Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região TROCA-TROCA

Deputados gaúchos mudam de partido visando às eleições

PL foi a sigla que mais recebeu novos filiados

Por Eduardo Amaral
Publicado em: 04.04.2022 às 12:57 Última atualização: 04.04.2022 às 13:02

O calendário eleitoral gerou movimentação intensa nos partidos nos últimos dias. A última sexta-feira (1º) marcou o fim da janela partidária de 2022 - período permitido para troca de siglas sem que isso implique infidelidade partidária e perda de mandato.

O PL, comandando nacionalmente por Valdemar da Costa Neto, e, no Rio Grande do Sul, por Giovane Cherini, foi a legenda com ingresso mais representativo de deputados. Instigados pela ida do presidente Jair Bolsonaro para o partido de extrema-direita, parlamentares alinhados ao governo federal fizeram migração em massa para a legenda. A sigla já trabalha na pré-campanha de Onyx Lorenzoni ao governo do Estado, ministro de Bolsonaro e fiel defensor de sua gestão.

Somando deputados estaduais e federais, o PL gaúcho teve nove novas filiações, perdendo apenas Vilmar Lourenço, que migrou do PL para o Progressistas.

Em contrapartida ao PL, o PTB viu suas bancadas se esfacelarem nos últimos dias com a saída de cinco políticos gaúchos. A crise no partido no Rio Grande do Sul está aberta desde que o presidente nacional da legenda, Roberto Jefferson, entrou em atrito com o então governador Eduardo Leite (PSDB) e o vice, Ranolfo Vieira Júnior, à época filiado ao PTB.

A saída em massa dos políticos do partido, no entanto, não significa um afastamento da direita, já que quatro dos cinco migraram para o União Brasil ou PL, com apenas Maurício Dziedricki indo para o Podemos.

Confira abaixo todas as mudanças partidárias.

Deputados federais
Deputados estaduais
Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.