Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região VALE DO SINOS

Prefeitos da Amvars falam em 'pré-colapso' da saúde

Atendimentos represados e aumento de demanda entre preocupações

Por REDAÇÃO
Publicado em: 20.05.2022 às 03:00 Última atualização: 21.05.2022 às 18:20

A Associação dos Municípios do Vale do Rio dos Sinos (Amvars) descreveu a situação regional da saúde como "em pré-colapso". Prefeitos reunidos na quinta-feira (19) em Santa Maria do Herval frisaram a preocupação com um conjunto de fatores que inclui demanda represada de atendimentos, escassez de profissionais de saúde e de insumos e crescimento de procura nos postos de saúde por causa da combinação de doenças do frio, dengue e indícios de uma nova onda de Covid-19.

"Só em especialidades como traumatologia e ortopedia, oncologia e oftalmo - serviços oferecidos pelo Estado em hospitais e clínicas credenciadas - a lista de pacientes aguardando atendimento chega a 10.168 pessoas. Outro problema recente da rede é a procura elevada às unidades de Pronto Atendimento, agravada pela falta de profissionais", menciona comunicado distribuído pela Amvars.

"Está difícil conseguir mão de obra na área de saúde. Enfrentamos um verdadeiro leilão para poder contratar. Mesmo pagando acima do teto do SUS, não há profissionais", observa Jerri Meneghetti, presidente da Amvars, reforçando que é para atendimento infantil que os municípios mais enfrentam dificuldades. A nota da Amvars menciona que "além da falta de profissionais, alguns municípios enfrentam a resistência dos clínicos gerais em atender essa faixa etária de paciente sob alegação de fugir da especialização". "Essa situação está agravando a situação financeira dos municípios. Não há orçamento para isso", destaca Meneghetti.

Fatores

A reunião teve a participação dos prefeitos de Campo Bom, Dois Irmãos, Morro Reuter, Santa Maria do Herval, São Leopoldo e Sapiranga. Os prefeitos apontam como causas para a situação da saúde os problemas estruturais na rede SUS e morosidade no encaminhamento de consultas e exames que dependem do Estado. Além disso, são apontados como fatores que tendem a se agravar as doenças sazonais provocadas pelo frio, além da dengue e coronavírus.

"Sem o envolvimento do Estado não temos como resolver. Aguardamos a agenda com a secretária para poder debater soluções", diz Jerri. Reunião com a secretária Arita Bergmann está prevista para a próxima semana. Na próxima semana, também, a Amvars realiza reunião com secretários de Saúde da região para obtenção de números atualizados de demanda reprimida de atendimento.

Buscando soluções

Conforme o presidente da Amvars Jerri Meneghetti, será feito, via consórcio público regional, um chamamento público para contratação de serviço médico e exames.

"Através deste processo, pelo volume maior, a tendência é que possamos ter os serviços com menores custos à disposição dos municípios consorciados. Além disso, estamos com uma reunião marcada com a secretária estadual de Saúde para o final da próxima semana, com o propósito de pedir auxílio do Estado para superar este momento", salienta.

Ainda segundo Meneghetti, a associação vai solicitar soluções para problemas crônicos em algumas especialidades médicas, como traumato-ortopedia e oftalmologia. "São referenciados pelo Estado e a fila de espera causa sofrimento aos pacientes há anos", explica.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.