Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região SEGURANÇA PÚBLICA

Penitenciária de Canoas é ampliada e poderá receber até 581 presos

Inauguração de ala com 188 novas vagas e de três pavilhões de trabalho ocorreu nesta sexta-feira; investimento foi de R$ 13 milhões

Por Juliano Piasentin
Publicado em: 01.07.2022 às 12:45 Última atualização: 01.07.2022 às 15:00

Foi inaugurada, na manhã desta sexta-feira (1º), uma nova área, com 900 metros quadrados, na Penitenciária Estadual de Canoas (Pecan). A ampliação inclui uma nova ala para presos e três novos pavilhões de trabalho. Com a nova estrutura, o número de vagas cresceu, passando de 393 para 581, ou seja, 188 vagas a mais. O investimento do governo do Estado foi de R$ 13 milhões.

"Precisávamos de espaços adequados para que os presos pudessem trabalhar. Passei muito tempo improvisando, e as condições não eram as melhores", reconhece a diretora da casa prisional, Magda Rosane da Silveira Pires.

Três pavilhões e nova ala para presos foram inaugurados na Pecan
Três pavilhões e nova ala para presos foram inaugurados na Pecan Foto: PAULO PIRES/GES
Para a diretora, o diferencial da Pecan é a valorização da educação e do trabalho. "Tratamos como a oportunidade de um novo recomeço para os apenados." Magda sustenta que é fundamental mudar os paradigmas de como as pessoas que estão presas são vistas pela sociedade. "Além do trabalho, temos na Pecan um plano terapêutico definido, as pessoas precisam de tratamento", defende.

Presente na cerimônia de inauguração, o prefeito em exercício de Canoas, Nedy de Vargas Marques, afirmou que, como advogado criminalista, conheceu de perto a situação de pessoas presas em más condições. "O que se vê nesta penitenciária é o contrário", destaca. Na ocasião, o prefeito comprometeu-se a pavimentar uma área de acesso à casa prisional, atendendo a pedido feito pelo secretário estadual de Justiça e Sistema Penal e Socioeducativo, Mauro Hauschild.

Espaços de trabalho

Durante discurso na cerimônia de inauguração, o secretário justificou que a criação de espaços de trabalho para os detentos é necessária para que eles recebam oportunidades. "O que leva as pessoas ao crime é a falta de oportunidade." Ele reiterou que, quanto mais investimentos no presídio, mais cobranças por resultado serão feitas. "Hoje, temos aqui um novo modelo, uma nova proposta e pretendemos expandi-la para outras penitenciárias do Estado."

Entre as opções de trabalho disponíveis ou que serão implementadas, em parceria com empresas, estão: costura de uniformes e camisetas, produção de cadeiras sintéticas, além de funções vinculadas a padarias e lavenderias.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.