Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região PREVENÇÃO

Prefeitura realiza novo levantamento sobre Aedes aegypti em São Leopoldo

Município já soma quatro óbitos por dengue em 2022; morte mais recente foi confirmada quinta-feira (30)

Por Redação
Publicado em: 02.07.2022 às 08:01 Última atualização: 03.07.2022 às 17:36

O período de frio reduz a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika vírus e febre chikungunya. No entanto, os cuidados precisam ser mantidos para evitar a eclosão com a volta do calor. O ovo do mosquito é extremamente resistente, podendo durar por mais de um ano. Por isso, o trabalho da prefeitura prossegue o ano todo.

Município já soma quatro óbitos por dengue em 2022
Município já soma quatro óbitos por dengue em 2022 Foto: Arquivo/GES

A Secretaria Municipal da Saúde (Semsad) iniciou nesta semana mais um Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti, o LIRAa. O processo possibilita o diagnóstico dos locais mais propensos para a proliferação do mosquito. No início da próxima semana as equipes percorrerão os bairros Santa Tereza, Cohab Duque, Morro do Espelho, Jardim América, Rio Branco, Pinheiros e São José.

O titular da Semsad, Diego Pitirini, pede que a população receba os agentes de combate às endemias em seus pátios. “Nossos servidores são identificados com coletes verdes e crachás. Pedimos a colaboração de todos. O LIRAa é um processo mais intenso, que abrange toda a cidade e nos apresenta uma situação do momento sobre a dengue. Vamos aproveitar o inverno para eliminar os focos de água parada antes que volte o calor. Não podemos baixar a guarda”, alertou.

O último LIRAa, realizado em fevereiro, registrou risco médio para a proliferação do mosquito. A partir das informações recolhidas, a Vigilância Ambiental elabora uma estratégia preventiva de atuação. No LIRAa, os agentes percorrem aproximadamente 600 quarteirões, realizando em média 3,5 mil visitas no período de duas semanas. Para dinamizar o trabalho, os servidores se dividem em duplas que ficam responsáveis por um quarteirão.

4 mortes 

Em 2022, São Leopoldo já contabiliza quatro óbitos por dengue. O caso mais recente foi confirmado na quinta-feira (30). A vítima, segundo a Secretaria Estadual da Saúde era uma mulher, com idade entre 40 e 49 anos. 

O Município com mais registros do Rio Grande do Sul é Novo Hamburgo, que teve oito mortes este ano. Na sequência, está Igrejinha, cidade que acumula seis óbitos.

O Estado já registrou mais de 47 mil casos este ano. Desses, 41.332 são autóctones, ou seja, contaminações que aconteceram dentro do RS.

 

 

 

Prevenção e controle diário em São Leopoldo

O controle vetorial e a prevenção ao Aedes são realizados pela Vigilância Ambiental com base nas Diretrizes Nacionais para a Prevenção e Controle de Epidemias de Dengue do Ministério da Saúde (MS). Atualmente, a equipe da Vigilância Ambiental conta com duas biólogas, uma residente em biologia, dois veterinários e 20 agentes de combate às endemias (ACEs).

O trabalho de prevenção é feito diariamente por meio de visitas domiciliares e em pontos estratégicos (PEs), como por exemplo: cemitérios; borracharias; floriculturas; ferros-velhos, e depósitos de material de construção. Quando são encontrados focos do mosquito ou possíveis criadouros, a equipe realiza atividades educativas, tratamento mecânico (eliminação de criadouros) e coleta de amostras para identificação laboratorial.

Sobre o LIRAa

O Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) ocorre durante duas semanas, dependendo da ocorrência de chuvas. A meta é alcançar todos os bairros de São Leopoldo. Trata-se de uma metodologia recomendada pelo Ministério da Saúde para a determinação do Índice de Infestação Predial (IIP) do mosquito Aedes aegypti, de maneira rápida, auxiliando no direcionamento das ações de controle e na avaliação das atividades desenvolvidas.

Os bairros são agrupados em sete estratos, dos quais são sorteados os quarteirões que serão visitados pelos agentes. São inspecionados 20% dos imóveis de cada quarteirão sorteado para a coleta de formas imaturas do mosquito, larvas ou pupas.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.