Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | São Leopoldo SÃO LEOPOLDO

Chuva alivia situação do Rio dos Sinos, mas expõe problema do lixo nas casas de bombas

Semae retirou quase meia tonelada de lixo da Casa de Bombas da João Corrêa, nesta terça. Volume seria o equivalente ao recolhido durante um mês em todas as casas de bombas da cidade

Publicado em: 18.01.2022 às 19:42

A chegada de precipitações um pouco mais volumosas na cidade e região também trouxe à tona um problema recorrente observado nas casas de bombas leopoldenses: o descarte incorreto de resíduos.

Equipes retiraram quase meia tonelada de resíduos da Casa de Bombas da João Corrêa
Equipes retiraram quase meia tonelada de resíduos da Casa de Bombas da João Corrêa Foto: Digue Cardoso/Semae
As equipes do Serviço Municipal de Água e Esgotos (Semae) realizam a limpeza dos gradis seguidamente nessas estruturas para evitar que a sujeira chegue ao rio e, em períodos chuvosos, que a vazão seja interrompida pelo acúmulo de lixo.

Porém, o total de lixo retirado na limpeza realizada na Casa de Bomba da Avenida João Corrêa na manhã desta terça-feira (18) surpreendeu negativamente, mais uma vez. Quase meia tonelada de resíduos foi recolhida das grades de contenção do local. O volume, segundo o Semae, representa o que é coletado em todas as cinco casas de bombas da cidade num período de 30 dias.

Dentre os resíduos, os funcionários encontraram colchões, sofás, animais mortos, lixo doméstico além de vegetação. “Lembramos a todos que é muito importante o descarte correto do lixo e resíduos para evitarmos situações como esta. Precisamos preservar a nossa água e também o nosso meio ambiente como um todo. Não jogue lixo no rio ou nas ruas, preserve um patrimônio que é de todos nós”, colocou o Semae, por meio de nota.

Nível do Rio dos Sinos chega a 1,89m

A Defesa Civil de São Leopoldo vem acompanhando o nível do Rio dos Sinos com diversas medições diárias. Na manhã desta terça, a régua da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) marcava 1,33 metro. À tardinha, porém, o nível havia subido mais, chegando a 1,89 metros na medição das 18h30 – 11 centímetros a menos da profundidade considerada normal, status indicado quando o rio está entre 2 e 2,5m. Conforme o órgão leopoldense, o total acumulado de chuva nas últimas 48h no município chegou a 75 milímetros.

Rio dos Sinos estava em 1,89m às 18h30 desta terça-feira
Rio dos Sinos estava em 1,89m às 18h30 desta terça-feira Foto: Diego da Rosa/GES

O coordenador técnico da Defesa Civil de São Leopoldo, Fabiano Camargo, alerta que a tendência é de que a elevação prossiga nos próximos dois dias, mas com a volta do clima seco o rio deve novamente baixar de nível. “Há pouco estávamos com 1,75m e logo depois baixou pra 0,31m”, lamentou, lembrando os níveis mais alto e mais baixo registrados este ano – nos dias 5 e 14 de janeiro, respectivamente.

Desperdício

Como a previsão de calor segue, a Prefeitura de São Leopoldo reforçou o apelo para que a população mantenha o uso racional da água. Algumas dicas são: - feche bem as torneiras após o uso. Torneira aberta em 1 minuto gasta 3 litros de água; - feche a torneira enquanto escova os dentes ou faz a barba; - evite lavar as calçadas com mangueira; - fique atento aos vazamentos em pias, chuveiros e vasos sanitários.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.