Publicidade
Notícias | Região Retorno ao presencial

Rede municipal leopoldense se prepara para receber os estudantes

Primeiros a retornarem serão os alunos da Educação Infantil no dia 3 de agosto

Por Priscila Carvalho
Publicado em: 14.07.2021 às 03:00 Última atualização: 14.07.2021 às 07:50

Com o calendário de retorno presencial dos alunos às escolas da rede municipal definido para agosto, os educandários leopoldenses já estão se organizando para receber os estudantes. Totens de álcool gel, tapetes sanitizantes, máscaras de proteção, entre outros materiais, já foram enviados aos colégios que, agora, estão preparando equipe de profissionais e o espaço físico dentro dos protocolos sanitários.

Na EMEF Oswaldo Aranha, preparativos estão adiantados e materiais já estão separados Foto: Diego da Rosa/GES

A volta está programada para ocorrer a partir de 3 de agosto, de maneira escalonada. Primeiro, retornam as crianças da Educação Infantil. Na semana seguinte, dia 10, os estudantes do 1º e 2º ano do Ensino Fundamental. Na próxima semana, dia 17, alunos de 3º, 4º e 5º anos do Ensino Fundamental e, no dia 24 de agosto, as turmas de 6º a 9º ano, EJA e Acelera. Um dia antes de cada retorno, os professores devem voltar às escolas, para organizar as salas e os cronogramas de trabalho.

Dentro do cronograma

Conforme o secretário municipal de Educação, Ricardo Fernandes da Luz, todas as escolas já receberam os materiais necessários para recomeçar as aulas presenciais e os próximos passos serão ações como desratização e limpezas de caixas d'água, que já estão agendados. "Aquilo que não é perecível já está sendo encaminhado, e o que é perecível já tem as datas de entregas programadas. Não dá pra dizer que está pronto, porque sempre temos coisas pra melhorar, mas o que tem estar pronto neste momento, está. Nada está fora do cronograma estabelecido para o dia 2", afirmou. "As escolas têm feito um trabalho fantástico, nesse sentido", completou Fernandes.

Adiantados

Na Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Osvaldo Aranha, do bairro Feitoria, os preparativos já estão adiantados e a maioria das mudanças estruturais já foram realizadas. Logo na entrada e em diversos espaços, há totens e dispensers de álcool gel. Na secretaria, um acrílico foi colocado para separar quem procura atendimento de quem está atendendo. No refeitório, o novo distanciamento já foi aplicado e as mesas que estavam sobrando, retiradas.

Nas portas das salas, um cartaz identifica a turma e a sua capacidade máxima de acordo com os protocolos. Uma sala também já foi separada para servir de ambiente de isolamento, no caso de alguém apresentar sintomas de Covid-19. Em todas as salas de aula, a mesa do professor conta com álcool líquido, álcool gel e um pano.

Brinquedos

Nas salas de Educação Infantil, primeira a voltar, as mesas já estão separadas e adesivos demarcam o distanciamento no chão. Foram instalados dispensers de álcool gel e papel-toalha. Brinquedos que não poderão ser utilizados já foram retirados do alcance e guardados. "Os brinquedos que podem ser higienizados vão continuar disponíveis. Pelúcias e tapetes tiramos de circulação. Ficou só o que pode ser higienizado", explicou a diretora Karine Ebert.

Volta é facultativa

O retorno dos alunos deve ocorrer na modalidade semipresencial, dentro dos protocolos sanitários. As turmas devem ser divididas em Grupo A e Grupo B para atendimento presencial com até 50% de estudantes – por exemplo, quando o Grupo A assiste as aulas na escola, o Grupo B acompanha pela plataforma on-line e vice-versa. A carga horária presencial será de três horas diárias e uma hora de atividade complementar por dia. A volta será facultativa, cabendo a cada família a decisão de enviar os estudantes à escola ou não, comunicando a escola sobre a opção escolhida.

Na EMEF Osvaldo Aranha, que tem cerca de 290 alunos e atende de Educação infantil ao 5º ano do Ensino Fundamental, a diretora comentou que o número de alunos que deve voltar ainda não chegou à metade. “A comunidade ainda está receosa, pelo que temos conversado, eles ainda têm um pouco de medo, mas a gente acredita que depois que as coisas começarem a andar, eles vão se sentir mais seguros”, avaliou. “A gente entende, porque é muito tempo em casa, então, eles ainda têm um pouco de insegurança”, acrescentou Karine.

Últimos detalhes

Na escola, uma pesquisa prévia sobre quem retornaria já havia sido feita, e já estão sendo pensadas reuniões com as famílias dos alunos, na semana anterior de cada retorno de turmas. Todos os professores, estagiários e funcionários da escola também já tomaram a primeira dose da vacina contra a Covid. O que falta mesmo são as últimas higienizações e detalhes para possibilitar a volta presencial dos alunos.

Tapetes sanitizantes, por exemplo, serão colocados somente na véspera da volta. “Já temos todo o material, mas não estamos colocando ainda na sala para deixar bem pro início. Na semana que vem, vamos pintar as demarcações no chão do pátio e na semana anterior da volta, mais uma higienização será feita nos espaços”, completou Karine.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.