Publicidade
Notícias | Região Região

No Morro Sapucaia, um santuário para os animais resgatados na região

Área verde é referência em biodiversidade e abrigo de muitas espécies

Por Alecs Dal'Ollmo
Publicado em: 09.06.2021 às 03:00 Última atualização: 09.06.2021 às 16:06

Soltura de animal silvestre no Morro do Paula Foto: Diego da Rosa/GES
Devolver ao meio natural. Essa ação de resgatar animais silvestres e libertá-los em áreas de preservação faz parte do trabalho de muitas equipes, como o Grupamento de Defesa Ambiental (GCM) da Guarda Civil Municipal (GCM) de São Leopoldo, e a Fiscalização Ambiental da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente (SMDEMA) de Esteio. Na última semana, o local escolhido pela SMDEMA para devolver para a natureza um gambá-de-orelha-branca, resgatado na Rua Osmundo Reupert, no bairro Tamandaré, foi a Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Fazenda Morro Sapucaia, na zona rural de Sapucaia do Sul.

Karen Dias dos Santos, bióloga e fiscal de meio ambiente da SMDEMA, que acompanhou a ação de soltura no morro, destaca que a equipe está sempre atenta para esse manejo de cuidados com os animais silvestres. E nem bem soltou um dos animais resgatados e já havia mais chamados informando sobre presença de animais silvestres na zona urbana de Esteio. A presença do gambá-de-orelha-branca (Didelphis albiventris) é registrada em uma ampla região que vai desde a Argentina até o Nordeste do Brasil. E a RPPN é um local privilegiado. Aliás, uma área exuberante para ações ambientais, ecoturismo e proteção de fauna e flora, além de pesquisas científicas. Tudo em plena região metropolitana.

210 espécies

Ana Maria Juliano, administradora e proprietária da Fazenda Morro Sapucaia, destaca que a reserva foi criada com o objetivo de conservar e recuperar a biodiversidade de ecossistemas em seu estado natural, protegendo e promovendo o patrimônio cultural da área. Ela enfatiza que o espaço abriga vários mamíferos, alguns bem conhecidos como mão pelada, graxaim, tatu, gato do mato e tamanduá mirim. E há ainda pelo menos 210 espécies de aves, incluindo vários tipos de gaviões e andorinhões.

A Fazenda Morro de Sapucaia tem uma área total de 400 hectares e destes, 90,25 hectares pertencem à reserva. Conforme dados históricos e envolvendo o plano de manejo da reserva, esta RPPN é a primeira Unidade de Conservação nos morros areníticos da região metropolitana, com áreas naturais de Sapucaia do Sul. A área possui significância ambiental destacada em decorrência de vários fatores, como a presença de Mata Atlântica, diversas espécies da flora e fauna, campestres e arbóreas em risco de extinção, sendo uma delas endêmica, a "Codornochis canisioi mansfeld" descoberta em 1936 pelo padre Balduino Rambo.

Para alertar sobre animais silvestres

Conforme da prefeitura de Esteio, quem encontrar um animal silvestre que necessite auxílio ou que esteja em gaiolas irregulares pode alertar a SMDEMA via ouvidoria pelo telefone 0800-541- 0400 (de segunda a sextafeira, das 8 às 11h30 e das 12h30 às 18 horas), pelo WhatsApp 98600- 7011 (de segunda a sextafeira), pessoalmente, na Rua Engenheiro Hener de Souza Nunes, 150 (de segunda a sexta-feira, das 12h30 às 18 horas) ou pelo eOuve, que pode ser acessado pelo site www.esteio.eouve.com. br ou por aplicativos nos sistemas Android e iOS nas lojas Google Play e App Store.

A denúncia pode ser feita de forma anônima. Fora do horário comercial, a orientação é ligar para a Brigada Militar (190) ou para Corpo de Bombeiros (193). Também pode ser feito contato com a Secretaria Estadual do Meio Ambiente, pelos 3288-8187, 98593-1288 ou 98681-7420, ou com o Ibama pelo 3214-3401

Foco intenso no trabalho de educação ambiental

Sobre as ações envolvendo a RPPN, Ana Juliano tem bons e objetivos planos, especialmente para envolver de forma mais intensa da comunidade, pesquisadores, autoridades e ainda trabalhar a preservação ambiental. Aliás, o objetivo de preservação da área era acalentado pela família Juliano desde que seu patriarca Arno Juliano adquiriu a área na década de 60. “Tudo fazia parte da Fazenda Sapucaia. Chamavam o local de Rincão do Serro. Foi uma visão de meu pai: precisávamos manter e proteger a área, resgatar a história do local, do próprio morro como um museu aberto”, enfatiza.

“Estamos elaborando os projetos arquitetônicos para implantar a infraestrutura de recepção aos visitantes e para nosso trabalho de educação ambiental, o projeto Conhecer para Respeitar”, ressalta ela. O Morro Sapucaia, por denominação local, é também conhecido como Morro do Chapéu. Ana reforça que a RPPN completa 20 anos em 2021. Ela reforça que o Plano de Manejo da reserva é um documento que apresenta os resultados dos estudos ambientais realizados no local disponibilizado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama) e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Estudos feitos com saídas a campo para verificações in loco dos compartimentos físicos ambientais e atividades para análise dos dados obtidos. O trabalho também envolveu levantamento bibliográfico para melhor entendimento da geologia, geomorfologia, hidrografia e hidrogeologia da área em estudo. A RPPN Morro de Sapucaia está entre os principais destinos turísticos internacionais de reservas privadas. A Uma RPPN é uma unidade de conservação (UC) de domínio privado.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.