Publicidade
Notícias | São Leopoldo Política

Vereador pede por selo de DP Amiga dos Animais em São Leopoldo

Brasil Oliveira esteve reunido com o delegado Eduardo Hartz nesta semana

Por Thiago Padilha
Publicado em: 15.04.2021 às 15:00 Última atualização: 15.04.2021 às 17:01

Brasil se reuniu esta semana com o delegado Hartz Foto: Divulgação
Os recentes casos de violência e maus-tratos contra animais no Rio Grande do Sul têm chocado a comunidade. Em Sapucaia do Sul, um dono de minimercado que matou a cachorra de uma criança com um tiro de arma de chumbinho ano passado. Segunda-feira, em Canoas, cães mantidos em uma casa em estado de subnutrição foram socorridos. Situações como essas levaram o vereador de São Leopoldo Brasil Oliveira (PSD) a se reunir nesta semana com o diretor da 3ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana (DPRM), delegado Eduardo Hartz, para pedir a adesão das unidades leopoldenses da Polícia Civil ao selo Delegacia de Polícia Amiga dos Animais.

O governo do Estado instituiu no início do mês o programa que visa a implantar cartórios especializados na investigação de crimes de maus-tratos e crueldade contra os animais. De início, são 15 delegacias gaúchas que aderiram à iniciativa. Na região, a 2ª DP de Sapucaia do Sul, comandada pelo delegado Thiago Carrijo, já faz parte do selo, assim como as DPs de Ivoti, Estância Velha e 4ª DP de Canoas.

O gabinete do vereador Brasil, conhecido pela sua atuação pela causa animal, recebe constantemente questionamentos e pedidos de ajuda de referentes as denúncias de maus-tratos ou regaste de animais em São Leopoldo. "O projeto agilizaria muito nas resoluções destes casos, além das aplicações das punições já existentes nas leis em benefício dos animais", explica Brasil, que é presidente da Comissão de Proteção Animal na Câmara leopoldense. O delegado Hartz explica que os casos de maus-tratos a animais no Município são atendidos atualmente pelas delegacias distritais, isso é, a 1ª e 2ª DPs e que irá analisar o pedido do parlamentar. "Há uma possibilidade futura. Nada certo ainda", reitera o policial.

Legislação

A legislação protege animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos, incluindo cães e gatos, que, por serem os animais mais comuns em residências, são as principais vítimas. Agredir fisicamente, deixar sem comida ou água, sem abrigo adequado ou não procurar um médico veterinário em caso de doença do animal configura maus-tratos.

Causa animal

O vereador Brasil, que chegou a ser secretário municipal de Proteção Animal em outra gestão da Prefeitura de São Leopoldo, tem longo trabalho em defesa dos bichos na cidade. É dele, por exemplo, a lei municipal 8937/2019, que proíbe a queima, manuseio e soltura de fogos de artifício e outros artefatos com estampido na cidade. Ano passado, o governo do Estado sancionou legislação semelhante. A intenção é evitar que os animais sofram com os estampidos.

Além disso, redigiu a lei municipal 8.609/2017 que dispõe sobre o fim gradativo da tração animal na cidade. O texto determina o cadastramento dos condutores de carroças até 2021, eliminando as carroças e evitando os maus-tratos dos cavalos, a capacitação dos profissionais, transposição deles no mercado de trabalho e a inserção dos filhos em creches e atividades recreativas em tempo integral.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.