Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região REGIÃO

São Leopoldo se destaca em índices de Inovação e Dinamismo Econômico

Ranking de Competitividade dos Municípios aponta a cidade em 12.º lugar, no Brasil, no quesito Inovação

Por Jéssica Ramos
Publicado em: 19.10.2022 às 03:00 Última atualização: 19.10.2022 às 07:24

São Leopoldo alcançou a 12.ª posição do Brasil, no quesito Inovação e Dinamismo Econômico, no Ranking de Competividade dos Municípios 2022. Na colocação geral, a cidade se classificou na 113ª posição, o que significa que avançou 29 posições, considerando o ranking do ano passado, quando estava no 142º lugar.

Ranking de Competitividade dos Municípios aponta a cidade em 12.º lugar, no Brasil, no quesito Inovação
Ranking de Competitividade dos Municípios aponta a cidade em 12.º lugar, no Brasil, no quesito Inovação Foto: Reprodução

Para o prefeito Ary Vanazzi, os resultados atestam que São Leopoldo está no caminho certo. "Nosso governo tem dado uma atenção toda especial ao desenvolvimento econômico, a meta é chegar em 2024 como a quarta economia do Estado. Programas de qualificação da mão de obra local, parcerias sólidas com entidades patronais e dos trabalhadores, juntamente com a desburocratização dos nossos processos, são pautas permanentes", destacou.

Prioridade

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Turístico e Tecnológico (Sedettec), Juliano Maciel, disse que o avanço no ranking é fruto da decisão do atual governo de investir no quesito inovação, adotando uma política que também visa desburocratizar serviços.

Para o secretário-geral de Governo, Nelson Spolaor, a classificação dialoga com um conjunto de ações da atual administração, que está comprometida com a inovação, e tem investido em equipamentos e sistemas, bem como em programas relacionados ao tema. Questionado sobre o quesito "Acesso à Educação", cujo Município teve nota 35.69, a menor desta edição do ranking para São Leopoldo, explicou que o resultado também engloba o índice do Ensino Médio, que compete ao Estado. "Naquilo que é de competência nossa, do Município, temos feito todos os esforços, e nossa política tem demonstrado resultados positivos."

Saúde põe Esteio no 2º lugar do quesito

No quesito Qualidade da Saúde, Esteio alcançou o segundo lugar do ranking, a nível nacional, avançando 161 posições em relação à colocação do ano passado. A nota foi influenciada por dois indicadores que tiveram nota 100, a máxima, “Mortalidade Materna” e “Mortalidade na Infância”. O prefeito Leonardo Pascoal disse que ficou feliz com o avanço no quesito, e que o resultado não é fruto do acaso.

“Temos realizado um trabalho atento às questões da infância e também à maternoinfantil. A nota muito nos orgulha, pois a Saúde realmente tem sido uma prioridade do nosso governo”, explicou. Pascoal ponderou, no entanto, que é preciso avaliar os estudos divulgados com atenção, pois, segundo ele, a metodologia de cada ranking acaba beneficiando cidades maiores a exemplo das capitais, ou deixando de contemplar determinadas questões comuns a todos os municípios.

“Não que os municípios maiores não tenham seus méritos, mas há quesitos que beneficiam cidades somando nota de indicadores que não são tão simples, como o do acesso à educação, por exemplo, que contabiliza a taxa de matrícula no ensino superior”, considerou Pascoal. De modo geral, o prefeito disse que, salvas as considerações, o ranking é uma ferramenta importante, no sentido de gerar indicadores e notas que podem ser observadas e agregar experiência à gestão pública.

“Considero o ranking interessante, até mais por esse aspecto de nos proporcionar uma análise do nosso trabalho, poder avaliar no que conseguimos avançar. E também porque podemos nos espelhar em iniciativas de outras administrações, para ampliar e aperfeiçoar as nossas”, disse Pascoal.

Sapucaia do Sul avança 32 posições neste ano

Puxada pelos quesitos Segurança e Qualidade na Saúde, Sapucaia do Sul foi a cidade da área de abrangência do Jornal VS que mais avançou posições na colocação geral do Ranking de Competitividade dos Municípios de 2021 para 2022. Foram 32 posições, que deixaram a cidade no 221º lugar. Já na classificação a nível estadual, o município ficou na 57ª posição, uma atrás de Esteio que está na 56ª.

As melhores notas desta edição do ranking para Sapucaia foram para os quesitos Segurança, cuja avaliação ficou em 89.87; e Qualidade na Saúde, cuja soma foi de 83.33. O secretáriogeral de Governo, William Thiago Borba, disse que a administração ficou muito contente com o avanço apontado no ranking, e associou o desempenho relacionado à nota da saúde ao esforços do governo para garantir o atendimento à população.

“Principalmente durante as piores fases da pandemia. Ampliamos nossos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), e não medimos esforços para melhorar a qualidade dos serviços da pasta”, destacou. Borba salientou, entretanto, que discordou das notas que o município recebeu nos quesitos Acesso à Educação e Qualidade da Educação, bem como para Sustentabilidade Fiscal. “Consideramos a ferramenta importante, mas algumas notas são passíveis de contestação.

O próprio método tem peso maior para o quesito Inovação e Dinamismo Econômico”, por exemplo. Mas é sabido que os três principais pilares de qualquer administração costumam ser saúde, educação e segurança. Ao menos em Sapucaia essas são nossas prioridades”, ponderou. O secretário destacou que o município investiu cerca de R$ 10 milhões na Educação, de 2021 para 2022. “Não faz sentido a nota desse quesito.”

Incentivo à melhoria da gestão pública

O Ranking de Competitividade dos Estados e Municípios é elaborado anualmente pelo Centro de Liderança Pública(CLP) e, em 2022, chegou a sua terceira edição. Ao todo, o ranking engloba 415 cidades brasileiras, representando os municípios do País com população acima de 80 mil habitantes, de acordo com a estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para o ano de 2021.

O ranking é composto por 65 indicadores, organizados em 13 pilares temáticos e três dimensões: instituições, sociedade e economia. Dentre os objetivos da ferramenta estão o incentivo à competição positiva entre os municípios, por meio do melhoramento de serviços públicos, atração de empresas, trabalhadores e estudantes e, consequente, desenvolvimento das cidades.

Na edição 2022 do ranking, os pilares e seus respectivos pesos para a composição das notas foram os seguintes: inovação e dinamismo econômico (16,1%); educação (11,5%); saúde (11,5%); sustentabilidade fiscal (10,2%); funcionamento da máquina pública (9,3%); telecomunicação (8,5%); saneamento (7,6%); capital humano (7,6%); segurança (5,9%); inserção econômica (5,9%); e meio ambiente (5,9%). Os dados foram normalizados entre 0 e 100, sempre obedecendo ao critério de quanto mais perto de 100, melhor. O ranking também incentivou a transparência na divulgação de informações.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.