Publicidade
Notícias | Região Investimento

R$143,19 milhões em melhorias nas rodovias da região

R$ 54,3 milhões devem ser investidos nas obras complementares da RS-118 ainda em 2021

Por Jean Peixoto
Publicado em: 10.06.2021 às 03:00 Última atualização: 10.06.2021 às 16:16

Governador Eduardo Leite apresentou, ontem, o programa Avançar, que pretende acelerar o crescimento econômico e incrementar a qualidade da prestação de serviços Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini
Em cinco anos, as rodovias gaúchas devem receber investimentos públicos e privados de R$ 5,2 bilhões. Para as estradas que atravessam a região dos Vales do Sinos e Caí serão destinados R$ 143,19 milhões. Os valores foram anunciados na tarde de ontem pelo governador Eduardo Leite, durante a solenidade de lançamento do programa transversal Avançar.

Com recursos próprios, a meta do programa é investir R$ 1,3 bilhão em obras até 2022. O valor é proveniente do Tesouro do Estado, e foi arrecadado a partir do ajuste fiscal, que incluiu as reformas administrativa e previdenciária promovidas pela gestão de Leite.

Durante a cerimônia, realizada no Palácio Piratini, o governador apresentou o modelo de viabilidade para a concessão de 1.131 quilômetros de rodovias estaduais à iniciativa privada. O plano prevê investimentos de R$ 10,6 bilhões nos 30 anos das concessões, sendo R$ 3,9 bilhões já nos primeiros cinco anos.

No encontro, Leite confirmou a já anunciada extinção da Empresa gaúcha de Rodovias (EGR), que hoje administra 14 praças de pedágio. O encerramento das atividades da estatal está previsto para ocorrer em dezembro, quando o leilão das rodovias estiver encerrado e as concessionárias assumirem a gestão das estradas.

Estudo técnico

Entregue ao governador na última segunda-feira (7), o estudo técnico para a concessão das rodovias, construído em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), teve o prazo de conclusão estendido de abril para maio devido à inclusão de 393,6 quilômetros de rodovias administradas pelo Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), além dos 758 quilômetros geridos pela EGR. A previsão do Estado é de que todas as praças mantidas hoje pela EGR devem continuar tendo pedágios e algumas daquelas geridas pelo Daer devem ter novas praças implementadas.

Nas próximas semanas, as secretarias de Parcerias e de Planejamento, Governança e Gestão apresentarão outras informações, como localização das praças de pedágio e valores das tarifas. Entre 18 de junho e 18 de julho devem ocorrer a consulta e audiências públicas, em que a população poderá opinar sobre o modelo de concessão de forma virtual.

Três lotes

O processo licitatório vai apresentar as rodovias estaduais divididas em três lotes. O critério adotado para a divisão tomou como base a proximidade geográfica, lotes viáveis sob forma de concessão comum e extensão capaz de atrair o maior número de investidores.

A empresa vencedora do leilão deve se comprometer com a duplicação e triplicação de 73% da malha viária. A RS-122, entre Portão e São Vendelino, deve ser duplicada, por exemplo; já a RS-240, que liga São Leopoldo a Capela de Santana, deve ser triplicada. O projeto prevê 808,6 quilômetros de acostamentos, entre implantações e adequações e 831 acessos qualificados.

No Bloco 1, que abrange as RSs 020, 040, 115, 118, 235, 239, 466 e 474, serão investidos R$ 3,9 bilhões. No Bloco 2 (Rss 128, 129, 130, 324, 453 e 135) serão investidos 3,8 bilhões. Já no Bloco 3 (RSs 122, 240, 287, 446 e RSC-453) serão investidos R$ 2,9 bilhões.

Iluminação, passarelas, posto policial e intersecção

O cronograma de investimentos e de execução dos trabalhos do novo programa estatal dividiu as rodovias estaduais em nove regiões funcionais de atuação do Daer. A divisão ocorreu com base nos Conselhos Regionais de Desenvolvimento (Coredes). Na R1, que abrange 70 municípios das regiões Corede do Vale do Caí, Metropolitana do Delta do Jacuí, CentroSul, Vale do Rio dos Sinos e Paranhana Encosta da Serra, a previsão de investimento é de R$ 143,19 milhões.

As obras anunciadas pelo governador englobam acessos municipais, ligações regionais e trabalhos de conservação e recuperação viária. Na R1, estão previstos recursos para três ligações regionais, com previsão de investimento de R$ 99,59 milhões. Entre estes, foram incluídas as obras complementares da RS-118, com seus 21,5 quilômetros de extensão, e valor previsto de R$ 54,3 milhões.

Conforme o Estado, o trecho deve ser concluído ainda em 2021. As obras complementares da RS-118 incluem a iluminação, construção das passarelas, posto policial e intersecção com a RS-030, em Gravataí. Também para a RS-118, estão previstos investimentos de R$ 17,6 milhões para para a ligação da estadual entre Viamão e Porto Alegre. Os 18,9 quilômetros da obra devem ser entregues em 2022.

Travessias da 118

Duas das seis passarelas para pedestres previstas para serem implantadas no trecho duplicado da RS118 começam a ser construídas em até 30 dias e devem ser entregues até o fim do ano. As travessias ficarão no km 5,1, em Sapucaia do Sul, e no km 10,4, no limite entre Gravataí e Cachoeirinha. No total, R$ 7,2 milhões serão investidos nas estruturas, que vão proporcionar mais segurança aos usuários da rodovia. As obras serão realizadas pela Salver Construtora e Incorporadora, que assinou o contrato com o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) - vinculado à Secretaria de Logística e Transportes (Selt), no dia 2 de junho.

De acordo com o diretor-geral do Daer, Luciano Faustino, todas as passarelas que serão implantadas na rodovia têm o mesmo padrão. De estrutura metálica, serão apoiadas em pilares de concreto armado e possuem 6,5 metros de altura (do pavimento até a estrutura) por 2,6 m de largura interna. As estruturas apresentam coberturas com telhas metálicas e telas nas laterais, para proteção. A duplicação da RS-118 passa por conserto desde o início de maio. No trecho de Gravataí, onde a pista é de concreto, no sentido litoral-Vale do Sinos, estão sendo realizadas as intervenções no pavimento, que devem seguir por mais dois meses.

Obras previstas em outros trechos da região 1

No total, o plano inclui a conclusão de 28 acessos municipais e 20 ligações regionais, além da elaboração de 39 projetos executivos, do pagamento de 39 convênios em vigor em diferentes cidades do Estado e da recuperação e conservação de rodovias. “Em nove anos, a EGR conseguiu duplicar sete quilômetros de rodovias. Estamos projetando, em cinco anos, duplicar 40 vezes mais do que a EGR foi capaz de fazer”, ressaltou Leite. Na R1, O plano de obras prevê recursos para duas ligações regionais, além da RS-373, com previsão de investimento total de R$ 99,59 milhões

 O programa prevê ainda a recuperação de 527 quilômetros de estradas somente na região. Em Taquara, a RS-020 receberá R$ 2,170milhões para pavimentação do trecho de 50,92 km até Gravataí. Já a ligação entre São Vendelino e Farroupilha será concluída com a destinação de R$ 907,3 mil. No pacote de obras ainda estão inclusas a RS-452 (Bom Princípio), RS-411 (Maratá) e a RS452 (Feliz).

O Estado ainda deve investir cerca de R$ 2,1 milhões no pagamento de convênios que estão ativos em dois municípios. Em Dois Irmãos, a obra já está 60% concluída. Em Riozinho, porém, ainda é necessária a contratação do projeto executivo para viabilizar a obra de pavimentação da RS-239.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.