Publicidade
Notícias | Região Campo Bom

Mais três mortes no Hospital Lauro Reus estão sob investigação

Familiares registraram ocorrência para que a Polícia apure as mortes que aconteceram na semana passada. Casa de saúde de Campo Bom está no centro outros dois inquéritos

Por Suélen Schaumloeffel
Publicado em: 08.06.2021 às 03:00 Última atualização: 08.06.2021 às 08:35

Pouco mais de dois meses após a morte de seis pacientes da UTI do Hospital Lauro Reus, em Campo Bom, a casa de saúde se vê no centro de quatro investigações da Polícia Civil.

Duas delas são inquéritos relacionados ao desabastecimento de 19 de março. O primeiro, que investiga as seis mortes de pacientes naquele dia, está em fase final e deve ser remetido à Justiça até o final da próxima semana. O segundo, que apura outros 15 óbitos que aconteceram posteriormente, mas que podem ter relação com o episódio, segue em andamento.

Os casos mais recentes são deste mês. Um terceiro inquérito foi aberto na semana passada, após famílias de três pacientes que morreram no hospital procurarem a Polícia. Já o susto da manhã de hoje está em apuração inicial que pode resultar em novo inquérito, já que o hospital chegou a registrar ocorrência por suspeita de sabotagem.

Três mortes em investigação

Na semana passada, os registros de três mortes na instituição chegaram até a delegacia do município e estão sob investigação. O inquérito está em fase inicial segundo a delegada Raquel Peixoto, que está respondendo interinamente pela delegacia de Campo Bom.

As circunstâncias dos óbitos são investigadas após os familiares das três vítimas terem registrado boletins de ocorrência, com objetivo de ter esclarecimentos. "Ainda não sabemos se tem relação com a falta de oxigênio ou alguma negligência. Em princípio as mortes não têm a ver com Covid. Mas de qualquer forma a apuração está bem no início e estamos em fase de ouvir os familiares das vítimas e entender o que aconteceu", explica.

 

Novamente o oxigênio

Na manhã de hoje, uma nova situação envolvendo o abastecimento de oxigênio movimentou a casa de saúde. Apesar de, desta vez, não ter havido falta de oxigênio ou vítimas, mas apenas uma baixa na pressão, o alarme do sistema soou no início da manhã. A apuração inicial apontou que a válvula do tanque principal estava indevidamente fechada e o sistema estava operando nos cilindros reserva.

A delegada Raquel informou que o hospital registrou ocorrência alegando que o sistema poderia ter sido sabotado. A equipe da delegacia foi até o local e realizou um levantamento. Também foram solicitadas informações ao hospital e da empresa que abastece.

"Foi feita a ocorrência e vamos investigar o que aconteceu. Fizemos diligência prévia, para ver se houve sabotagem ou não. Se houver indícios vamos instaurar um novo inquérito, se não, vamos juntar ao terceiro inquérito que está em andamento", explica.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.