Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | São Leopoldo SÃO LEOPOLDO

Pacientes relatam demora e espera na chuva para consulta no Centro Capilé

Usuários tinham agenda marcada para traumatologia na manhã desta quinta-feira (27)

Por Priscila Carvalho
Publicado em: 27.01.2022 às 18:59 Última atualização: 28.01.2022 às 08:53

As filas para atendimento nas unidades de saúde do Município tem sido alvo constante de reclamação, especialmente nas últimas semanas, em que os casos de Covid-19 aumentaram e, consequentemente, saturaram a rede básica.

Pacientes tiveram que esperar na chuva para consulta no Centro Capilé, de São Leopoldo
Pacientes tiveram que esperar na chuva para consulta no Centro Capilé, de São Leopoldo Foto: Ângela Reis/Especial

Mas, até para quem não procura atendimento por sintomas gripais e suspeita coronavírus, a situação está complicada. Na manhã desta quinta-feira (27), diversos pacientes que tinham consulta marcada para a especialidade de traumatologia no Centro Capilé reclamaram da demora para serem chamados e da prolongada espera do lado de fora do prédio, na chuva.

“Eles mandam ir 15 minutos antes, pra ficar na chuva? Havia pessoas com cadeira de rodas, com o pé quebrado, todos na chuva”, disse Ângela Reis, que foi acompanhar o esposo para uma consulta. Ele quebrou o tornozelo, precisou passar por uma cirurgia e tinha consulta agendada para as 8h40. Por isso, Ângela e o marido chegaram bem cedo. “Ele foi atendido quase 10h, mas estávamos desde as 7h esperando”.

Descaso

O autônomo Uilson Dionísio da Silva, 43, levou o filho de 12 anos para tirar o gesso do braço e também precisou esperar na chuva. “Sendo que lá dentro estava vazio”, ressaltou ele, que chegou ao local às 8h para não perder a consulta agendada para as 9h30. Conforme Silva, os pacientes que estavam na fila foram informados de que a medida seria para “prevenir o Covid”. “Só chamavam da chuva na hora do agendamento marcado. Poderiam pelo menos improvisar um toldo. Será que é muito caro? Gesso não pode molhar. E se tivesse 40 graus também era um descaso”, lembrou. “Temos que cuidar do vírus, mas casos específicos, como traumatologia, não poderia parar. Até porque, ali não é da área Covid”, acrescentou, citando que o atendimento do filho terminou apenas às 11h45.

“Pra saúde tem que ser atendido de imediato. É um absurdo! Reservaram tudo que é posto pra Covid, e as outras demandas?”, indignou-se. “É um descaso com o dinheiro público”, concluiu o morador do bairro Scharlau.

Semsad diz que medida foi para evitar aglomerações

Procurada, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsad) informou, por meio de nota da sua assessoria, que a intenção foi evitar aglomerações naquele horário, em que os pacientes tinham consulta com traumatologista. “Cada paciente, com hora marcada, é autorizado a entrar no prédio do Centro Capilé 15 minutos antes de sua consulta. Muitos usuários chegam muito antes do horário agendado e, por conta da pandemia, não é permitido que fiquem aglomerados dentro do espaço que pertence ao prédio”, informou o texto da Semsad.

 

 

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.