Publicidade
Notícias | Região PROBLEMA CONSTANTE

Furto de cabos e anúncio de greve no trem afetam a vida dos usuários

Em levantamento recente, concessionária divulgou que até agosto deste ano, número de furtos de cabos já era três vezes maior do que o registrado em 2020

Por Bianca Dilly
Publicado em: 01.09.2021 às 17:34 Última atualização: 02.09.2021 às 11:16

Em meio aos recorrentes problemas de furtos de cabos, a iminência de paralisação nos serviços dos trens a partir da próxima semana traz mais uma grande preocupação aos usuários da região. O Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Metroviário e Conexas (Sindimetrô/RS) anunciou nesta quarta-feira (1º) que pelo menos três ações serão realizadas nos próximos dias.

Trensurb: estação Novo Hamburgo Foto: Susi Mello/GES-Especial
Entre elas, a suspensão de serviços por 24 horas, que está marcada para a próxima quinta-feira (9). Além disso, o Sindimetrô prevê greve por tempo indeterminado, a partir do dia 12 de setembro, e ações durante a Expointer, com protestos e carro de som. De acordo com o Sindimetrô, os metroviários elaboraram o calendário manifestações em protesto à tentativa da Trensurb de retirar cláusulas históricas dos acordos coletivos da categoria.

O furto de cabos registrado na manhã de quarta-feira já não é novidade, e os ataques cresceram de forma significativa nas últimas semanas. Desde o dia 18 de agosto, em pelo menos seis ocasiões o serviço foi prejudicado por situações semelhantes. E se a segurança foi reforçada nos primeiros pontos, ladrões partiram para outros endereços, fazendo com que os ataques continuassem. Segundo a concessionária, o caso registrado hoje  aconteceu ao sul de São Leopoldo, local diferente dos anteriores.

Em levantamento recente, a concessionária divulgou que até o dia 15 de agosto deste ano, o número de furtos de cabos dos trens já era três vezes maior que o registrado em 2020. Na comparação com o mesmo período, de janeiro a 15 de agosto, o percentual teve um salto de 262%.

Para a assistente de comércio exterior Bruna Pilotto, 25 anos, que utiliza o transporte entre Canoas e Novo Hamburgo, os últimos dias têm sido complicados. “Desde o início dos furtos, dificilmente o trem passa no horário. Sempre tem atraso e fica difícil de se organizar para chegar nos compromissos”, relata.

Mesmo mudando a rotina, ela explica que não está resolvendo. “Nunca tive o que reclamar do trem até esse acontecimento, mas agora tenho chegado sempre atrasada no trabalho, mesmo saindo mais cedo. E também os trens estão mais lotados, devido ao intervalo muito grande”, afirma.

Bruna também já está preocupada com a possibilidade de paralisação de serviços. “Se tiver greve, os custos e o tempo de deslocamento seriam muito maiores para mim, pois teria que pegar trânsito pela manhã. Acredito que isso vai prejudicar muitas pessoas que dependem do transporte público”, avalia.

Reuniões para tratar da segurança

Para tentar encontrar uma solução para o problema, três reuniões entre representantes da Trensurb e de forças de segurança foram realizadas na última semana. Assessores do Comando Geral da Brigada Militar, da Polícia Federal e do Comando de Policiamento Metropolitano da Brigada Militar participaram dos encontros, que tiveram o objetivo de pensar em formas de prevenção para evitar futuros delitos.

Trensurb Foto: Arquivo/GES

Linha do tempo das últimas ocorrências

18 de agosto: fato ocorreu no trecho entre as estações Sapucaia do Sul e Luís Pasteur, causando lentidão no trajeto, que se estendeu até quinta-feira.

20 de agosto: foi a vez do trajeto entre as estações Unisinos e Rio dos Sinos, em São Leopoldo, sofrer com o furto de cabos.

21 de agosto: pela terceira vez, o caso voltou a se repetir, deixando o trem sem sinalização entre as estações Unisinos e Novo Hamburgo.

23 de agosto: o serviço ainda era afetado pelo furto do fim de semana.

26 de agosto: suspeito preso em São Leopoldo por furtar cabos em uma linha da Avenida Mauá.

Hoje: novo furto de cabos em São Leopoldo, afetando os embarques entre as estações Sapucaia do Sul e Novo Hamburgo por cerca de duas horas.

Negociações sobre a greve

A Trensurb informa que mantém as negociações com o Sindimetrô e, durante reunião de mediação com o TRT na tarde da última terça-feira, foi renovado o atual acordo coletivo por mais 30 dias. Conforme a concessionária, dos cinco sindicatos que representam as categorias de trabalhadores da Trensurb, dois já aceitaram a proposta de acordo. “A pedido da presidente do TRT, solicitou-se ao Sindimetrô o adiamento da greve marcada para o dia 9 e que, nesses próximos 30 dias, sejam mantidas as negociações”, conclui, em nota.

Segundo o sindicato, ainda há a possibilidade de o planejamento ser alterado, dependendo da reunião que o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) mediará entre Sindimetrô e Trensurb na próxima segunda-feira. O encontro está marcado para iniciar às 16h30. Caso a concessionária apresente algo novo, a categoria fará avaliação em nova assembleia geral agendada para a próxima quarta-feira (8), ao meio-dia. “Do contrário, segue conforme o organizado”, conclui.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.