Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região INVESTIGAÇÃO

Casa é invadida e cachorra cega é espancada até a morte em Estância Velha

Nada foi roubado e a residência não tinha sinais de arrombamento. Autoria do crime segue desconhecida

Por Ubiratan Junior
Publicado em: 14.06.2022 às 22:50 Última atualização: 14.06.2022 às 23:14

Na madrugada de sábado (11) uma cachorra foi espancada até a morte no bairro Encosta do Sol, em Estância Velha. De acordo com a proprietária do animal, a gerente financeira Márcia Barth, de 57 anos, o animal de cor caramelo, porte médio e sem raça definida era cego e surdo.

Pirulito foi morta na madrugada de sábado (11) no bairro Encosta do Sol, em Estância Velha
Pirulito foi morta na madrugada de sábado (11) no bairro Encosta do Sol, em Estância Velha Foto: Arquivo Pessoal
“Eu estava viajando e uma vizinha estava indo tratar os meus cachorros. No sábado pela manhã encontrou a minha cachorrinha morta”, conta Márcia. Pirulito, como era chamada a mascote, estava com ela há cerca de 15 anos. Além da cachorra brutalmente morta a pauladas, havia na residência outros dois animais, uma Beagle, chamado de Fiona e uma ouyra cadela da raça Boiadeiro australiano, de nome Pirata. “Acredito que os outros dois tenham se escondido durante a ação do crime”, diz Márcia.

Ela conta que os animais não costumavam latir com frequência e que nunca teve nenhum problema por causa deles. Como estava em viagem quando o crime aconteceu, o filho dela foi até a residência após a vizinha avisar sobre o acontecido, foi ele quem fez o boletim de ocorrência na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de Novo Hamburgo. 

Na segunda-feira (13), o Departamento de Proteção Animal do município esteve no local do crime para fazer levantamento de informações que foram repassadas à Polícia.  A proprietária da casa conta que a cena encontrada, com vestígios de sangue, chocou até os agentes municipais. 

Márcia acredita que quem cometeu o crime pulou o muro da casa e fez isso apenas com a intenção de fazer a ação. Nada foi roubado e a moradia não tinha sinais de arrombamento.

Preocupado com a segurança da mãe, Diogo Barth Reis, de 36 anos, instalou câmeras de vigilância na casa dela. Márcia também admite estar com medo. “Me sinto péssima, parece que foi dentro de mim. Assim como foi com ela (Pirulito), poderia ter sido comigo. Eu pelo menos teria como tentar me defender, diferente da minha cachorra, que era velha e cega”, finaliza.

O delegado Rafael Sauthier, titular da Delegacia de Estância Velha, disse que aguarda a ocorrência ser encaminhada da DPPA para que a sua equipe possa assumir as investigações. Até o momento a autoria do crime é desconhecida.

 

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.