Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região Temporada do movimento

Após dois anos, Festival Sul em Dança está de volta aos palcos

Um dos maiores festivais de dança do Brasil realiza de forma presencial a sua 18.ª edição de 27 a 30 de maio

Por Alecs Dall' Olmo
Publicado em: 21.05.2022 às 08:00 Última atualização: 21.05.2022 às 08:31

Com uma apresentação especial dos bailarinos da Cia. Jovem Bolshoi Brasil. Assim vai iniciar 18.ª edição do Sul em Dança, um evento que foi idealizado em São Leopoldo pela produtora cultural Margit Kolling e contou com várias edições na cidade leopoldense e depois em Novo Hamburgo. A retomada do festival, depois de uma pausa de dois anos por conta da pandemia da Covid-19, ocorre de 27 a 30 de maio, no Teatro do Sesi, em Porto Alegre. E a região estará em cena na abertura.

Sentimento especial no retorno com muitas histórias ao longo de 18 anos
Sentimento especial no retorno com muitas histórias ao longo de 18 anos Foto: Claudio Etges/Arquivo

A Cia. Jovem Bolshoi Brasil vai mostrar as obras 'Dolce Luna', do coreógrafo Rafael Vedra; e o adágio, do terceiro ato do Ballet Don Quixote. Atualmente, a Cia. é formada por 16 bailarinos, ensaiados pela professora gaúcha, Antonieta Spadari. No elenco, Vitória Martiny, de Novo Hamburgo, e os gêmeos Murilo e Maurílio Muniz, de Santo Antônio da Patrulha.

Para completar, a noite de abertura, que começa às 19 horas, terá ainda outro convidado especial com performance do paulista Jhean Allex, diretor da Raça Cia de Dança de São Paulo, que também é um dos jurados do evento. A parte competitiva, a partir do dia 24, irá mobilizar inúmeros grupos de escolas e companhias nas modalidades balé clássico, balé clássico repertório, dança contemporânea, danças urbanas, estilo Livre e jazz.

"A dança de volta aos palcos, de forma presencial, representa um novo respiro para todos, uma emoção enorme estarmos novamente juntos e conectados para viver os momentos tão especiais que merecemos, mostrando a força da arte, em toda sua vitalidade e diversidade", reforça Margit. "A retomada está sendo muito esperada por todos. É um verdadeiro momento de esperança para todo setor, que foi duramente atingido nesses dois últimos anos", avalia.

Organização

Segundo ela, recomeçar é sempre desafiador, pois envolve restabelecer conexões, fazer a roda girar novamente no processo organizado que ela já estava acontecendo. "Em tão pouco tempo esse ano está exigindo um grande movimento, organização e força de ação. O orçamento original do projeto também foi afetado, pois ele foi escrito em 2019, e está sendo executado agora, mas estamos fazendo tudo que está ao nosso alcance para oportunizar a realização dele, sabemos a importância para o setor", enfatiza a produtora e também diretora do Sul em Dança.

"Este ano teremos duas edições, uma agora em maio e outra em setembro, edições de 2020 e 2021 respectivamente, o que nos exigirá muita organização e trabalho, mas também nos possibilitará muitos momentos emocionantes e conexões especiais."

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.