Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região CONTRATO EM RISCO

Prefeitura de Campo Bom e administradora do Hospital Lauro Reus podem romper contrato

Governo municipal diz que estuda mudar gestora do hospital, mas empresa diz que tem interesse em manter convênio

Por Matheus Chaparini e Eduardo Amaral
Publicado em: 30.06.2022 às 18:38 Última atualização: 30.06.2022 às 19:21

O convênio entre o governo de Campo Bom e a Associação Beneficente São Miguel (ABSM), gestora do Hospital Lauro Reus, está sob risco. Em nota oficial, a prefeitura afirma que “trabalha com a possibilidade de mudanças na empresa gestora do Hospital Lauro Reus.”

Hospital Lauro Reus
Hospital Lauro Reus Foto: Fábio Winter/Especial

No entanto, o governo não detalha os motivos da mudança e nem deu previsão para a decisão final. “Como se trata de um processo que envolve diversas etapas, não temos como passar mais informações no momento.”

O vereador Adilson Tareco (PDT) enviou uma série de questionamentos à ASBM, no dia 27 de junho. O parlamentar, que pertence ao mesmo partido do prefeito Luciano Orsi, faz os seguintes questionamentos à Associação: "a atual gestora possui dívidas? Se sim, qual razão? A atual gestora está com o pagamento de colaboradores, técnicos e médicos em dia? A atual gestora tem a intenção de não mais administrar o hospital? Os repasses da prefeitura estão em dia".

O Jornal NH teve acesso ao ofício enviado pela ASBM ao vereador respondendo aos questionamentos. No texto, os administradores do Lauro Reus afirmam que têm o interesse em manter o contrato com o governo municipal, que de acordo com a licitação vencida por eles vigora até 2025. Entretanto, a ASBM diz que a pandemia do coronavírus desequilibrou as finanças da instituição, mas mesmo assim todos os pagamentos e compromissos fiscais estão em dia.

No ofício, a ASBM ainda reclama que solicitou ao governo municipal uma revisão dos valores repassados para a administração hospitalar, no dia 24 de setembro de 2021, mas que o valor acatado pelo Poder Público foi muito inferior ao necessário. A resposta do governo veio no dia 8 de fevereiro deste ano, com a concessão de um valor extra de R$ 279,69 mil, valor que seria retroativo apenas ao mês de setembro do ano passado. A ASBM diz que o déficit financeiro no período pandêmico, entre março de 2020 e setembro de 2021, seria de R$ 780 mil.

A entidade ainda se queixa da visita técnica ao hospital por parte de profissionais da Associação Hospitalar Vila Nova (AHVN) acompanhados por funcionários da Secretaria da Saúde e que soube através da imprensa do desejo do governo de mudar a gestão.

Pacientes sem oxigênio

Em meio a pandemia, no dia 19 de março de 2021, uma falha no sistema de oxigênio do Lauro Reus causou a morte de seis pacientes. No dia 18 de março deste ano, o Ministério Público entrou com ação pedindo indenizações às famílias das vítimas.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.