Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região EMBRIAGUEZ AO VOLANTE

Justiça homologa prisão em flagrante e concede liberdade provisória a vereador de Novo Hamburgo

Pedetista Darlan Oliveira teria dirigido sob efeito de álcool; Brigada confirma que ele chegou a resistir a uma abordagem

Por Redação
Publicado em: 15.06.2022 às 20:53 Última atualização: 16.06.2022 às 10:08

O vereador de Novo Hamburgo Darlan Oliveira (PDT) está em liberdade provisória. A informação foi confirmada pelo advogado do parlamentar, André von Berg, na noite desta quarta-feira (15). Segundo ele, a Justiça homologou a prisão em flagrante de Darlan por embriaguez ao volante, mas concedeu liberdade provisória.

Vereador de Novo Hamburgo Darlan Oliveira (PDT)
Vereador de Novo Hamburgo Darlan Oliveira (PDT) Foto: Maíra Kiefer/CMNH
Por meio de nota, o advogado frisou que "não havia a menor necessidade da condução do vereador até a delegacia" e que Darlan Oliveira "está de consciência absolutamente tranquila, pois não praticou nenhum ilícito, confiando na sua absolvição na Justiça". André von Berg disse ainda que "devemos ter cautela antes de condenar qualquer pessoa sem que tenha sido julgada pela Justiça".

Vereador em primeiro mandato, Darlan foi detido pela Brigada Militar por volta das 9h45 desta quarta-feira. Uma pessoa telefonou para o 190 dizendo que havia sido ameaçada pelo parlamentar. Enquanto os PMs estavam a caminho do bairro Diehl, onde teria sido a ocorrência, foram recebidos mais dois telefonemas.

Quando os policiais chegaram ao local da ocorrência, Darlan dirigia um Fox e apresentava sinais de embriaguez. Segundo o subcomandante do 3º Batalhão de Polícia Militar, major Alexandro Formoso, o vereador teria resistido à abordagem e tentado fugir. Logo após, se apresentou como vereador. "Estava em um estado visivelmente transtornado, sem motivo", conta o oficial.

Levado pela BM à Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA), que fica na esquina da Câmara Municipal de Novo Hamburgo, o vereador foi então encaminhado para atendimento médico na UPA Canudos. A delegada plantonista Marjani Simch confirmou que o caso foi registrado como embriaguez ao volante.

O vereador teria se recusado a fazer o teste do bafômetro, bem como exame clínico toxicológico. Ela confirmou que dentro do carro em que o vereador estava foram encontrados um cachimbo usado para consumo de crack e uma garrafa de cerveja.

Revelado em primeira mão pelo Jornal NH ainda no fim da manhã, o caso repercutiu no Legislativo. O presidente Cristiano Coller chamou uma reunião de urgência no início da tarde para discutir o assunto, o que acabou atrasando o início da sessão desta quarta-feira. Coller não chegou a anunciar se alguma medida será tomada.

Nos últimos dias, o nome de Darlan tem ganhado destaque tanto no noticiário político quanto no policial. Ele foi indiciado pela Delegacia da Mulher por suposta agressão à ex-namorada. Dias depois, a 1ª Delegacia da Polícia Civil da cidade abriu inquérito para apurar suposta rachadinha de salários operada pelo vereador com ocupantes de cargo em comissão (CC) indicado por ele na Prefeitura. Darlan nega irregularidades.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.