Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região VIOLÊNCIA

Ladrão de caminhões é morto a tiros na frente de igreja lotada no Vale do Sinos; veja vídeo

Execução do criminoso, que tinha saído do presídio no mês passado, interrompeu culto e deixou fiéis desesperados

Por Silvio Milani
Publicado em: 13.12.2021 às 21:19 Última atualização: 14.12.2021 às 09:22

A igreja pentecostal no bairro São Miguel, em São Leopoldo, está lotada para o culto de domingo à noite. De repente, por volta das 20 horas, a paz de um hino evangélico entoado com emoção é assombrada por bateria de tiros na porta da frente, na Rua Homero Batista. É a execução de um dos principais ladrões de caminhões do Vale do Sinos, liberado da cadeia há pouco mais de um mês.

“Baixa, baixa”, gritam fiéis, enquanto pistoleiros abrem fogo no lado de fora. Cadeiras no chão, correria em direção ao altar e crianças chorando dão o tom do desespero. Quem está na rua entra no templo para se proteger. O grupo de atiradores vai embora em uma moto e uma caminhonete. Um automóvel Audi Q3 preto, avaliado em R$ 300 mil e crivado de balas, fica na frente, quase no meio da rua. O motorista agoniza. É Maicon Oliveira dos Santos, o Maico, 31 anos, com condenações por furtos de caminhões em várias cidades da região.

Policiais encontraram carro da vítima abandonado nos fundos do Hospital Centenário
Policiais encontraram carro da vítima abandonado nos fundos do Hospital Centenário Foto: Polícia Civil

Polícia apura se Audi é roubado e clonado

Um homem chega logo depois e leva o ferido no carro atacado ao Hospital Centenário. Com sete tiros nas costas e um na nuca, Maico chega já sem vida ao setor de emergência. A Brigada Militar é avisada sobre a entrada de um baleado no hospital e encontra o Audi abandonado nos fundos, na Rua Emílio Meyer. Os policiais isolam a área para perícia. O automóvel, em nome de outra pessoa, não está em ocorrência de furto ou roubo. A Polícia Civil apura se é roubado e clonado.

Delegado sabe quem socorreu

Segundo o delegado de Homicídios de São Leopoldo, André Serrão, ainda não é possível dizer se havia outra pessoa com Maico no Audi. “O que podemos afirmar é que um irmão dele passou ali e o socorreu ao hospital.” O policial frisa que há várias motivações investigadas, entre elas os crimes cometidos pela vítima e uma tentativa de homicídio que sofreu há três anos.

É cedo, conforme Serrão, para falar em suspeitos. Pelo menos quatro homens passaram atirando na moto e caminhonete. Seriam veículos roubados, que a Policia tenta identificar por meio de câmeras e testemunhas. “Já podemos descartar o latrocínio (roubo com morte), porque nada foi roubado.” O irmão deve ser ouvido no decorrer da semana, assim como pessoas que tenham visto o ataque. Há relatos de testemunhas sobre uma mulher que teria mexido no carro antes de ser abandonado.


Apenado receberia tornozeleira nesta quarta-feira

Maico saiu da Cadeia Pública de Porto Alegre no dia 9 de novembro, quando progrediu do regime fechado para o semiaberto. Por falta de vagas no sistema prisional, ganhou direito à prisão domiciliar com uso de tornozeleira eletrônica. No entanto, também não havia equipamento disponível. Mesmo com condenações, estava sem qualquer fiscalização. A instalação do aparelho de monitoramento estava marcada para esta quarta-feira (15).

Última condenação foi em Novo Hamburgo

Entre as várias condenações por arrombamentos e furtos de caminhão, a última foi em Novo Hamburgo. Na sentença, de outubro de 2018, o juiz da 2 ª Vara Criminal da cidade, Marco Braga Salgado Martins, aplicou pena de dois anos no semiaberto.

Maico tinha sido preso em flagrante por volta das 12h30 de 10 de setembro de 2014, período de onda de arrombamentos e furtos de caminhões em área de restaurantes na Avenida Sete de Setembro. Os ladrões aproveitavam a parada de motoristas nas imediações para almoçar. Maico seria o principal. Naquele dia, ele só não levou uma carreta baú porque foi impedido pela Brigada Militar. Já tinha arrombado o veículo com uma chave micha. Apesar do flagrante, Maico negou autoria. Ficou preso por poucos dias, apesar dos antecedentes.

Penas também em Portão e São Leopoldo

Em dezembro de 2015, Maico ganhou um ano e quatro meses no regime aberto em razão de flagrante feito pela Brigada Militar ao meio-dia de 2 de abril de 2012, quando arrombou um Ford Cargo carregado com R$ 130 mil em alimentos na frente de uma churrascaria em Portão. Estava com chave micha. A sentença foi aplicada pelo juiz Rodrigo Kern Faria.

Maicon Oliveira dos Santos
Maicon Oliveira dos Santos Foto: Reprodução


Em São Leopoldo, terra natal do ladrão, há condenação parecida em setembro de 2011, da juíza Adriane de Mattos Figueiredo. De novo um ano e quatro meses no regime aberto por crime cometido no início da madrugada de 2 de maio, no Centro de São Leopoldo, também na frente de um restaurante e igualmente com flagrante da BM. Maico e um comparsa só não levaram um caminhão carregado com R$ 145 mil em alimentos porque foram surpreendidos pelos policiais. Mas comparsas que davam cobertura em um Vectra conseguiram fugir.

O leopoldense também tinha antecedentes por furto em comércio, furto em veículo, furto qualificado, lesão corporal e receptação.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.