais na rede municipal de São Leopoldo

A alta dos números do coronavírus na região e um possível novo agravamento da pandemia levaram a Prefeitura a anunciar o adiamento, por tempo indeterminado do retorno ao modo presencial

Publicado em: 31.05.2021 às 03:00 Última atualização: 31.05.2021 às 08:24

Rede municipal conta com 33 mil alunos Foto: José Luís Zasso/PMSL/Divulgação
A alta dos números do coronavírus na região e um possível novo agravamento da pandemia levaram a Prefeitura de São Leopoldo a anunciar o adiamento, por tempo indeterminado, do retorno das aulas nas escolas da rede municipal, inicialmente previsto para esta terça-feira, 1º de junho. A decisão foi anunciada em live transmitida pelas redes sociais da Prefeitura de São Leopoldo, na manhã da sexta-feira (28).

De acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde (Semsad), houve aumento de procura por testagem nos postos de atendimento inicial para Covid-19 desde 14 de maio. Da mesma forma, a taxa de ocupação da UTI Covid no Hospital Centenário tem aumentado nos últimos dias, estando próxima de 90%, assim como da UTI Geral, que se mantém em 100% desde 10 de maio. A taxa de óbitos, conforme a Semsad, também tem subido desde o dia 16.

Crianças

"No ano de 2020, não houve registro de atendimento médico de crianças por Covid-19. Neste ano já temos mais de 20 crianças que precisaram de atendimento. É importante salientar que existe uma grande deficiência de UTIs pediátricas no Estado e na região. São Leopoldo só dispõe de UTI neonatal, para recém-nascidos", colocou o prefeito de São Leopoldo, Ary Vanazzi.

Movimentação

O gestor municipal também ponderou que, com a volta às aulas, o movimento na cidade aumentaria consideravelmente. "Temos 33 mil alunos na rede municipal de ensino. O retorno movimentaria cerca de 40 mil pessoas a mais por semana, por exemplo, no transporte coletivo. Vamos avaliar tecnicamente a pandemia durante esses 10 dias. Mais de 35 municípios já suspenderam as aulas, porque é um problema de ordem pública, de cuidar da saúde da população", argumentou.

Estaduais

Para as escolas estaduais, que começaram a receber alunos de forma presencial novamente na semana passada, não deve haver mudança, pois se trata de uma decisão do governo do Estado, que não tem participação do Município, frisou o prefeito, junto com o secretário municipal de Educação, Ricardo Fernandes da Luz.

Novo decreto hoje

O aumento da hospitalização de pessoas entre 20 e 60 anos, que é a população economicamente ativa, também preocupa, assim como a ocupação de leitos de UTI Covid na região, que se encontra acima de 80 % e com tendência de crescimento, segundo a Prefeitura leopoldense. O secretário de Saúde, Marcel Frison, destacou a situação da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Zona Norte, que está com 20 pacientes em observação, taxa que até duas semanas atrás não ultrapassava quatro pessoas. “Não faz sentido colocar 40 mil pessoas em circulação na rua. É um apelo ao bom senso”, enfatizou. A Prefeitura também divulgou que um novo decreto, com regras de prevenção ao coronavírus, deve ser publicado nesta segunda-feira

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.