Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região Meio Ambiente

Lixo nosso de cada dia: acúmulo é problema do poder público e da população

Na coluna especial sobre meio ambiente deste final de semana, fazemos uma reflexão sobre a produção de lixo e sobre a necessidade da sociedade criar uma revolução verde

Por Marcelo Kenne Vicente
Publicado em: 24.09.2021 às 03:00 Última atualização: 24.09.2021 às 15:27

Lixo é jogado embaixo do viaduto da Vargas, em Sapucaia do Sul
Lixo é jogado embaixo do viaduto da Vargas, em Sapucaia do Sul Foto: Marcelo Vicente/GES
É só caminhar por aí para constatar rapidamente que, apesar de existirem lixeiras nas proximidades, há sempre lixo jogado nas ruas e calçadas. Segundo o último relatório da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), o País produz mais de 79 milhões de toneladas de lixo por ano. E embora muitas cidades estruturem serviços de limpeza urbana, incluindo coleta de lixo seletiva, o que se vê é muita sujeira espalhada, como nestas duas fotos (acima e abaixo) feitas nesta semana em Sapucaia do Sul (embaixo do viaduto da Vargas) e em Novo Hamburgo (terreno baldio na Nações Unidas). Máxima do filósofo grego Platão: “Tente mover o mundo. O primeiro passo será mover a si mesmo”.
Acúmulo de lixo em terreno abandonado em Novo Hamburgo
Acúmulo de lixo em terreno abandonado em Novo Hamburgo Foto: Marcelo Vicente/GES

Revolução industrial verde
O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, discursou na quarta-feira na ONU sobre a necessidade dos países assumirem a responsabilidade pela destruição causada ao meio ambiente e que provoca o aquecimento global. “Temos ferramentas para uma revolução industrial verde”, afirmou. Bom conceito!

Ambientalista de Wall Street
Enquanto isso, o ator norte-americano Leonardo DiCaprio está apostando em start-ups para a produção de carne alternativa. Segundo ele, uma das formas mais eficazes de combater a crise climática é transformar nosso sistema de alimentação. A criação de gado em grande escala é uma fonte de gases de efeito estufa, devido ao desmatamento e às emissões dos próprios animais.

Educação ambiental em Ivoti

Centro é um espaço para oficinas e outras ações de cunho ambiental
Centro é um espaço para oficinas e outras ações de cunho ambiental Foto: Divulgação
Nesta semana, o Centro de Educação Ambiental do Município de Ivoti (Ceami) completou 10 anos de atividades. Além disso, depois de 18 meses fechado por causa da pandemia, o espaço voltou a receber crianças e comunidade em geral para a realização de atividades direcionadas à conscientização ambiental. Neste sábado pela manhã, o Ceami realiza oficinas de compostagem, orientações sobre prevenção à dengue e a troca de material reciclável por mudas de chás, temperos e verduras.


Conteúdo com apoio institucional da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan).

 

 

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.